Falando de Literatura - Isabel Furini
23/10/2014 - 09:45
  RSS  
Agradecemos aos poetas participantes - o nível dos trabalhos foi muito bom, por isso foi demorada a seleção.

Membros da Comissão julgadora:

Andréia Motta
Jocelino Freitas
Isabel Furini
Vanice Ferreira

NOTA MÁXIMA: 40
A solidão de Caronte: 36 pontos
A Parteira: 34,12
Bebendo Beatles e silêncios: 34
Histórias de enfermagem: 33,10

GANHADORES:

1º Lugar: A solidão de Caronte - Homero Gomes (Curitiba)

2º Lugar: A Parteira - Adenildo Lima

3º Lugar: Bebendo Beatles e Silêncios (George Harrison e eu num bar de Shangri-La).

Menção Honrosa: Histórias de enfermagem no Universo de Cordel - de Onã Silva.

22/10/2014 - 20:04
  RSS  
A IMPORTÂNCIA DA ARTE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
Katia Velo descreveu sua trajetória artística e a importância da Arte

Na última terça (21), nas Faculdades da Indústria – Famec/Fiep (São José dos Pinhais), aconteceu um encontro entre a artista plástica, colunista cultural e professora de Arte, Katia Velo e alunos do Curso de Pedagogia. Inicialmente Katia destacou a relevância sobre o curso, inclusive na área empresarial e a importância do ensino da Arte no mundo contemporâneo. O encontro foi idealizado pela professora Loriane Ferreira (Disciplina de Metodologia do Ensino da Arte).

O objetivo foi aproximar a artista e professora aos estudantes para que futuramente eles possam atuar de maneira mais diversificada e plena. De acordo com Katia Velo este momento foi muito significativo devido à receptividade, atenção, carinho, envolvimento e questionamentos durante e depois da apresentação. "Todos queriam tirar fotos e conversar comigo. Foi um momento mágico e fiquei muito agradecida pelo convite da Loriane" declarou Katia Velo.

Katia Velo destacou ainda sobre o ensino de Arte nas escolas que com qualidade, comprometimento e seriedade, resulta em indivíduos mais seguros e independentes. "Arte não é terapia, mas pode ser terapêutica. Arte não é remédio, mas pode curar. Arte não é muleta, mas dá asas a imaginação. A arte é o ópio da civilização contemporâneo, é um elemento catártico", finalizou.


Katia Velo e alunos do Curso de Pegagodia Famec/Fiep.

Serviço:
Faculdades da Indústria – Famec/Fiep
Endereço: Av. Rui Barbosa, 5881 – Afonso Pena, São José dos Pinhais – PR, 83040-550
Telefone: (41) 3593-1200

Ao centro, Katia Velo e alunas do Curso de Pedagogia Famec/Fiep.
Ao centro, Katia Velo e alunas do Curso de Pedagogia Famec/Fiep.


K A T I A V E L O diretora de comunicação APAP/PR, artista plástica, colunista e professora de arte www.katiavelo.com.br 55 41 8408-6452.
21/10/2014 - 09:24
  RSS  
Em 09 de novembro (domingo) a partir das 11 horas da manhã será a abertura da exposição de Arte e Poesia no MASAC (Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba), no Centro Histórico de Curitiba (Largo da Ordem). O evento também contará com leitura das poesias que fazem parte da exposição e lançamento do livro "Anjos e Arcanjos". Entrada gratuita.

O curador Carlos Zemek reuniu artistas plásticos, poetas e declamadores para um evento especial - festejar os Anjos.

Com a proximidade do Natal as pessoas gostam de reflexões, poemas e imagens angelicais. Carlos Zemek organizou a exposição pensando nessa necessidade de refletir sobre a vida e seus valores. As artes digitais que acompanham os poemas são de sua autoria.

Foram convidados para participar da exposição:
Participarão:

POESIA: Arriete Rangel de Abreu, Carlos Zemek, Carlos Muniz, Isabel Furini, Leonardo Valiati, Helena Maria W. Gomes, Marina Carraro, Neyd Montingelli, Susana Arceno Silveira, Willians Mendonça.

