Falando de Literatura - Isabel Furini
25/10/2014 - 10:54
  RSS  
Recebi e-mail de uma leitora que gostaria de conhecer meus poemas premiados. Obrigada, Lúcia, pelo e-mail. Esses poemas já foram divulgados na internet, mas vou reunir os que ganharam 1º, 2º e 3º lugares, e deixarei os 8 poemas que receberam Menção Honrosa para outra oportunidade. Como dizia muito bem o escritor uruguaio Horacio Quiroga: "Não abuse do leitor". Na continuação meus poemas premiados seguindo ordem cronológica:


O POETA

Sonha com poemas
e acorda na noite,
escrevendo com os dedos
versos no ar.

Adora
navegar sobre ondas de folhas em branco,
velejar nos cadernos novos,
pular sobre areias de palavras,
correr na praia procurando o Verbo.
Livros, cadernos, papéis e mais papéis...

Continua a lutar com ondas indomáveis,
organiza os termos,
mas só ancora no oceano dos sentimentos.
Nesse instante,
o poeta compreende o poder do caos primordial.
Isabel Furini

1º lugar no Concurso de Poesia de São José dos Pinhais, PR, em 2002. Escolhido para o Projeto Leitura no Metro de Belo Horizonte (MG) parceria entre o Programa da A tela e o texto da UFMG e a CBTU - Companhia Brasileira de Trens Urbanos.

*********************

EL GRITO

Yo conosco uma calle
que se alarga y se aleja.

Uma calle desierta,
com ventanas cerradas,

donde tu amor murió
y el recuerdo se agranda.

Tu amor se tornó viento,
huyó al anochecer

recorrió las ciudades
y se fue a esconder

em uma cueva oscura
de uma montaña olvidada.

Um grito dió mi alma
solitária y antigua...

Um grito silencioso,
sin bemoles, sin rima...

fue um grito de angustia
desesperado y triste.

Agonizante grito,
que estremeció la penumbra
Isabel Furini

1º Lugar Poesia Concurso Internacional Missões, Roque Gonçalo/RS - 2005


**************

QUARTO SEM SOMBRA

Esquecido do mundo, Van Gogh pinta.
Seus quadros são cartografia de subterrâneos traumas
tatuados no corpo e nas mãos.

O eu instintivo
(adolescente)
extravasa emoções,
extasia-se nas cores dos trigais,
no voo dos corvos,
nas expressões dos rostos operários,
nas luzes de Arles.

Pinta em um ritmo alucinante,
pinceladas justapostas ganham vida.
Obsessivamente
retrata seu quarto com movimentos compulsivos.
Seu quarto não tem sombras,
ignora-as,
(elas o aterrorizam com suas histórias).

Mas as sombras
tentam entrar pela janela entreaberta.
Espreitam
(invisíveis)
desde as paredes do quarto do quadro do artista.

A loucura perambula pela casa amarela.
Isabel Furini

1° LUGAR - Academia Itapemense de Letras/SC - 2011.

**************************


FOME DE FORMIGA - de Isabel Furini
Esses relógios têm umidade de raízes,
insondáveis como fantasmas,
obsessivos,
compulsivos,
espiam constantemente.
A paisagem esculpe as janelas dos olhos
água de batismo umedece as retinas,
delata tempestades marinhas na escuridão do inconsciente.
A água salgada corre além das rochas,
esse mar, esse mar – quase uma gruta de sonhos.
O destino marca nossas horas – como os relógios moles de Dalí,
as horas do esquecimento e as horas vindouras
até que seja possível descobrir
(atônitos)
que as fatais formigas não mordem um relógio vermelho em um quadro,
elas mordem nossa subjetividade,
atacam nossa singularidade e devoram o queijo Camembert
(já derretido).

Isabel Furini
Esse poema conquistou 1º Lugar no Concurso da Academia Campolarguense de Poesia - 2013.

**************************


KATHARSIS

Curvas de palabras sobre abismos.
Un poema invade mi soledad
deflagrando una catarsis profunda.

Huellas de noches mal dormidas,
alumbradas
con fósforos encendidos por maníacos
ofuscados por la extraña búsqueda
de mariposas de amatista.

Olas de palabras subterráneas
azotan el hierro oxidado del navío de mi vida.
Tempestades inclementes
arrastraron mis horas y mis versos
para el océano de los recuerdos.
Isabel Furini

2º Lugar Revista Katharse - Espanha

****************

GESTAÇÃO POÉTICA

cinzelar algum poema com a cor
do vento do deserto
seco e angular
(como a vida)
olente jasmim selvagem
quase agressivo

cinzelar algum poema como a vida
(amalgama de emoções)
com alegrias, aborrecimentos e paixões
para estar além dos muros
íntegro e puro
em cada verso.
Isabel Furini

2º Lugar Concurso ALEPON (Academia de Letras de Ponte Nova/Minas Gerais)


************************


VINHEDO

Oscila o pêndulo do passado entre cachos de uvas e cantos.

O som da concertina sacode a casa,
a avó viaja até o velho povoado
contemplando as fotografias desbotadas
do álbum.

Do manto das lembranças colhe risos,
beijos, abraços,
o gosto das uvas e o Sol italiano.

3º Lugar no Concurso da Universidade Federal Fluminense - Niterói/Rj, 2011.

25/10/2014 - 00:27
  RSS  
METAMORFOSE

A poeta olha para o papel
Com a caneta na mão e hesita.
Hesita falar sobre tédio
E depressão.
Coisas modernas.
Emoções modernas.
Não se fala em romantismo,
Porque é antiquado.
O amor ficou lá atrás
Em alguma curva do caminho.
E o papel impaciente
Olha para a caneta
E diz:
Não suporto essa metamorfose humana!
E enrola-se em forma de lagarta.
Ruth Ricardo


Ruth Ricardo é formada em Letras, educadora social e poeta.

24/10/2014 - 00:37
  RSS  
Poema Reencontro de Isabel Furini
Quadro de Carlos Zemek - quadro já vendido.




Foto de Isabel Furini
Foto de Isabel Furini

Poema de Isabel Furini.
23/10/2014 - 09:45
  RSS  
Agradecemos aos poetas participantes - o nível dos trabalhos foi muito bom, por isso foi demorada a seleção.

Membros da Comissão julgadora:

Andréia Motta
Jocelino Freitas
Isabel Furini
Vanice Ferreira

NOTA MÁXIMA: 40
A solidão de Caronte: 36 pontos
A Parteira: 34,12
Bebendo Beatles e silêncios: 34
Histórias de enfermagem: 33,10

GANHADORES:

1º Lugar: A solidão de Caronte - Homero Gomes (Curitiba)

2º Lugar: A Parteira - Adenildo Lima

3º Lugar: Bebendo Beatles e Silêncios (George Harrison e eu num bar de Shangri-La).

Menção Honrosa: Histórias de enfermagem no Universo de Cordel - de Onã Silva.

22/10/2014 - 20:04
  RSS  
A IMPORTÂNCIA DA ARTE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
Katia Velo descreveu sua trajetória artística e a importância da Arte

Na última terça (21), nas Faculdades da Indústria – Famec/Fiep (São José dos Pinhais), aconteceu um encontro entre a artista plástica, colunista cultural e professora de Arte, Katia Velo e alunos do Curso de Pedagogia. Inicialmente Katia destacou a relevância sobre o curso, inclusive na área empresarial e a importância do ensino da Arte no mundo contemporâneo. O encontro foi idealizado pela professora Loriane Ferreira (Disciplina de Metodologia do Ensino da Arte).

O objetivo foi aproximar a artista e professora aos estudantes para que futuramente eles possam atuar de maneira mais diversificada e plena. De acordo com Katia Velo este momento foi muito significativo devido à receptividade, atenção, carinho, envolvimento e questionamentos durante e depois da apresentação. "Todos queriam tirar fotos e conversar comigo. Foi um momento mágico e fiquei muito agradecida pelo convite da Loriane" declarou Katia Velo.

Katia Velo destacou ainda sobre o ensino de Arte nas escolas que com qualidade, comprometimento e seriedade, resulta em indivíduos mais seguros e independentes. "Arte não é terapia, mas pode ser terapêutica. Arte não é remédio, mas pode curar. Arte não é muleta, mas dá asas a imaginação. A arte é o ópio da civilização contemporâneo, é um elemento catártico", finalizou.


Katia Velo e alunos do Curso de Pegagodia Famec/Fiep.

Serviço:
Faculdades da Indústria – Famec/Fiep
Endereço: Av. Rui Barbosa, 5881 – Afonso Pena, São José dos Pinhais – PR, 83040-550
Telefone: (41) 3593-1200

Ao centro, Katia Velo e alunas do Curso de Pedagogia Famec/Fiep.
Ao centro, Katia Velo e alunas do Curso de Pedagogia Famec/Fiep.


K A T I A V E L O diretora de comunicação APAP/PR, artista plástica, colunista e professora de arte www.katiavelo.com.br 55 41 8408-6452.
21/10/2014 - 09:24
  RSS  
Em 09 de novembro (domingo) a partir das 11 horas da manhã será a abertura da exposição de Arte e Poesia no MASAC (Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba), no Centro Histórico de Curitiba (Largo da Ordem). O evento também contará com leitura das poesias que fazem parte da exposição e lançamento do livro "Anjos e Arcanjos". Entrada gratuita.

O curador Carlos Zemek reuniu artistas plásticos, poetas e declamadores para um evento especial - festejar os Anjos.

Com a proximidade do Natal as pessoas gostam de reflexões, poemas e imagens angelicais. Carlos Zemek organizou a exposição pensando nessa necessidade de refletir sobre a vida e seus valores. As artes digitais que acompanham os poemas são de sua autoria.

Foram convidados para participar da exposição:
Participarão:

POESIA: Arriete Rangel de Abreu, Carlos Zemek, Carlos Muniz, Isabel Furini, Leonardo Valiati, Helena Maria W. Gomes, Marina Carraro, Neyd Montingelli, Susana Arceno Silveira, Willians Mendonça.

Declamadores: Arriete Rangel de Abreu, Gisele Borges, Helena Maria W. Gomes, confirmados.

ARTE DIGITAL: Carlos Zemek

ARTES PLÁSTICOS: Celia Dunker, Celia Rosa, Ivani Silva, Katia Velo, Sirlei Holmstrom e Vanice Ferreira - Convidada especial: Neiva Passuello.
18/10/2014 - 17:38
  RSS  
Na última quinta (16), das 14h às 16h, no Teatro SESI SJP foi realizada a palestra "A Leitura em Sua Vida", ministrada pela professora e colunista cultural Katia Velo. A palestra foi uma parceria entre as Secretarias de Cultura e Educação com o objetivo de preparar os educadores para a 18ª. edição da Feira Municipal de Livros, a FEMULI, que será realizada entre os dias 4 a 8 de novembro também no Teatro SESI SJP. A FEMULI é uma referência em evento relacionado ao incentivo à leitura. Nesta edição a FEMULI traz o tema "A LEITURA EM SUA VIDA" e contará com a participação de escritores, oficinas, palestras, contação de histórias, apresentações culturais e folclóricas.


"A Leitura em Sua Vida" foi direcionada aos professores e pedagogos da Rede Municipal de Ensino de SJP e teve o objetivo de sensibilizar o público para o tema da FEMULI.

A palestra teve como fio condutor compreender o processo e resgatar o prazer da leitura, pois, de acordo com Katia Velo, a leitura de um bom livro tem um efeito transformador, capaz de fazer uma revolução em nossa forma de pensar e, consequentemente, na nossa maneira de agir. A palestrante destacou que, inicialmente, ao elaborar sua apresentação, havia seguido pesquisas de estudiosos sobre a importância de ler, fez levantamentos empíricos, técnicas de leituras, etc. No entanto, após estes levantamentos, Katia Velo sentiu que não conseguiria sensibilizar a plateia para o principal foco do tema da FEMULI "A Leitura em Sua Vida."Após refletir, mudou radicalmente sua pesquisa e definiu sua palestra pontuando quatro pilares: A IMAGEM EM NOSSAS VIDAS; A NOSSA VONTADE E NECESSIDADE DE OUVIR E CONTAR HISTÓRIAS; A NOSSA NECESSIDADE DE REGISTRAR HISTÓRIAS e A LEITURA EM NOSSAS VIDAS, ou seja, demonstrando que há uma trajetória até chegarmos ao ato da leitura, que segundo ela é ver, contar, registrar e ler.



Na primeira etapa, "A IMAGEM EM NOSSAS VIDAS", a abordagem foi sobre a influência, a qualidade e quantidade de imagens que envolvem a nossa percepção de mundo e de nós mesmos. A palestrante abordou temas relacionados à história da Arte, fotografia, pintura, escultura, cinema, TV e a internet. "Ler é interpretar o mundo através da alma. Ler é viver. Ler é compreender as letras, o comportamento humano, o desenvolvimento científico, a Arte", ressaltou. No tema, "A NOSSA VONTADE E NECESSIDADE DE OUVIR E CONTAR HISTÓRIAS", foi apontado como a mais difundida forma de transmitir cultura e trocar conhecimento e informação. Em seguida, passou para "A NOSSA NECESSIDADE DE REGISTRAR HISTÓRIAS", onde por meio de uma breve linha do tempo dos hieróglifos, a escrita no oriente, a criação da prensa de Gutenberg, a proliferação dos livros impressos e a era digital, Katia demarcou aspectos importantes tanto de livros publicados, quanto dos livros cujo destino foi à destruição. Em "A LEITURA EM NOSSAS VIDAS", exemplificou sobre a magia que acontece no momento da alfabetização, os livros que marcaram nossas vidas, como ser um bom leitor e as vantagens de tornar a leitura um hábito, entre elas, a ampliação do conhecimento geral; a estimulação da criatividade; a capacidade de emocionar e causar impacto, além de desenvolver o senso crítico.
O foco central da palestra foi estimular a busca dos sentimentos mais profundos e íntimos que movem as pessoas a lerem um livro, e este momento pode ter um papel fundamental na vida das pessoas. "O que sabemos nos forma, mas o que desejamos saber, nos transforma", proferiu Katia Velo. Finalizando, Katia lançou um questionamento, fazendo uma pequena interferência ao próprio tema da palestra "Há leitura em sua vida?". O público presente aplaudiu e demonstrou interesse em um breve bate-papo. "Neste momento, sinto que toda a frustração inicial da pesquisa e o árduo trabalho foram recompensados. Estes momentos são fundamentais para nós educadores, pois indubitavelmente há uma troca que só ocorre neste momento, onde a presença física é insubstituível". Declarou Katia Velo.

A professora e artista plástica Katia Velo palestrando.
A professora e artista plástica Katia Velo palestrando.


Katia Velo é diretora de comunicação APAP/PR, artista plástica, colunista e professora de arte www.katiavelo.com.br 55 41 8408-6452
17/10/2014 - 03:03
  RSS  
Estive lá, ontem, na Casa da Doida, da Maluca, sei lá. Era uma casa mesmo,
ao estilo das casas do Rio. Com quadro nas paredes, pinturas de gente que
faz o que gosta. Do lado de fora, as mesinhas com cadeiras, o bom clima,
a conversa saindo solta, os risos e as afinidades.

As pessoas chegavam felizes com expectativas de encontrarem ali, os seus.
Os seus quase familiares, os seus quase iguais, os seus agora, idênticos em
suas paixões. A paixão pela poesia, pela expressão de ser. Entre tantos poetas
e declamadores, um foi meu herói. Se eu pudesse, também votaria nele.

Com um esforço enorme, representava ali com todos os gestos o seu povo. Fugido,
saído da pátria, buscava o ninho perfeito, que acolheu suas imensas saudades do
Haiti, ali na Casa da Doida.

Helena Maria W Gomes
Foto de Arrieta Rangel de Abreu
Foto de Arrieta Rangel de Abreu - Hela Maria W.Gomes declamando o poema de sua autoria.
Hela Maria W.Gomes declamando o poema de sua autoria.

(Crônica inspirada no Concurso de Declamação Poetizar o Mundo, organizado por Isabel
Furini em 15 de outubro, no Restobar Dona Doida, Curitiba).

Helena Maria W. Gomes
16/10/2014 - 10:47
  RSS  
Em 15 de outubro aconteceu o Concurso de Declamação Poetizar o Mundo, no Restobar Dona Doida, em Curitiba.

Declamar é interpretar um poema com voz e gesticulação adequada. Declamar é dar voz e vida ao poema.

Os jurados colocaram nota depois de cada apresentação. As apreciações das declamações não foram unânimes, mas todos os jurados estiveram de acordo no fato importante algumas apresentações foram excelentes.

