Falando de Literatura - Isabel Furini
05/03/2015 - 06:26
  RSS  
Fui convidada por Michelle Zanin, encarregada das reportagens e por Marcio A. Cabral, diretor executivo da revista "IndicaMais", para escrever uma coluna sobre literatura.

A revista "IndicaMais", é uma publicação realizada em Araraquara/SP.

Na página editorial, Márcio Cabral esclarece que a revista modificou e aprimorou o formato e que traz informações sobre moda, beleza, meio social, música, saúde e história. Ou seja, a revista pode agradar pessoas com diferentes gostos e inquietudes.

A revista pode ser lida no: http://www.youblisher.com/p/1080578-Edicao-80/




Capa da revista "IndicaMais" de Araraquara/SP
03/03/2015 - 08:53
  RSS  
Fui convidada pelas poetas Elieder Correia da Silva para participar de uma corrente poética nas redes sociais, com o objetivo de divulgar poesias e autores.

Na continuação alguns desses poemas:


Simples, banal e cruel

O amor que trago no peito
é inteiro até fatal
É amor com jeito
de ser paixão ideal
Acreditem!
Tem defeito
Porque toda paixão é igual
Toda paixão rasga o peito
quando chega ao final.
Elieder Corrêa da Silva

Quadro de Carlos Zemek.
Quadro de Carlos Zemek.


CINZEL POÉTICO
caminhos
sinuosos
tortuosos
escadas
e fossos
subida
e descida
escalada
e derrocada
catedral de cristal
campanário silencioso
um passeio outonal
pelas ruas escuras
da alma debruçada
sobre as palavras
criando estratagemas
para aprimorar um poema
Isabel Furini Textos - Quadro de Carlos Zemek



ARABESCOS

Madrugada,
A cortina imóvel.
Na parede, arabescos de rendas
Desenham sombras.

Vanice Zimerman



Remova as dores da alma, as incertezas,
dê um colorido a tua vida, sinta a leveza.
Busque onde deixou tua alegria e o teu riso de volta.
Renove, reconstrua e acredite nos teus sonhos.
Pepita de Oliveira



ILUMINURA

Nas descomposturas do tempo
uma agulha muito fina
alinhavou minh'alma
no lombo do vento
com um ponto tão apertado
que sufocou meu sétimo sentido
ouvi então
uma espécie de gemido
tinha horas parecia Drummond
noutras Cecília
e as loucuras de Rimbaud.
Baudelaire ficava de longe
negaceando meus instrumentos
então tomei da paleta
transcendido de um universo
de cores
das flores criei o avesso.
Manoel-de-barro
me emprestou
um pouco do seu
comecei a modelar-me
virei árvore pássaro pedra
encontrei a quintessência.

Essa luz me completa.
Renato Ostrowski



Este poema pode morrer no final desta linha,
entretanto, existem os olhos que o reconhecem.
Felizes são os versos que não existem em vão.
Do espiral do DNA ao mesmo alcance
do espiral que paira no cosmos.
A poesia é a escada para o infinito.
E unir duas paralelas... é um feito prá lá de bonito.
Juliana Erthal






EL ESPEJO ROTO:

SOLO UNA VEZ GRITO, PARA MORIR...
QUE SUEÑOS HECHO AÑICOS YACERÁN
EN TU HERMOSURA DE NÁCAR Y JAZMÍN.

SI TUS FRÁGILES ALAS DESGARRO
LA TORPE MANO QUE TE PUSO FIN
MÍTICO MALEFICIO DESPERTÓ.

ASÍ MI CORAZÓN QUEBRADO VA
COMO EL ESPEJO QUE MURIENDO ESTA
EMPECINADO AUN EN DESLUMBRAR.

Sonia Andrea Mazza

01/03/2015 - 09:33
  RSS  
COMO ESCREVER E PUBLICAR UM LIVRO

Objetivos: Incentivar a leitura e a escrita, valorizar a criatividade e a criação literária. Estudos de gêneros literários e técnicas de ficção. Como criar personagens marcantes. Ambientação. Análise da linguagem literária. A estrutura do livro de ficção.