Declamadores: Arriete Rangel de Abreu, Gisele Borges, Helena Maria W. Gomes, confirmados.

ARTE DIGITAL: Carlos Zemek

ARTES PLÁSTICOS: Celia Dunker, Celia Rosa, Ivani Silva, Katia Velo, Sirlei Holmstrom e Vanice Ferreira - Convidada especial: Neiva Passuello.
18/10/2014 - 17:38
  RSS  
Na última quinta (16), das 14h às 16h, no Teatro SESI SJP foi realizada a palestra "A Leitura em Sua Vida", ministrada pela professora e colunista cultural Katia Velo. A palestra foi uma parceria entre as Secretarias de Cultura e Educação com o objetivo de preparar os educadores para a 18ª. edição da Feira Municipal de Livros, a FEMULI, que será realizada entre os dias 4 a 8 de novembro também no Teatro SESI SJP. A FEMULI é uma referência em evento relacionado ao incentivo à leitura. Nesta edição a FEMULI traz o tema "A LEITURA EM SUA VIDA" e contará com a participação de escritores, oficinas, palestras, contação de histórias, apresentações culturais e folclóricas.


"A Leitura em Sua Vida" foi direcionada aos professores e pedagogos da Rede Municipal de Ensino de SJP e teve o objetivo de sensibilizar o público para o tema da FEMULI.

A palestra teve como fio condutor compreender o processo e resgatar o prazer da leitura, pois, de acordo com Katia Velo, a leitura de um bom livro tem um efeito transformador, capaz de fazer uma revolução em nossa forma de pensar e, consequentemente, na nossa maneira de agir. A palestrante destacou que, inicialmente, ao elaborar sua apresentação, havia seguido pesquisas de estudiosos sobre a importância de ler, fez levantamentos empíricos, técnicas de leituras, etc. No entanto, após estes levantamentos, Katia Velo sentiu que não conseguiria sensibilizar a plateia para o principal foco do tema da FEMULI "A Leitura em Sua Vida."Após refletir, mudou radicalmente sua pesquisa e definiu sua palestra pontuando quatro pilares: A IMAGEM EM NOSSAS VIDAS; A NOSSA VONTADE E NECESSIDADE DE OUVIR E CONTAR HISTÓRIAS; A NOSSA NECESSIDADE DE REGISTRAR HISTÓRIAS e A LEITURA EM NOSSAS VIDAS, ou seja, demonstrando que há uma trajetória até chegarmos ao ato da leitura, que segundo ela é ver, contar, registrar e ler.



Na primeira etapa, "A IMAGEM EM NOSSAS VIDAS", a abordagem foi sobre a influência, a qualidade e quantidade de imagens que envolvem a nossa percepção de mundo e de nós mesmos. A palestrante abordou temas relacionados à história da Arte, fotografia, pintura, escultura, cinema, TV e a internet. "Ler é interpretar o mundo através da alma. Ler é viver. Ler é compreender as letras, o comportamento humano, o desenvolvimento científico, a Arte", ressaltou. No tema, "A NOSSA VONTADE E NECESSIDADE DE OUVIR E CONTAR HISTÓRIAS", foi apontado como a mais difundida forma de transmitir cultura e trocar conhecimento e informação. Em seguida, passou para "A NOSSA NECESSIDADE DE REGISTRAR HISTÓRIAS", onde por meio de uma breve linha do tempo dos hieróglifos, a escrita no oriente, a criação da prensa de Gutenberg, a proliferação dos livros impressos e a era digital, Katia demarcou aspectos importantes tanto de livros publicados, quanto dos livros cujo destino foi à destruição. Em "A LEITURA EM NOSSAS VIDAS", exemplificou sobre a magia que acontece no momento da alfabetização, os livros que marcaram nossas vidas, como ser um bom leitor e as vantagens de tornar a leitura um hábito, entre elas, a ampliação do conhecimento geral; a estimulação da criatividade; a capacidade de emocionar e causar impacto, além de desenvolver o senso crítico.
O foco central da palestra foi estimular a busca dos sentimentos mais profundos e íntimos que movem as pessoas a lerem um livro, e este momento pode ter um papel fundamental na vida das pessoas. "O que sabemos nos forma, mas o que desejamos saber, nos transforma", proferiu Katia Velo. Finalizando, Katia lançou um questionamento, fazendo uma pequena interferência ao próprio tema da palestra "Há leitura em sua vida?". O público presente aplaudiu e demonstrou interesse em um breve bate-papo. "Neste momento, sinto que toda a frustração inicial da pesquisa e o árduo trabalho foram recompensados. Estes momentos são fundamentais para nós educadores, pois indubitavelmente há uma troca que só ocorre neste momento, onde a presença física é insubstituível". Declarou Katia Velo.

A professora e artista plástica Katia Velo palestrando.
A professora e artista plástica Katia Velo palestrando.


Katia Velo é diretora de comunicação APAP/PR, artista plástica, colunista e professora de arte www.katiavelo.com.br 55 41 8408-6452
17/10/2014 - 03:03
  RSS  
Estive lá, ontem, na Casa da Doida, da Maluca, sei lá. Era uma casa mesmo,
ao estilo das casas do Rio. Com quadro nas paredes, pinturas de gente que
faz o que gosta. Do lado de fora, as mesinhas com cadeiras, o bom clima,
a conversa saindo solta, os risos e as afinidades.

As pessoas chegavam felizes com expectativas de encontrarem ali, os seus.
Os seus quase familiares, os seus quase iguais, os seus agora, idênticos em
suas paixões. A paixão pela poesia, pela expressão de ser. Entre tantos poetas
e declamadores, um foi meu herói. Se eu pudesse, também votaria nele.

Com um esforço enorme, representava ali com todos os gestos o seu povo. Fugido,
saído da pátria, buscava o ninho perfeito, que acolheu suas imensas saudades do
Haiti, ali na Casa da Doida.

Helena Maria W Gomes
Foto de Arrieta Rangel de Abreu
Foto de Arrieta Rangel de Abreu - Hela Maria W.Gomes declamando o poema de sua autoria.
Hela Maria W.Gomes declamando o poema de sua autoria.

(Crônica inspirada no Concurso de Declamação Poetizar o Mundo, organizado por Isabel
Furini em 15 de outubro, no Restobar Dona Doida, Curitiba).

Helena Maria W. Gomes
16/10/2014 - 10:47
  RSS  
Em 15 de outubro aconteceu o Concurso de Declamação Poetizar o Mundo, no Restobar Dona Doida, em Curitiba.

Declamar é interpretar um poema com voz e gesticulação adequada. Declamar é dar voz e vida ao poema.

Os jurados colocaram nota depois de cada apresentação. As apreciações das declamações não foram unânimes, mas todos os jurados estiveram de acordo no fato importante algumas apresentações foram excelentes.

Foram jurados do 9º Concurso Poetizar o Mundo - Declamando Poemas: Arriete Rangel de Abreu, Carla Ramos, Getúlio Guerra, Jocelino Freitas, Ricardo Pozzo.
Fotografia de Arriete Rangel de Abreu.
Fotografia de Arriete Rangel de Abreu.

Ganhador do Concurso Reginald Elysee.
Ganhador do Concurso Reginald Elysee.

Márcia Maria Wojcichoski Prado, 2º colocada.
Márcia Maria Wojcichoski Prado, 2º colocada.

Foto de Arriete Rangel de Abreu
Foto de Arriete Rangel de Abreu

Gisele do Rocio Borges.
Gisele do Rocio Borges.

Fotografias de Arriete Rangel de Abreu.
Concurso de Declamação Poetizar o Mundo.
Concurso de Declamação Poetizar o Mundo.




As notas foram somadas e os ganhadores foram anunciado por Arriete Rangel de Abreu, mestre de cerimônia do evento: Reginald Elysee 1o. lugar: 8,92 - Márcia Maria Wojcichoski Prado o 2º lugar: 8,90 e Gisele do Rocio Borges o 3º. lugar: 8,86.

O concurso foi uma festa onde se reuniram poetas e artistas.
Arriete Rangel de Abreu.
Arriete Rangel de Abreu.
16/10/2014 - 07:36
  RSS  
Ontem foi o concurso de Declamação Poetizar o Mundo no Dona Doida Restobar, Arriete Rangel de Abreu, criadora do projeto SemeARTE foi mestre de cerimônia e com suas palavras e sua simpatia alegrou o evento. O clima de festa e camaradagem tomou conta do local.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira

Os declamadores escolheram as poesias, a maioria declamou poemas de própria autoria.

Estiveram presentes os jurados: Arriete Rangel de Abreu, Carla Ramos, Getúlio Guerra, Jocelino Freitas e Ricardo Pozzo.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Os jurados do Concurso Poetizar o Mundo - Declamação Getúlio Guerra, Jocelino Fretas e Carla Ramos.
Os jurados do Concurso Poetizar o Mundo - Declamação Getúlio Guerra, Jocelino Fretas e Carla Ramos.



Arriete Rangel de Abreu é poeta, escritora e criadora do Projeto Semearte.

Carla Ramos é poeta, formada em psicologia e uma das declamadoras do grupo "Meninas que Escrevem em Curitiba".

Getúlio Guerra é poeta e coordenador de eventos de Fundação Cultural de Curitiba.

Jocelino Freitas é poeta, organizador de livros de poesia, romancista e advogado.

Ricardo Pozzo é poeta, declamador, fotógrafo, poeta, músico, coordenador do jornal Relevo e curador do Wonka Bar.

Os vencedores foram: Rei Seely (nome artístico de Reginald ELYSEE), Márcia Maria Wojcichoski Prado e Gisele do Rocio Borges.
Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Rei Seely foi o vencedor do Concurso de Declamação.
Rei Seely foi o vencedor do Concurso de Declamação.

Foto de Luid Ferreira.
Foto de Luid Ferreira. - Rei Seely recebeu o troféu.
Rei Seely recebeu o troféu.

Foto de Luid Ferreira.
Foto de Luid Ferreira. - Márcia Maria Wojcichoski Prado conquistou o segundo lugar.
Márcia Maria Wojcichoski Prado conquistou o segundo lugar.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Gisele do Rocio Borges conquistou o terceiro lugar.
Gisele do Rocio Borges conquistou o terceiro lugar.

O ganhador do concurso e outros poetas.
O ganhador do concurso e outros poetas.

Rei Seely e convidados.
M. Mafra Souza não participou do Concurso, mas fez leitura de um poema.
M. Mafra Souza não participou do Concurso, mas fez leitura de um poema.

Na foto Isabel Furini com os declamadores Lukas Souza e Vanice Ferreira. Lukas, o mais novo declamador recebeu uma caneca caneca artística.
Na foto Isabel Furini com os declamadores Lukas Souza e Vanice Ferreira. Lukas, o mais novo declamador recebeu uma caneca caneca artística.
15/10/2014 - 08:06
  RSS  
Hoje, no restaurante Dona Doida, Alameda Princesa Izabel, 705, bairro Mercês, Curitiba, será o Concurso de Declamação. O primeiro lugar receberá um troféu.

No evento serão homenageados quatro pessoas que tem uma característica em comum: a colaboração - elas abrem portas para que outros possam também conquistar um espaço, crescer.
Os homenageados são: Adélia Parron Alvares, Andréia Carvalho Gativa, Luiz Carlos Brizola e Geraldo Magela.
Adélia é professora e dona da Academia de corte, costura e estilismo ANSA. Trabalha há mais de 50 anos formando profissionais nessa área.
Andréia é uma das idealizadoras dos grupos Escritibas na Rua e Meninas que Escrevem em Curitiba.
Brizola é um dos idealizadores do Escritibas na Rua, grupo aberto para poetas e escritores em geral, cujo objetivo é divulgar os livros desses autores.

Magela é o organizador do projeto "Cutucando a inspiração". Mensalmente realiza um evento poético para divulgar os trabalhos dos poetas da cidade gratuitamente. O evento é realizado no TUC (Teatro Universitário de Curitiba) Esse teatro está a cargo da Fundação Cultural de Curitiba, cujo presidente, Marcos Cordiolli apoiou o projeto desde o primeiro momento.

Três dos homenageados são poetas.


Poema de Andréia Carvalho Gavita
PARA FAZER PONTAS DE FLECHAS

Mineralizar a lágrima
Fazer-se rútilo

Vibrar além da tua sangria
Pelas ervas, pelas especiarias
Com a estatura do musgo,
dos fermentos,
do sedimento

Como se os deuses me dessem as mãos, interiormente.

A amálgama fria volatiliza-se

Não pela tua eloquência vulcânica, tua chegada ou partida.
O ourives é a atmosfera magnetizada
Ao teu redor

Quando os deuses vibram dentro de tua garra.

O Guardião da Caverna de Carlos Zemek
O Guardião da Caverna de Carlos Zemek

Quadro de Carlos Zemek


Poema de Luiz Carlos Brizola
Família...
Que bom que vocês não são todos iguais
Poque se eu observar atentamente um a um
Terei a oportunidade de aprender bem mais...
14/10/2014 - 12:20
  RSS  
Quarta-feira, dia 15 de outubro, a partir das 19 horas, será o 9º Concurso Poetizar o Mundo- Declamando Poemas.

A comissão julgadora será composta pelos poetas Arriete Rangel de Abreu, Carla Ramos, Getúlio Guerra, Elieder Corrêia da Silva, Jocelino Freitas e Ricardo Pozzo colocarão notas de 1 à 10 e os declamadores que recebam as notas mais altas serão os ganhadores. O primeiro lugar receberá troféu, e o segundo e terceiro colocados receberão medalhas.

No evento serão homenageados com medalhas comemorativas quatro personalidades que trabalham em prol da cultura: Adelia Parron Alvarez , Andreia Carvalho Gavita, Luiz Carlos Brizola e Geraldo Magela.

Adélia Parron Alvarez é professora e autora.
Adélia Parron Alvarez é professora e autora.

Adélia Parron Alvarez é professora e fundadora da Escola de Estilismo "Academia Nossa Senhora Aparecida", e tem preparado pessoas para o mercado de trabalho durante mais de 50 anos. Ela também dá apoio as professoras dos cursos de sua Academia. Adélia é autora de livros sobre Corte, Costura e Estilismo. Lembramos que na atualidade a moda é considerada parte da cultura, pois a roupa individualiza e também exige criatividade.

Andréia Carvalho Gavita é poeta.
Andréia Carvalho Gavita é poeta.

Andréia Carvalho Gavita é poeta e uma das fundadoras do grupo Escritibas na Rua que divulga obras de autores paranaenses na Feirinha do Largo da Ordem de Curitiba, também é uma das criadoras do grupo Meninas que Escrevem em Curitiba. Andréia é autora do livro de poemas "Hábito Escarlate", entre outros.

Luiz Calos Brizola é poeta.
Luiz Calos Brizola é poeta.

Luiz Carlos Brizola é poeta, autor do livro "A grande virada", e é um dos idealizadores do grupo Escritibas na Rua, esse grupo fortalece a divulgação de obras autores paranaenses gratuitamente.

Geraldo Magela é poeta e editor.
Geraldo Magela é poeta e editor.


Geraldo Magela é poeta Geraldo Magela, poeta mineiro, foi premiado, o ano passado, no Concurso Nacional de Poesia Prêmio Caetano Veloso. Magela é o idealizador do projeto "Cutucando a Inspiração" no TUC (Teatro Universitário de Curitiba). Magela tem uma pequena editora chamada Alternativa, com tiragem até 200 exemplares e impressão simples que é muito procurada pelos poetas. Contato: (41) 9842-3144.
12/10/2014 - 09:31
  RSS  
O jornalista Ruy Barrozo, formado pela Universidade Tuiuti do Paraná, há trina anos que trabalha na área. Sua característica é o colunismo inteligente. Para saber um pouco mais de seu trabalho solicitamos uma entrevista.