Foram jurados do 9º Concurso Poetizar o Mundo - Declamando Poemas: Arriete Rangel de Abreu, Carla Ramos, Getúlio Guerra, Jocelino Freitas, Ricardo Pozzo.
Fotografia de Arriete Rangel de Abreu.
Fotografia de Arriete Rangel de Abreu.

Ganhador do Concurso Reginald Elysee.
Ganhador do Concurso Reginald Elysee.

Márcia Maria Wojcichoski Prado, 2º colocada.
Márcia Maria Wojcichoski Prado, 2º colocada.

Foto de Arriete Rangel de Abreu
Foto de Arriete Rangel de Abreu

Gisele do Rocio Borges.
Gisele do Rocio Borges.

Fotografias de Arriete Rangel de Abreu.
Concurso de Declamação Poetizar o Mundo.
Concurso de Declamação Poetizar o Mundo.




As notas foram somadas e os ganhadores foram anunciado por Arriete Rangel de Abreu, mestre de cerimônia do evento: Reginald Elysee 1o. lugar: 8,92 - Márcia Maria Wojcichoski Prado o 2º lugar: 8,90 e Gisele do Rocio Borges o 3º. lugar: 8,86.

O concurso foi uma festa onde se reuniram poetas e artistas.
Arriete Rangel de Abreu.
Arriete Rangel de Abreu.
16/10/2014 - 07:36
  RSS  
Ontem foi o concurso de Declamação Poetizar o Mundo no Dona Doida Restobar, Arriete Rangel de Abreu, criadora do projeto SemeARTE foi mestre de cerimônia e com suas palavras e sua simpatia alegrou o evento. O clima de festa e camaradagem tomou conta do local.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira

Os declamadores escolheram as poesias, a maioria declamou poemas de própria autoria.

Estiveram presentes os jurados: Arriete Rangel de Abreu, Carla Ramos, Getúlio Guerra, Jocelino Freitas e Ricardo Pozzo.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Os jurados do Concurso Poetizar o Mundo - Declamação Getúlio Guerra, Jocelino Fretas e Carla Ramos.
Os jurados do Concurso Poetizar o Mundo - Declamação Getúlio Guerra, Jocelino Fretas e Carla Ramos.



Arriete Rangel de Abreu é poeta, escritora e criadora do Projeto Semearte.

Carla Ramos é poeta, formada em psicologia e uma das declamadoras do grupo "Meninas que Escrevem em Curitiba".

Getúlio Guerra é poeta e coordenador de eventos de Fundação Cultural de Curitiba.

Jocelino Freitas é poeta, organizador de livros de poesia, romancista e advogado.

Ricardo Pozzo é poeta, declamador, fotógrafo, poeta, músico, coordenador do jornal Relevo e curador do Wonka Bar.

Os vencedores foram: Rei Seely (nome artístico de Reginald ELYSEE), Márcia Maria Wojcichoski Prado e Gisele do Rocio Borges.
Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Rei Seely foi o vencedor do Concurso de Declamação.
Rei Seely foi o vencedor do Concurso de Declamação.

Foto de Luid Ferreira.
Foto de Luid Ferreira. - Rei Seely recebeu o troféu.
Rei Seely recebeu o troféu.

Foto de Luid Ferreira.
Foto de Luid Ferreira. - Márcia Maria Wojcichoski Prado conquistou o segundo lugar.
Márcia Maria Wojcichoski Prado conquistou o segundo lugar.

Foto de Luid Ferreira
Foto de Luid Ferreira - Gisele do Rocio Borges conquistou o terceiro lugar.
Gisele do Rocio Borges conquistou o terceiro lugar.

O ganhador do concurso e outros poetas.
O ganhador do concurso e outros poetas.

Rei Seely e convidados.
M. Mafra Souza não participou do Concurso, mas fez leitura de um poema.
M. Mafra Souza não participou do Concurso, mas fez leitura de um poema.

Na foto Isabel Furini com os declamadores Lukas Souza e Vanice Ferreira. Lukas, o mais novo declamador recebeu uma caneca caneca artística.
Na foto Isabel Furini com os declamadores Lukas Souza e Vanice Ferreira. Lukas, o mais novo declamador recebeu uma caneca caneca artística.
< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
PUBLICIDADE