Bonde - O Maior Portal do Paraná
Sexta-feira, 25 de Julho de 2014. | Bem-vindo usuário! Faça login ou cadastre-se.
18º / Londrina - PR Outras Cidades Google Twitter Whatsapp - (43) 9124-1630 Facebook
BondeNews
18/05/2012 -- 14h00

Londrina: motociclista é condenado por homicídio culposo

Redação Bonde com TJ/PR
QR:
 

O condutor de uma motocicleta que atropelou um pedestre – o qual morreu em consequência dos ferimentos – foi condenado à pena de 2 anos de detenção pela prática de homicídio culposo na direção de veículo automotor, conforme o Código de Trânsito Brasileiro. Os julgadores determinaram também a suspensão, por 2 meses, de sua carteira de habilitação.

No entanto, a pena de detenção foi substituída por uma pena restritiva de direitos, consistente em prestação de serviços à comunidade, em estabelecimento a ser indicado pelo Juízo da execução, de acordo com a aptidão do condenado.

Serão uma hora de tarefa por dia de condenação, fixada de modo a não prejudicar a jornada normal de trabalho, bem como ao pagamento de 10 dias-multa, cada um no valor de um trigésimo do salário mínimo vigente à época do fato.

Essa decisão da 1.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná reformou, por unanimidade de votos, a sentença do Juízo da 5.ª Vara Criminal da Comarca de Londrina que absolveu o denunciado com base no inciso VII do art. 386 do Código de Processo Penal, que prescreve: "O juiz absolverá o réu, mencionando a causa na parte dispositiva, desde que reconheça: [...] VII – não existir prova suficiente para a condenação".

No recurso de apelação, o Ministério Público pediu a condenação do denunciado sustentando que o réu agiu com imprudência, pois não freou a motocicleta num espaço de tempo suficiente para evitar o acidente, já que afirmou ter visualizado a vítima à distância de 100 metros.
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 24/07/2014 23:29
PUBLICIDADE
BONDENEWS
Você já tem candidato definido para a eleição de governador?
Não
Sim
PUBLICIDADE
 
PUBLICIDADE