Bonde - O Maior Portal do Paraná
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014. | Bem-vindo usuário! Faça login ou cadastre-se.
32º / 17º Londrina - PR Outras Cidades Google Twitter Whatsapp - (43) 9124-1630 Facebook Youtube - Vídeos
Saúde
13/08/2008 -- 20h27

Existe um adoçante mais saudável?

Sua Saúde-Folha de Londrina
QR:
Add to Flipboard Magazine.
Reprodução
Reprodução
Os adoçantes são substitutos do açúcar, que conferem sabor doce, com menor número de calorias por grama.

Os adoçantes são substitutos do açúcar, que conferem sabor doce, com menor número de calorias por grama. Um de seus usos mais frequentes é na substituição do açúcar em produtos denominados diet ou light. A estévia é um destes edulcorantes naturais, não é calórico, sendo extraído das folhas da Stevia rebaudiana bertoni, planta silvestre da família do crisântemo. Ela cresce naturalmente no Brasil e no Paraguai.

Desde 1995, a estévia é considerada um aditivo seguro pelo Food and Drugs Administration (FDA), órgão que fiscaliza a produção e comercialização de alimentos e medicamentos nos EUA. E este produto é produzido no Brasil.

São considerados altamente eficazes devido à capacidade de adoçar muito em pequenas concentrações. Vários adoçantes, incluindo aqueles produzidos à base de estévia, contêm dois ou mais edulcorantes em suas fórmulas; esta mistura visa neutralizar as desvantagens, principalmente o sabor residual.

Por isso é importante, no momento da compra, observar os rótulos, pois apesar da estévia ser uma planta natural, alguns adoçantes comercializados podem estar acrescidos de sacarina e ciclamato de sódio, que ainda permanecem em investigação quanto ao risco de que sua ingestão frequente possa levar ao desenvolvimento de câncer de bexiga.

A estévia adoça 300 vezes mais do que o açúcar e não é metabolizada. Tem gosto amargo de ervas ou alcaçuz no momento da ingestão e baixa solubilidade, ao contrário da sacarina, cujo amargor emerge como resíduo no final da degustação.

Provavelmente o fato de não ter se tornado popular entre os consumidores brasileiros deva-se ao elevado do custo e da má aceitação do sabor.

A estévia pode ser usada por qualquer pessoa, inclusive por gestantes, e é particularmente indicada no tratamento de pacientes obesos com síndrome metabólica, por seu duplo efeito, anti-hipertensivo e anti-hiperglicêmico.

A recomendação de ingestão diária aceitável para a estévia, definida como (mg/kg/dia) segura, mesmo se o uso for continuado, é de 5,5 mg/kg/dia.

Sandra Fernandes, nutricionista clínica e docente
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 22/10/2014 23:45
PUBLICIDADE
Carregando ...
PUBLICIDADE
 
PUBLICIDADE