Ruy, sabemos que os jovens escolhem a profissão com muitos sonhos que nem sempre se tornam realidade. Como foi a sua escolha? Como e quando decidiu ser jornalista? Seus sonhos já se realizaram?

Acho que o fato de eu ser jornalista estava no meu DNA.

Venho de uma família de jornalistas, sou a terceira geração. Meu avô Roberto Barrozo foi grande e combativo jornalista, dirigindo por muitos anos do Diário da Tarde, onde publicava diariamente seus editoriais, sempre polêmicos e muito comentado por todos.

Depois meu pai, Roberto Barrozo Filho, que foi proprietário do Jornal de Curitiba e mais tarde o Jornal do Estado, ainda na família.

Tudo aconteceu naturalmente, fui crescendo , crescendo, e quando eu percebi já tinha sido levado ao jornalismo.

Sonhos nunca se realizam totalmente, cada vez que alcançamos nossos sonhos, alçamos novos e mais outros, e mais outros...

Sonhar faz parte da vida, continuo sonhando.

Como definiria esses 30 anos de trabalho?

Mais uma vez por força do DNA, lendo os editoriais do meu avô e participando de perto do dia a dia de um jornal na cia. do meu pai, tornei-me um profissional crítico, polêmico, questionador e independente, sempre escrevendo a verdade, doa a quem doer.

Ruy, conte algum acontecimento interessante de sua vida profissional.

A vida de jornalista não tem rotina, a cada dia uma novidade, e ao longo desses trinta anos, colhi muitas experiências profissionais, aprendizado e situações curiosas e interessantes.

Uma coisa que fiz e que tenho certeza que vai ficar para os livros de jornalismo, foi estabelecer em meus textos a sigla CWB como denominação de Curitiba. Escrevo correspondências e assino documentos e cheque sempre usando CWB - que na linguagem da aeronáutica significa Curitiba.

Uma vez, bem no início de carreira, tentei registrar a marca como minha, o que me foi negado por se tratar de uma sigla utilizada pela Aeronáutica.

No início tinha que ficar sempre explicando as pessoas o que significava CWB, meus leitores perguntavam diariamente .

Logo que passei a utilizar, lentamente começar surgir nomes de empresas utilizando-se do que eu havia lançado; CWBar, CWB Turismo e outras tantas.

Passados trinta nos, virou algum comum e AMPLAMENTE utilizado e hoje já caiu em domínio público.

Hoje todo muito usa, mas acho importante que se fique registrado que foi uma criação minha



Ruy nesta época as pessoas gostam de registrar suas vivências em livro. Você já pensou em publicar um livro contando sua trajetória?


Não só pensei como estou providenciando dois livros que deverão serem lançados no próximo ano – Uma coletânea de frases publicadas diariamente na minha coluna, que vai ser chamar – Palavras de bolso e outro com histórias divertidas, experiências e perrengues da minha trajetória profissional – Anotações de um jornalista.
Aguardem.


Quais conselhos daria para os jovens que estão iniciando a carreira.

Leiam muito, Leiam muito...

Redes sociais apenas não da embasamento cultural.

É importante que se leia grandes clássicos – Machado de Assis, Monteiro Lobato, Eça de Queiroz, entre outros tantos - tem que se consumir livro com a mesma voracidade que se navega na Internet.

Só a leitura vai lhe dar vocabulário e uma escrita correta, além de lhe proporcionar uma grande cultura geral.

E, outra coisa bastante importante – COMPROMETA-SE só um profissional comprometido é capaz de obter sucesso.

No mais, dedicação e uma pitada de sorte, o que sempre ajuda.
< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
PUBLICIDADE