Qual é o risco de se submeter ao cateterismo?

Quando o exame for bem indicado, o cateterismo fornece ao cardiologista informações fundamentais para planejar o tratamento

Sua Saúde - Folha de Londrina - 30/06/2010 -- 19:14
Imprimir Comunicar erro mais opções

Qualquer procedimento invasivo (e o cateterismo é um deles) implica em algum grau de risco. Felizmente, com o desenvolvimento tecnológico, os equipamentos, materiais e medicamentos utilizados no exame evoluíram muito, diminuindo assim o risco do exame.

Os principais problemas seriam as complicações vasculares pela punção ou dissecção da artéria do braço ou da virilha, as reações alérgicas ao contraste iodado e, em exames muito repetidos, as consequências da irradiação pelos exames de raio-X (que têm efeito cumulativo).

Quando o exame for bem indicado, o cateterismo fornece ao cardiologista informações fundamentais para planejar o tratamento, e em casos de urgência é possível corrigir algumas alterações encontradas e melhorar as condições clínicas do paciente.

O cateterismo não é usado apenas como um exame, tem papel importante como um método terapêutico para a correção de doenças circulatórias das coronárias, carótidas, aorta e artérias renais, algumas doenças de válvulas cardíacas e cardiopatias congênitas.

Com a evolução dos materiais utilizados, as indicações têm ampliado gradativamente e estão sendo usadas até em outras áreas, como no tratamento de alguns tipos de tumores, em que é possível reduzir suas dimensões por meio de obstruções de vasos responsáveis pela sua nutrição, ou reduzir as doses de quimioterápicos com a administração direta nestes vasos.

Sérgio Hayashi, cardiologista
PUBLICIDADE
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
TOP DO BONDE
PUBLICIDADE
 
Hospedado pela: