Blog do Lucio Flávio - Lucio Flávio
28/05/2016 - 18:38
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina fez mais um bom jogo e se não fosse as chances desperdiçadas teria saído de Joinville com os três pontos. O ponto conquistado é para ser comemorado, mas na série B são poucas as oportunidades de vencer fora. E o LEC perdeu uma neste sábado.

O Joinville jogou muito pressionado e a torcida cobrou o time o tempo todo. O LEC se aproveitou do nervosismo do adversário e controlou bem o jogo.

O Londrina ainda reclamou de um pênalti não marcado, quando o chute de Rafael Gava pegou na mão do defensor catarinense antes de ir na trave. No contra-ataque saiu o gol do JEC. Juninho marcou aos 37.

A vitória não era justa e o empate veio aos 45. Boa tabela de Igor e Jô, que cruzou na cabeça de Keirrison. Segundo gol dele em dois jogos seguidos.

Na pressão, o Joinville chegou até a encurralar o Londrina nos 15 minutos finais, mas as chances de vencer foram do time londrinense. Gava passou pelo goleiro Oliveira e perdeu gol feito ao chutar em cima do zagueiro.

No lance seguinte, novamente, Gava teve a chance que parou na defesa de Oliveira. O time saiu lamentando as chances criadas e perdidas e a oportunidade de vencer um adversário desorganizado.

Mas, o futebol apresentado dá esperanças. E agora é a hora de deslanchar com dois jogos seguidos em casa: Paraná e Tupi. Vencer no Café será fundamental para subir na tabela.
27/05/2016 - 10:19
Imprimir Comunicar erro mais opções
Mesmo sendo vice-campeão catarinense, o clima não é bom no Joinville, adversário do Londrina, neste sábado, em Santa Catarina, pela quarta rodada da série B.

Nas últimas 10 partidas da temporada, o JEC venceu apenas uma. No Brasileiro, são dois empates e uma derrota. Ocupa a zona do rebaixamento - é o 17º colocado, com apenas dois pontos. Na quarta-feira, perdeu para o Bahia na Fonte Nova por 1 a 0.

Fora de campo, o atual presidente Jony William Stassum não agrada muito a torcida, que tem uma desconfiança em relação ao trabalho desta nova diretoria.

O técnico Hemerson Maria não poderá contar mais com o goleiro Agenor, que esta semana se transferiu para o Sport. Oliveira, 34 anos e velho conhecido da torcida paranaense, assume a condição de titular.

O experiente zagueiro Bruno Aguiar, ex-Santos, volta ao time após cumprir a suspensão automática contra o Bahia.

O Londrina tem um histórico de bons jogos e vitórias atuando em Joinville. Tomara que o LEC possa aproveitar este momento turbulento do adversário para conquistar o três pontos na Arena Joinville.
24/05/2016 - 22:20
Imprimir Comunicar erro mais opções
Finalmente o Londrina desencantou na série B ao vencer o Náutico por 1 a 0, na noite fria desta terça-feira, no estádio do Café. O LEC voltou a ganhar depois de quatro jogos e após duas derrotas seguidas em casa.

A vitória foi justa. O alviceleste fez um bom jogo, sobretudo no segundo tempo, e aproveitou bem a chance que teve. Keirrison marcou aos 24 minutos, após cruzamento de Rafael Gava, o melhor em campo.

O K99 mostrou faro de gol ao anotar o tento com um belo peixinho no segundo pau. Aos poucos ele vai conseguindo a forma ideal e a confiança da torcida.

Mesmo dominando territorialmente a partida, o primeiro tempo foi sem graça e os goleiros foram mero expectadores.

Após mais um apagão na iluminação do Café - o intervalo durou 25 minutos -, o segundo tempo foi bem melhor, mais aberto e com emoção.

O Náutico teve duas grandes chances com Rafael Coelho, uma delas Marcelo salvou com o pé. O Londrina acordou só aos 14 minutos, quando Paulinho Moccelin, que entrou bem novamente, substituiu Jô.

O time se acendeu e a torcida, que já ensaiava uma vaia, também. Além do gol, Gava e Silvio também tiveram chances para marcar.

O Tubarão chega aos quatro pontos e ganha moral para a sequência da série B. O time vai se encorpando, até porque o treinador ganhou mais quatro reforços e algumas peças estão evoluindo.

A torcida saiu feliz e acreditando em dias melhores para o Tubarão.
24/05/2016 - 10:01
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina busca nesta terça-feira a sua primeira vitória na série B. O time volta ao estádio do Café para enfrentar o Náutico e espera fazer as pazes com a torcida e apagar a imagem da estreia.

O jogo vai ser duro, amarrado e extremamente difícil. A vida dos mandantes nesta série B não está fácil. E o Londrina não foge à regra.

Após duas rodadas, houve tropeços dos mandantes em 12 partidas, mais da metade dos 20 jogos. Foram seis derrotas e seis empates. Entre eles, a derrota do LEC para o CRB e o ponto conquistado pelo alviceleste diante do Goiás.

"Os jogos em casa são os mais complicados. Tem sempre uma pressão que vem da arquibancada e o time precisa aprender a lidar com isso", afirmou o técnico Claudio Tencati. "Temos que jogar com paciência, organizado e não se expor de qualquer forma".