Conteúdo Programático:

1º aula – Introdução: Orientações dos grandes mestres da literatura. Escrever é arte ou técnica? - Prática: Escrita criativa.
2º aula – Como trabalhar e analisar o texto. Os elementos da composição literária. Prática: O baú da mente.
3º aula – Como reconhecer os gêneros literários. Qual é a função da literatura? - Prática: Intertexto.
4º aula – 7 segredos dos grandes mestres da literatura. Prática: Utilização das técnicas.
5º aula – Leitura de contos de autores consagrados: técnica e mensagem. Prática: a força da mensagem.
6º aula – Literatura na atualidade. Conto e crônica e suas peculiaridades. Prática: Escrever uma crônica.
7º aula – Personagens marcantes: Como escolher nomes. A questão dos retratos. As "marcas" dos personagens. Prática: Criação de personagens.
8º aula – Ótica dos personagens. Como contar uma história? Prática: Conto retratista.
9º aula – O tempo. Abordagem clássica e abordagem contemporânea. Prática: Tempo.
10º aula – O espaço como revelador, propulsor e obstaculizador da ação. Prática: Descrição de ambiente.
11º aula – Como estabelecer o ponto de vista e fortalecer o enredo. Como o ponto de vista filtra as cenas. Mudanças. Prática: enredos entrelaçados.
12º aula – A questão dos diálogos. Leitura de textos de autores consagrados. Prática: diálogos.
13º aula – O Romance contemporâneo - o trabalho de construção e desconstrução de textos. Prática: Técnica dos sentidos.
14º aula – Leitura e análise de textos. Os grandes mestres da literatura. Prática: entrelaçamento de ideias.
15º aula – Como preparar o livro para ser analisado por uma editora? Prática: organização de material.
16º aula – A questão do ritmo da narrativa e o problema de estética na literatura. Isomorfismo. Prática: Escrever um conto iniciando com uma palavra abstrata.

Professora: ISABEL FURINI
Inscrição: R$ 35,00
Data: Início dia 05 de Março de 2015.
Horário: 17h30 às 19h30
Preço: R$ 280,00 (mensalidade)
Dia(s) Semana: 5ª feiras
Local: Solar do Rosário
INFORMAÇÕES: (41) 3225-6232
26/02/2015 - 08:24
  RSS  

Outorgado à Michelle Zanin, presidente da Academia de Letras de Araraquara, o grau honorífico de Comendadora do Conahcla Coninter. Michelle recebeu essa honraria "por sua capacidade profissional e ética, além do espírito de fraternidade que dignifica e promove a qualidade de vida do ser humano.¨

Michelle Zanin agradeceu emocionada: "Agradeço o título, que mostra o trabalho honesto feito por todos nós."

O Conahcla Coninter é um conselho "de pessoas de boa vontade, em sua maior parte é formado por artistas e escritores" e que seu Senado Acadêmico "tem a grande missão de aconselhar e orientar pessoas envolvidas e inseridas na Tríade Acadêmica - Ciências, Letras e Artes".

"O Conahcla foi criado com o intuito de capacitar, credenciar, reconhecer e honrar cientistas, poetas, escritores, artistas plásticos, dançarinos, atores, comediantes e demais manifestações das ciências, letras e artes. Enfim, foi criado para honrar a coroa da criação, a saber, o ser humano", completa.

O conselho só nomeia delegados senadores culturais e comendador(a)"mediante exaustiva análise curricular e sob indicação de alguém que já pertença ao seu quadro acadêmico".

É importante destacar que esse título foi registrado no Ministério da Cultura pelo CONINTER - Conselho Internacional dos Acadêmicos de Ciências, Letras e Artes

25/02/2015 - 00:51
  RSS  

Crianças Roubadas (editora Instituto Memória), livro de contos de Neyd Montingelli, contêm quatro trabalhos com personagens, lugares e tramas fictícias. As histórias se assemelham aos vários casos reais de sequestro envolvendo a astúcia dos bandidos e o trabalho incansável da família e da polícia em busca de um possível final melhor e feliz.

