Falando de Literatura - Isabel Furini
31/10/2014 - 08:02
  RSS  
Domingo, 09 de novembro, a partir das 11 horas, será a abertura da exposição de Arte e Poesia "Anjos e Arcanjos" no MASAC (Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba), na Igreja da Ordem, com curadoria de Carlos Zemek. Entrada franca.

A exposição reunirá pinturas, instalação, arte digital, poesia e declamação. As artes, sempre irmãs, proporcionam estímulos estéticos para os diferentes sentidos e para a alma.

Os poemas serão ilustrados com Arte Digital de Carlos Zemek. Cinco declamadores proporcionarão suas vozes aos poemas.

A convidada especial é Isadora Ribeiro, atriz de teatro e TV, Isadora foi especialmente convidada para o evento e aceitou porque ama a literatura, especialmente a poesia. Sua filha, a jovem Maria Sampaio é romancista, autora do livro "Vicentinho". Isadora sempre foi muito ligada às artes, especialmente ao teatro, mas também à poesia.
Isadora Ribeiro no Bondinho dos Livros, em Curitiba.
Isadora Ribeiro no Bondinho dos Livros, em Curitiba.


Também foram convidadas as poetas e declamadoras Maria W. Prado e Gisele Borges, que participaram do Concurso de Declamação Poetizar o Mundo em 2014, e conquistaram o 2º e 3º lugares.

Helena Maria W. Gomes, escritora e poeta que participa do livro "Anjos e Arcanjos" que será lançado no evento, e Newton Clovis, apaixonado pela literatura, já publicou livros técnicos e agora está inciando na área literária e escrevendo um romance.
29/10/2014 - 14:47
  RSS  
O escritor paranaense Miguel Sanches Neto lança nesta quarta-feira (29), às 19 horas, no Centro de Apoio da Viação Campos Gerais, o livro de crônicas "Uma outra pele". É o primeiro de sete volumes que compõem o projeto Crônicas Reunidas, aprovado pelo Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, e pela Fundação Municipal de Cultura, através da Lei Bepe. O livro tem o patrocínio da Viação Campos Gerais. O projeto foi organizado pela ABC Projetos.

"Uma outra pele" traz textos sobre o ato da leitura. "Uma parede forrada de livro é uma outra pele para quem lê, uma pele que nos protege do mundo, mas que também nos comunica com ele. Falo do meu cotidiano de leitor, mas falo também sobre livros e autores que valorizam a leitura. É uma espécie de consagração do ato de ler", define Sanches Neto.

As 37 crônicas que compõem o livro foram produzidas a partir de 1994, para revistas e jornais do Brasil todo – Gazeta do Povo, A Notícia, Jornal da Tarde, Rascunho, entre outros. O autor explica que nunca escreveu crônicas para guardar, todas foram feitas para um lugar específico.

Da tiragem de 2000 exemplares, 1400 livros serão destinados para todas as escolas das redes municipal e estadual de ensino de Ponta Grossa, para as bibliotecas do Paraná, através do programa Biblioteca Cidadã e para projetos de leitura, como o Pegaí, que disponibiliza gratuitamente livros à comunidade.

Sanches Neto revela que o projeto tem grande importância na sua trajetória como escritor. "Ele está permitindo que eu organize as centenas de crônicas dispersas em veículos de comunicação, e que não estão mais disponíveis para a leitura. É uma forma de permitir que os leitores possam ver a evolução do estilo e as temáticas preferenciais do escritor", assinala.

A assessoria de comunicação da Viação Campos Gerais revela que o projeto foi selecionado para receber o patrocínio da empresa através da Lei Rouanet pela ligação direta com a cidade e pela valorização e reconhecimento da produção ponta-grossense.
Outros dois livros da coleção Crônicas Reunidas devem ser lançados ainda neste ano. O projeto ainda está em fase de captação de recursos para viabilizar a publicação dos outros quatro volumes previstos.

29/10/2014 - 07:47
  RSS  
Peça baseada em livro de Zíbia Gasparetto estreia em Curitiba

Em cartaz há 19 anos no Brasil, "O Amor Venceu" será apresentado no Teatro Regina Vogue.


Um dos maiores sucessos literários de Zíbia Gasparetto, "O Amor Venceu", poderá ser visto no teatro. A peça que está em cartaz há 19 anos no Brasil, será apresentada pela primeira vez em Curitiba nos dias 5, 6 e 7 de novembro no Teatro Regina Vogue.

A adaptação foi feita por Renato Modesto (Prêmio SESI de Dramaturgia de 1996) e a direção está a cargo de Lucienne Cunha. "O Amor Venceu" trata de uma história real, extraída dos entrechoques constantes que a autora presenciou. A montagem já teve apresentações em mais de 300 cidades e foi assistido por mais de um milhão de pessoas.

O espetáculo vai ao encontro dos anseios e expectativas do ser humano, mexendo com as emoções através da história de amor de quatro jovens. Passa-se no Egito Antigo (1.200 a.C.), nas terras do Faraó, onde os personagens ora senhores, ora escravos, encontram-se entre prazeres e dificuldades pela vida, tentando resgatar a sua verdadeira existência.

Em uma grande festa, Pécos é promovido ao cargo de General Supremo agraciado pelo Faraó com a Grã-Pedra Opalina e com duas escravas. Solimar herdou de seu pai os conceitos sobre as leis que regem a vida do homem na terra. Nalim, sendo em suas terras uma nobre, não se conforma em se tornar uma escrava e alimenta a ideia de retornar a seu país e poder vingar-se de Pécos.

Jasar, irmão de Pécos, que por muito tempo esteve fora estudando os segredos do universo, retorna e traz consigo o tio Osiat e a bela prima Otias. Um atentado coloca a vida de Pécos em risco, mas sobrevive graças aos aprendizados do irmão Jasar e da dedicação de Solimar, que encontra em Jasar um grande amigo, não demorando para que essa amizade se transforme num grande amor. Porém, Solimar vê suas esperanças acabarem quando Osiat pede, em seu leito de morte, que Jasar case-se com Otias.


FICHA TÉCNICA: Autoria Zíbia M. Gasparetto - Adaptação Renato Modesto
Locução: Paulo Goulart - Direção: Lucienne Cunha


ELENCO: Valdir Ramos, Lucienne Cunha, Luana Gonçalves, Alexandre Carlomagno, Amanda Lima, Roberto Rocco, Paulo Perez, Neviton de Freitas, Débora Muniz, Renato Valentte, Paulo Pereira

Serviço:
Dias 5, 6 e 7 de novembro, às 20h30
Ingressos: R$ 30,00 (antecipado e meia entrada)
Teatro Regina Vogue
Shopping Estação, 2º Piso
Av. Sete de Setembro - Rebouças
Telefone: (41) 2101-8292
Classificação livre
28/10/2014 - 12:04
  RSS  
DO TERCEIRO ANDAR
( na rua Visconde de Faria )


... espio a rua
e ninguém passa...
(é só neblina, é só fumaça)
Colho
o brilho frio da lua
e me recolho.
Dentro de mim
fecho a vidraça.

Valdir Alvarenga

Valdir Alvarenga é poeta santista, autor de três livros: Plenilúnio, Pequeno Marginal e Autógrafo. Co-editor da revista literária Mirante.

Fotografia de Isabel Furini
Fotografia de Isabel Furini
27/10/2014 - 22:54
  RSS  
AMOREXIA encena histórias de amor e suas facetas tragicômicas.

O espetáculo estreia no dia 31 de outubro, 20 horas, no Teatro Sesi Portão, em Curitiba.

"É um espetáculo intenso, que passeia entre a metáfora e a poesia, mostrando o que existe por trás de histórias trágicas, mas sem perder o cômico".

Quatro textos em cena , e quatro histórias contadas a partir do trágico e cômico lado do amor.

O espetáculo AMOREXIA, que estreia no próximo dia 31 de outubro no Teatro Sesi Portão, Curitiba, o primeiro inteiramente realizado e produzido por Thadeu Peronne Produções, apresenta para o espectador histórias de amor que pulsam e refletem os relacionamentos da sociedade.

Com textos de Douglas Daronco ("Desejo", "Da natureza dos peixes", "Ferida", "As Cegas" – e trechos de "Vazio"), a montagem "propõe uma viagem pelo estranho e até bizarro mundo dos relacionamentos humanos, convidando a um (re)conhecimento das diversas faces do amor", explica o diretor Thadeu Peronne, que também atua na peça.

Além de Peronne, quem conta essa história, que não tem ponto de partida ou chegada, são os atores Marcelo Jorge e Ana Paula Taques. Eles vivem e narram histórias, que dialogam entre si e com o público, às vezes provocando e instigando a plateia a se desfazer de preconceitos para apreciar a montagem teatral em toda sua potencialidade.

O espetáculo marca também o reencontro dos três atores (Thadeu, Ana Paula e Marcelo), que estiveram juntos entre 1997 e 1999, na premiada montagem "SOLTE O BOI NA RUA" dirigido por Ailton Silva Carú e que viajou por todo o Paraná e São Paulo. A atmosfera de AMOREXIA, inspirada nos antigos cabarés, se mistura com as correntes do Teatro de Vaudeville, Circo de Horror e Surrealismo, que trazem ao espectador também uma reflexão sobre a arte e a vida humana. "É um espetáculo intenso, que passeia entre a metáfora e a poesia, mostrando o que existe por trás de histórias trágicas, mas sem perder o cômico".

Fazendo também um paralelo com o próprio teatro, o grupo convida a cada espetáculo um artista diferente, com a proposta que o público aprecie o teatro, como espaço e realização, enquanto ele ainda existe.

SERVIÇO:

AMOREXIA Com Marcelo Jorge, Ana Paula Taques, Thadeu Peronne. Direção de Thadeu Peronne. Texto de Douglas Daronco. Data: De 31/10 a 23/11, de quarta-feira a domingo. Horários: 20h. Aos sábados e domingos, às 18h e 20h

Local: Teatro Sesi Portão - R. Padre Leonardo Nunes, 180 - Portão

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada) Classificação: 14 anos

Informações: (41) 3271-8450 ou (41) 9636 2133.
26/10/2014 - 18:38
  RSS  
Iniciará nesta quarta-feira, 22 de outubro, 17h 30m, a oficina Como Escrever Crônicas, no Solar do Rosário, rua Duque de Caxias, 04, Centro Histórico de Curitiba (antigo Largo da Ordem).

O curso é especial para iniciantes na área - todas as pessoas que desejam escrever as histórias escondidas na mente. Aos que desejam explorar a escrita e conhecer os fundamentos da crônica.

METODOLOGIA

. Estudos.
. Leitura, análise e discussão de crônicas
. Exercícios de escrita.
. Leitura dos textos escritos na oficina.


PROGRAMA
I.- a) Estudos: A crônica. Estrutura e modalidades. O escritor como receptor e emissor. O baú da mente. Como explorar palavras, situações e imagens para aumentar a criatividade.

b) Leitura de uma crônica de autor consagrado com análise e debate.

c) Exercício: escrever uma crônica baseado em imagens.

d) Leitura dos textos escritos na oficina.


II.Estudos: Ponto de vista. Construção de personagem. Construção de personagens: retrato, ações e diálogos na crônica.

b) Leitura de uma crônica de autor consagrado. Análise e debate.

c) Exercício: escrever baseado em vivências.

d) Leitura dos textos escritos na oficina.


III.Estudos: A crônica como gênero ágil, divertido e questionador. A mensagem. Modalidades. A crônica como espelho do mundo.

b) Leitura de uma crônica de autor consagrado. Análise e debate.

c) Exercício: escrever baseado em vivências.

d) Leitura dos textos escritos na oficina.


Professora: ISABEL FURINI

Data: 29 de outubro e 05 e 12 de novembro 2014
Horário: Das 17:30h às 19:30h
Inscrição: R$ 35,00 - Preço: R$ 280,00
Dia(s) Semana: Quartas-feira

25/10/2014 - 10:54
  RSS  
Recebi e-mail de uma leitora que gostaria de conhecer meus poemas premiados. Obrigada, Lúcia, pelo e-mail. Esses poemas já foram divulgados na internet, mas vou reunir os que ganharam 1º, 2º e 3º lugares, e deixarei os 8 poemas que receberam Menção Honrosa para outra oportunidade. Como dizia muito bem o escritor uruguaio Horacio Quiroga: "Não abuse do leitor". Na continuação meus poemas premiados seguindo ordem cronológica:


O POETA

Sonha com poemas
e acorda na noite,
escrevendo com os dedos
versos no ar.

Adora
navegar sobre ondas de folhas em branco,
velejar nos cadernos novos,
pular sobre areias de palavras,
correr na praia procurando o Verbo.
Livros, cadernos, papéis e mais papéis...

Continua a lutar com ondas indomáveis,
organiza os termos,
mas só ancora no oceano dos sentimentos.
Nesse instante,
o poeta compreende o poder do caos primordial.
Isabel Furini

1º lugar no Concurso de Poesia de São José dos Pinhais, PR, em 2002. Escolhido para o Projeto Leitura no Metro de Belo Horizonte (MG) parceria entre o Programa da A tela e o texto da UFMG e a CBTU - Companhia Brasileira de Trens Urbanos.

*********************

EL GRITO

Yo conosco uma calle
que se alarga y se aleja.

Uma calle desierta,
com ventanas cerradas,

donde tu amor murió
y el recuerdo se agranda.

Tu amor se tornó viento,
huyó al anochecer

recorrió las ciudades
y se fue a esconder

em uma cueva oscura
de uma montaña olvidada.

Um grito dió mi alma
solitária y antigua...

Um grito silencioso,
sin bemoles, sin rima...

fue um grito de angustia
desesperado y triste.

Agonizante grito,
que estremeció la penumbra
Isabel Furini

1º Lugar Poesia Concurso Internacional Missões, Roque Gonçalo/RS - 2005


**************

QUARTO SEM SOMBRA

Esquecido do mundo, Van Gogh pinta.
Seus quadros são cartografia de subterrâneos traumas
tatuados no corpo e nas mãos.

O eu instintivo
(adolescente)
extravasa emoções,
extasia-se nas cores dos trigais,
no voo dos corvos,
nas expressões dos rostos operários,
nas luzes de Arles.

Pinta em um ritmo alucinante,
pinceladas justapostas ganham vida.
Obsessivamente
retrata seu quarto com movimentos compulsivos.
Seu quarto não tem sombras,
ignora-as,
(elas o aterrorizam com suas histórias).

Mas as sombras
tentam entrar pela janela entreaberta.
Espreitam
(invisíveis)
desde as paredes do quarto do quadro do artista.

A loucura perambula pela casa amarela.
Isabel Furini

1° LUGAR - Academia Itapemense de Letras/SC - 2011.

**************************


FOME DE FORMIGA - de Isabel Furini
Esses relógios têm umidade de raízes,
insondáveis como fantasmas,
obsessivos,
compulsivos,
espiam constantemente.
A paisagem esculpe as janelas dos olhos
água de batismo umedece as retinas,
delata tempestades marinhas na escuridão do inconsciente.
A água salgada corre além das rochas,
esse mar, esse mar – quase uma gruta de sonhos.
O destino marca nossas horas – como os relógios moles de Dalí,
as horas do esquecimento e as horas vindouras
até que seja possível descobrir
(atônitos)
que as fatais formigas não mordem um relógio vermelho em um quadro,
elas mordem nossa subjetividade,
atacam nossa singularidade e devoram o queijo Camembert
(já derretido).

Isabel Furini
Esse poema conquistou 1º Lugar no Concurso da Academia Campolarguense de Poesia - 2013.

**************************


KATHARSIS

Curvas de palabras sobre abismos.
Un poema invade mi soledad
deflagrando una catarsis profunda.

Huellas de noches mal dormidas,
alumbradas
con fósforos encendidos por maníacos
ofuscados por la extraña búsqueda
de mariposas de amatista.

Olas de palabras subterráneas
azotan el hierro oxidado del navío de mi vida.
Tempestades inclementes
arrastraron mis horas y mis versos
para el océano de los recuerdos.
Isabel Furini

2º Lugar Revista Katharse - Espanha

****************

GESTAÇÃO POÉTICA

cinzelar algum poema com a cor
do vento do deserto
seco e angular
(como a vida)
olente jasmim selvagem
quase agressivo

cinzelar algum poema como a vida
(amalgama de emoções)
com alegrias, aborrecimentos e paixões
para estar além dos muros
íntegro e puro
em cada verso.
Isabel Furini

2º Lugar Concurso ALEPON (Academia de Letras de Ponte Nova/Minas Gerais)


************************


VINHEDO

Oscila o pêndulo do passado entre cachos de uvas e cantos.

O som da concertina sacode a casa,
a avó viaja até o velho povoado
contemplando as fotografias desbotadas
do álbum.

Do manto das lembranças colhe risos,
beijos, abraços,
o gosto das uvas e o Sol italiano.

3º Lugar no Concurso da Universidade Federal Fluminense - Niterói/Rj, 2011.

25/10/2014 - 00:27
  RSS  
METAMORFOSE

A poeta olha para o papel
Com a caneta na mão e hesita.
Hesita falar sobre tédio
E depressão.
Coisas modernas.
Emoções modernas.
Não se fala em romantismo,
Porque é antiquado.
O amor ficou lá atrás
Em alguma curva do caminho.
E o papel impaciente
Olha para a caneta
E diz:
Não suporto essa metamorfose humana!
E enrola-se em forma de lagarta.
Ruth Ricardo


Ruth Ricardo é formada em Letras, educadora social e poeta.

24/10/2014 - 00:37
  RSS  
Poema Reencontro de Isabel Furini
Quadro de Carlos Zemek - quadro já vendido.




Foto de Isabel Furini
Foto de Isabel Furini

Poema de Isabel Furini.
23/10/2014 - 09:45
  RSS  
Agradecemos aos poetas participantes - o nível dos trabalhos foi muito bom, por isso foi demorada a seleção.

Membros da Comissão julgadora:

Andréia Motta
Jocelino Freitas
Isabel Furini
Vanice Ferreira

NOTA MÁXIMA: 40
A solidão de Caronte: 36 pontos
A Parteira: 34,12
Bebendo Beatles e silêncios: 34
Histórias de enfermagem: 33,10

GANHADORES:

1º Lugar: A solidão de Caronte - Homero Gomes (Curitiba)

2º Lugar: A Parteira - Adenildo Lima

3º Lugar: Bebendo Beatles e Silêncios (George Harrison e eu num bar de Shangri-La).

Menção Honrosa: Histórias de enfermagem no Universo de Cordel - de Onã Silva.

< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
PUBLICIDADE