Bonde - O Maior Portal do Paraná
Saúde
22/04/2010 -- 19h13

Como o HPV se manifesta nos homens?

O HPV é uma família de vírus, com mais de 100 tipos diferentes, sendo que aproximadamente 35 deles estão relacionados à infecção genital e anal

Sexo & Comportamento - Folha de Londrina
QR:
Add to Flipboard Magazine.

O vírus HPV (Human papiloma virus) vive na pele e nas mucosas genitais tais como vulva, vagina, colo de útero e pênis. Trata-se de uma infecção adquirida por meio do contato sexual. Na verdade, qualquer contato pênis-vagina, pênis-vulva, pênis-ânus e pênis-boca é considerado contato sexual. A mesma coisa se ocorrer contato da vulva com a boca do parceiro, neste caso o HPV instala-se na boca ou garganta.

No homem, pode infectar o pênis, causando uma lesão pequena em formato de couve-flor ou verruga, chamado de condiloma acuminado, também conhecido como ôcrista de galo". A infecção masculina não costuma progredir para câncer.

Na mulher, o HPV costuma infectar o colo do útero, podendo, então, progredir para câncer. A única maneira de fazer o diagnóstico é por meio da consulta ao ginecologista, uma vez que a mulher não consegue visualizar seu colo uterino.

A distribuição das lesões acuminadas no homem interessa principalmente ao corpo do pênis, à região bálano prepucial e uretra. Lesões no escroto, face interna da coxa e base do pênis e ânus também podem ocorrer.

Enquanto alguns deles causam apenas verrugas comuns ao corpo, outros infectam a região genital, podendo ocasionar lesões que, se não tratadas, transformam-se em câncer de colo de útero ou câncer de pênis.

Geralmente esta infecção não resulta em câncer. Mas é comprovado que 99% das mulheres que têm câncer do colo uterino foram antes infectadas por este vírus.

No Brasil, cerca de sete mil mulheres morrem anualmente por este tipo de tumor. Inúmeras formas de tratamento são descritas na tentativa da erradicação do condiloma acuminado: o tratamento clínico pela aplicação de agentes cáusticos (podofilina, ácido tricloroacético e ácido nítrico), pela quimioterapia tópica (5-fluoracil e bleomicina), pela imuterapia (imiquimod e interferon-alfa) e o tratamento cirúrgico (crioterapia, eletrocoagulação, ablação por laser e excisão).

Existem controvérsias na erradicação total do vírus HPV no organismo. Na maioria dos casos, os tratamentos curam completamente as lesões e o vírus é erradicado do organismo. O HPV pode ser controlado, mas ainda não há cura contra o vírus. Deve ser feito o acompanhamento sistemático.

A melhor arma contra o HPV é a prevenção e a realização do diagnóstico o quanto antes.

Mitos e Verdades

- Mito: o preservativo previne o HPV
- Verdade: existem várias formas de transmissão do HPV em que o preservativo não é suficiente para conter a contaminação. A forma mais segura de não transmissão é a monogamia em casais saudáveis

Celso Fernandes Junior, doutor em urologia
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 01/09/2014 23:35
PUBLICIDADE
Carregando ...
PUBLICIDADE
 
PUBLICIDADE