Os personagens se emaranham em tramas idealizadas por bandidos inescrupulosos que parece impossível acabar. O desenrolar das histórias não demonstra como ela irá terminar. Mas o leitor se surpreenderá!

Cada conto uma história, um drama, uma trama diferente, mas o sentido é sempre o mesmo: um bem precioso é roubado, vendido, trocado. Quem paga por isso? Quem é culpado? O que fazer para que isso não aconteça na nossa casa? Pense, reflita, veja os exemplos. Portanto, guarde o seu tesouro.

Neyd Montingelli é autora de livros de contos e de crônicas. Elas já participou em mais de 30 livros com trabalhos de diferentes gêneros literários: conto, poesia e crônica.

Escritora Neyd Montingelli.
Escritora Neyd Montingelli.
22/02/2015 - 09:49
  RSS  
Hoje encerra a exposição "Anjos e Arcanjos" no MASAC (Museu de ARte Sacra de Curitiba), Igreja da Ordem, do Centro Histórico de Curitiba.

Na exposição, foram reunidas obras de artistas com diferentes técnicas. Eles tiveram liberdade para realizar os seus trabalhos. Nossa convidada especial, a premiada artista plástica Neiva Passuello, fez uma releitura dos Anjos da pintura a óleo sobre madeira "Ressurreição de Cristo", do mestre do Renascimento italiano Rafael Sanzio. A exposição também mostrará obras de Celia Dunker, Celia Rosa, Carlos Zemek, Ivani Silva, Katia Velo, Sirlei Holmstrom e uma instalação de Vanice Ferreira.

Willians Mendonça no MASAC.
Willians Mendonça no MASAC.


Os poetas uniram a pesquisa sobre anjos e as emoções que a palavra Anjos desperta neles. Os trabalhos de Arte digital complementaram as mensagens. Participam, entre outros, os poetas: Arriete Rangel de Abreu, Carlos Muniz, Isabel Furini, Helena Gomes, Leonardo Valiati, Marina Carraro, Neyd Montingelli, Susana Arceno Silveira e Willians Mendonça.

A curadoria é de Carlos Zemek, na abertura foi também lançado o livro Anjos e Arcanjos contendo os poemas expostos no MASAC.

O curador Carlos Zemek, e as poetas Arriete Rangel de Abreu, Helena Gomes e Isabel Furini
O curador Carlos Zemek, e as poetas Arriete Rangel de Abreu, Helena Gomes e Isabel Furini

Os poetas Carlos Muniz, Marina Carraro e Isabel Furini na abertura da exposição.
Os poetas Carlos Muniz, Marina Carraro e Isabel Furini na abertura da exposição.

A poeta Susana Arceno Silveira na abertura da exposição Anjos e Arcanjos.
A poeta Susana Arceno Silveira na abertura da exposição Anjos e Arcanjos.
19/02/2015 - 22:52
  RSS  
Ricardo Pozzo - foto divulgação.
Ricardo Pozzo - foto divulgação.

Nosso entrevistado é Ricardo Pozzo, quem tem o lançamento do livro ""Alvéolos de petit pavê" agendado para 03 de março no Wonka Bar, em Curitiba.

Ricardo Pozzo, é poeta, tradutor, músico e fotógrafo nascido em 1971 na Argentina e radicado na cidade de Curitiba. É o organizador do Vox Urbe, as noites de poesia que ocorrem toda terça-feira às 22h no Wonka Bar em Curitiba, colaborador do Jornal RelevO. Também podemos encontrar alguns de seus poemas nos sites literários Cronopios e Germina Literatura.

*Ricardo seu livro de poesia "Alvéolos de petit pavê", que sairá pela editora Patuá é um projeto que envolve novos e antigos poemas de sua autoria?
Alguns poemas foram escritos antes dos 20, mas a maioria é recente.

*E o que mudou nesse tempo?
Ah! Tenho ficado mais maduro como poeta. Oaprendizado poético é muito lento, mas profundo, há de se ter a humildade e a benção de poder estar sempre aprendendo inclusive a ser mais sutil. De usar com subtileza as palavras que revelam a ideia.

*Ricardo, como você define sua poesia?
É difícil e definir, é poesia urbana-social mas pode derivar também tornar-se mais lírica ou mais intimista.

*Falemos um pouco da construção dos poemas: Qual é ponto de partida para escrever um poema?
Meu ponto de partida é, geralmente, uma ideia. Mas, às vezes, os poemas podem também surgir a partir de uma imagem que chama minha atenção na rua. O processo criativo é lento, escrevo e reescrevo muitas vezes, até muito tempo depois de terminado o trabalho, pois sinto a necessidade de aprimorar cada verso. Raras vezes o poema sai de uma vez só.

*Como se definiria como poeta?
Sou um poeta que continua em profundo aprendizado – escrever é um processo de auto aperfeiçoamento.

*Neste momento que o livro está com lançamento agendado, qual é a sua expectativa? O que espera do primeiro livro?
Espero que os leitores leiam e critiquem - que o livro seja esmiuçado.

*Como definiria a mensagem de "Alvéolos de petit pavê" ?

É um livro que fala a respeito do mistério da experiência humana frente ao controle do seu lado selvagem.

Ricardo Pozzo, Batista de Pilar e Gerson Guerra.
Ricardo Pozzo, Batista de Pilar e Gerson Guerra.


Na continuação um poema de Ricardo Pozzo:

Alvéolos de petit pavê


Um drone observa-me
por entre alvéolos de petit pavê
na cidade tipo exportação
feita pra ninguém

E meu irmão,
que encontra-se jogado
para fora do espetáculo
saca de vísceras instituídas em álcool,

lamenta que a vida é rinha
sem saída;
e a infância invisível,

tal qual o mendigo,
por entre alvéolos de petit pavê.

***

SERVIÇO
Livro: Alvéolos de petit pavê
Autor: Ricardo Pozzo
Gênero: Poesia
Número de Páginas: 100
Formato: 14x21
Editora: Patuá
Preço: R$ 35,00 + frete (Livro em pré-venda. Entrega após o lançamento, em fevereiro)
O LANÇAMENTO será realizado dia 03/03 (terça-feira) a partir das 19h no WNK Bar - Rua Trajano Reis, 326 - Curitiba - PR

A entrada para o evento será de R$ 8.00 e o livro estará à venda por R$ 35,00 (pagamento em dinheiro ou em cheque).
18/02/2015 - 02:30
  RSS  


Tive a honra de ser convidada do mês da revista eisFluência de Literatura do mês de fevereiro e foram publicados nessa revista dois poemas de minha autoria e o conto "Os Portões".

A organizadora é a poeta Carmo Vasconcelos. Nesse número foram convidados poetas e escritores de vários países. Destacamos, entre outros interessantes textos: "Amor doentio" por Cláudia Banegas, de São Gonçalo, RJ; RAÚL & FLORBELA, por João Garção de Portalegre, Portugal; "Con la lira de Orfeo", por Irene Mercedes Aguirre, de Buenos Aires, Argentina; "Meu quintal" de Luiz Eduardo Caminha, Florianópolis, Brasil; "As Letra de Caetano Veloso", Poema-Homenagem por Silas Corrêa Leite, de São Paulo, Brasil; "No mundo dos sonhos", por Carlos Zemek.

A revista pode ser lida gratuitamente no site: http://www.carmovasconcelos-fenix.org/revista/eisFluencias/eisFluencias_Fev_2015_5_33.htm


16/02/2015 - 17:41
  RSS  
Nossa entrevista é Carmo Vasconcelos, escritora, poetisa, declamadora, tradutora, revisora literária e divulgadora cultural. Uma mulher que dedicou a sua vida ao trabalho literário. Carmo nasceu em Lisboa (Portugal), onde reside. É autora de vários livros – romance, ensaios, poesia – e detentora de vários prêmios e menções honrosas em Portugal e Brasil. É Directora Cultural da Revista eisFluência e das Antologias LOGOS do seu site FÉNIX (Portugal) , Chanceler Cultural para Lisboa/Portugal, do M.U.C. – Taubaté- Brasil, Diretora-Adjunta e Coordenadora Cultural Nacional para Portugal da Revista Litteramundo do MUC, Membro Vitalício da International Writers end Artists Association – IWA, Toledo, Ohio, USA.
Carmo, quando surgiu seu interesse pela literatura?

C.V. – Cedo se manifestou em mim, o amor pelas letras, principalmente através da leitura. Ainda muito jovem, num tempo em que não havia TV nem Computador, desde os clássicos aos contemporâneos, prosadores e poetas, eram os meus companheiros preferidos. E jamais esqueço a literatura que marcou a minha adolescência: dos estrangeiros, Stefan Zweig, Emile Zola, Françoise Sagan, Alberto Moravia, Stendhal; dos portugueses, Eça de Queiroz, Almeida Garrett, José Régio, Camões, Antero de Quental, Florbela Espanca, Camilo Pessanha, entre outros. Mais recentemente, detenho-me mais na literatura de cariz espiritualista e comportamental: Unamondo, Tagore, Kipling, Hermann Hesse, Montaigne…

Poetisa Carmo Vasconcelos
Poetisa Carmo Vasconcelos



Cite, por favor, cinco livros que você ame e fale um pouco deles.

C.V. – Cinco livros que eu ame, só? Mas eu amo todos… Rsss. Cito alguns: "Siddartha", de Hermann Hesse; "A Busca do Graal", de Earte Motte; "Amor e Pedagogia", de Miguel de Unamuno; "A Casa e o Mundo", de Tagore; "Ensaios", de Montaigne.

Falar deles seria exaustivo. Melhor lê-los.



Você é vice-presidente da revista virtual "eisFluências", como foi o início da revista, quem escolheu o título e qual é o significado de eisFluências?

C.V. – Não sou vice-presidente da Revista eisFluências porque não temos essa designação na nossa ficha técnica. Sou a Directora Cultural desde o início da Revista há 5 anos (Outubro de 2009) .Cabe-me a busca e selecção dos autores, os contactos, a escolha dos textos, enfim, todo o intercâmbio necessário para a produção e edição literária. O início da Revista foi quase uma brincadeira que foi prosseguindo depois como um desafio, e hoje é um dever para com todos os escritores e poetas que em nós acreditam e que gentilmente nos confiam os seus trabalhos literários. A ideia foi construída em conjunto com um casal de escritores e poetas amigos, residente no Recife (Victor Jerónimo e Mercedes Pordeus). Morando eu em Lisboa, podíamos reunir autores brasileiros e portugueses, o que daria (e deu) lugar a uma Revista Cultural luso-brasileira. Conversamos e, depois de várias sugestões, assentamos no nome escolhido por mim (isto, para responder à sua pergunta de quem escolheu o nome). O significado de "eisFluências" é pois como uma apresentação de oferta aos leitores (eis) dos vários sentires e inspirações que fluem dos autores (Fluências).


Quais são os projetos da área de literatura para 2015.

C.V. – Bem… 2015 mal acabou de nascer. De momento, pretendo apenas intensificar este nosso trabalho de divulgação de autores, talvez com novas iniciativas. Quanto às minhas obras pessoais, elas ir-se-ão desenhando ao ritmo da inspiração do momento. Mais tarde, talvez um livro da minha obra completa.

Carmo, por favor, fale sobre seu trabalho literário.

C.V. – Meu trabalho literário foi-se desenvolvendo a par e passo, a um ritmo cadenciado e natural comparável aos ritmos da natureza inerentes a cada ser. Sempre amante das letras, aprofundei a língua portuguesa e, lateralmente, as línguas francesa e inglesa. Mais tarde, dediquei-me à tradução e revisão literária de vários autores portugueses e estrangeiros. Isto, a nível de trabalho profissional. Quanto à minha escrita pessoal, foi-se desenvolvendo, oculta e silenciosa, a um nível interior, semelhante a um bolbo subterrâneo que só aparece à superfície quando finalmente está maduro. Ou, como o lento e misterioso caminho da crisálida a borboleta que, por fim, abre as asas e voa. Como digo no meu pequeno poema: "Para tudo um tempo certo/o momento inadiável/a pétala que cai fatigada/o fruto que tomba maduro/o poema que irrompe/definitivo.".

Embora a prosa me seja cara também – escrevi até um romance em 2 volumes: "O Vértice Luminoso da Pirâmide" e vários ensaios de cariz místico/filosófico – a minha paixão centra-se na poesia, com um livro de poemas editado em papel no ano 2000 e, posteriormente, 19 livros de poesia digitais. Todos patentes no meu site FÉNIX, bem como a minha biografia, publicações, traduções, etc., em:

http://www.carmovasconcelos-fenix.org/CV-indice.htm

Carmo Vasconcelos
Carmo Vasconcelos


Hoje, após 18 anos de escrita e divulgação pessoal, sigo as mesmas paixões literárias pela leitura e pela escrita, divulgando outros escritores e poetas através da Revista eisFluências, das Antologias LOGOS, das Colectâneas de Arte e Literatura (individuais) e, recentemente, da Revista "Litteramundo" do Movimento União Cultural (do Brasil) que, em conjunto com o meu marido, Henrique Lacerda Ramalho (ele é o Web Designer das nossas edições), fazemos gratuitamente por amor às Letras e outras Artes e também aos prezados autores. Todas alojadas no nosso site FÉNIX. (ver no mesmo link acima)

http://www.carmovasconcelos-fenix.org
14/02/2015 - 13:48
  RSS  
Miguel Sanches Neto comentou que: "Em março de 2012, começava a surgir o romance A SEGUNDA PÁTRIA, que a Intrínseca lança agora em março, exatamente 3 anos depois. Neste meio tempo, parei de fazer crônica e crítica para concentrar-me neste projeto."

Miguel Sanches Neto - Foto divulgação
Miguel Sanches Neto - Foto divulgação


O livro já foi anunciado no site da editora, com uma breve explicação: "O que aconteceria se Getúlio Vargas tivesse declarado seu apoio aos nazistas e não aos Aliados durante a Segunda Guerra Mundial? Este é o mote de A Segunda Pátria, novo romance do escritor paranaense Miguel Sanches Neto, que chega em 18 de março às livrarias pela Intrínseca.

No cenário alternativo criado pelo autor, o país se alinha com o Eixo e, como parte do acordo, é estabelecido que os estados do sul, com grande presença de descendentes de alemães, podem pôr em prática os princípios do nazismo, como o racismo, o antissemitismo e a eugenia.

Em Blumenau, à medida que a saudação Heil Hitler se torna corriqueira, o engenheiro Adolpho Ventura convive atônito com o progressivo cerceamento de sua liberdade. Seu crime é ser negro e pai de uma criança mestiça. Na mesma cidade, desenrola-se a trajetória de Hertha, jovem sedutora que encarna todos os predicados da superioridade ariana. A ela é confiada uma misteriosa missão.

Com violência e sensualidade, Miguel Sanches Neto revela uma paixão proibida, enquanto subverte os fatos para criar um Brasil que não está nos livros de história, mas nem por isso deixa de ser assustadoramente plausível."
Editora Intrínseca.

Novo livro de Miguel Sanches Neto
Novo livro de Miguel Sanches Neto
< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
PUBLICIDADE