O próprio LEC teve muito mais dificuldades na partida em casa do que no jogo em Itumbiara. Na estreia, o time sofreu com a falta de objetividade e quando tomou o gol se perdeu.

Em Goiás, controlou o jogo, marcou bem e foi muito mais perigoso que o adversário. A vitória não veio por detalhes. "Temos que deixar para trás o jogar bem e não vencer", frisou o lateral Igor, autor do único gol alviceleste na série B.



Nenhum time alcança seus objetivos em uma competição sem ser forte em casa. É só pegar os números dos últimos Brasileiros e ver o aproveitamento dos primeiros colocados.

Vencer o Náutico nesta terça é fundamental. Para o time reconquistar de vez a confiança, somar pontos e subir na tabela e fazer as pazes com a galera. O LEC precisa voltar a ser temido no Café. Em 2016, foram dois jogos e duas derrotas.

Que o time mantenha o bom nível de jogo e seja recompensado com uma grande vitória. E que a torcida entenda as dificuldades que virão aos longo dos 90 minutos e apoie o time até o apito final.
20/05/2016 - 23:33
Imprimir Comunicar erro mais opções
Apesar de ter sido melhor durante todo o jogo e de estar a frente do placar até os 33 minutos do segundo tempo, o ponto conquistado no empate em 1 a 1 com o Goiás, na noite desta sexta-feira, em Itumbiara, tem que ser comemorado.

Primeiro porque o time reconquistou a confiança após a derrota na estreia – a atuação foi muito boa – e segundo porque vai ser difícil outras equipes tirarem ponto do Goiás. A equipe esmeraldina tem elenco, dinheiro e vai crescer ao longo da série B.

Se a reclamação maior em relação ao time era a criação de jogadas de gol, este quesito foi superado no interior goiano. O LEC criou grandes chances, uma logo a cinco minutos de jogo com Jô e Diogo Roque, no rebote.

No segundo tempo, quando o alviceleste já vencia por 1 a 0, Keirrison perdeu dois gols feitos. Na primeira bateu para fora e na segunda o goleiro Renan salvou. Logo em seguida, o centroavante foi substituído por Bruno Batata, mas não pode ser crucificado.

A jogada do gol foi dele. Foi na linha de fundo e cruzou para o chute de Zé Rafael, que sobrou para o lateral Igor mandar para as redes, aos nove minutos.

O Londrina controlava bem a partida, mas o Goiás chegou ao empate pela qualidade do volante Wendel, que acertou o ângulo de Marcelo fazendo um golaço. Só ficou ruim para o ex-jogador de Vasco, Sport e Santos, que pisou no zagueiro Silvio e foi expulso.

Valeu pelo futebol do time. O LEC mostrou organização, saída de jogo e chegada ao ataque. Teve muita raça, vontade e aplicação tática. O alviceleste até merecia ganhar, mas o ponto não pode ser desprezado.

Assim como não havia tempo para lamentar a derrota para o CRB, não há motivo para ficar comemorando. Terça-feira tem o Náutico e agora é hora de um grande jogo no estádio do Café.
19/05/2016 - 09:38
Imprimir Comunicar erro mais opções
Depois da venda da sede campestre, em 2010, o Londrina já quitou 97% da sua dívida trabalhista. De um total de R$ 7,5 milhões de passivo, hoje restam pouco mais de R$ 400 mil para serem pagos.

Das 154 ações contra o clube, atualmente apenas quatro ainda não foram pagas, pois os credores não aceitaram a oferta de negociação.

As dívidas cíveis e tributárias (IPTU, impostos federais, FGTS), o passivo do alviceleste era superior a R$ 18,6 milhões. Já foram pagos R$ 10,6 milhões (81%). Das 107 ações, restam apenas 20.

As ações pendentes se resumem a praticamente cobranças de FGTS e uma ação popular da década de 1990, que cobra a devolução de R$ 4,5 milhões aos cofres municipais de um recurso repassado ao clube para uma Taça Cidade de Londrina de futebol júnior. O LEC está recorrendo destas ações.

No fim do ano passado, o clube quitou uma dívida de IPTU no valor de R$ 2,2 milhões. A dívida com a União somava R$ 8,3 milhões. Através da Timemania, o passivo caiu para R$ 3,5 milhões, dos quais R$ 1,5 milhão foi pago a vista e o restante parcelado em 50 vezes. O LEC já pagou mais de 20 parcelas.

Em 2009, quando a Justiça do Trabalho decretou a intervenção no clube, a dívida total do Londrina superava os R$ 26 milhões. Hoje falta quitar R$ 8 milhões. A atual diretoria acredita que em um prazo entre dois e três anos o clube vai zerar todas as pendências.
17/05/2016 - 23:09
Imprimir Comunicar erro mais opções
O capitão Germano assina nos próximos dias o seu novo vínculo com o Londrina. O volante vai renovar o contrato por mais três temporadas. O atual contrato vence no fim deste mês de maio.

A proposta por este tempo de contrato partiu do próprio LEC e do gestor Sérgio Malucelli. O dirigente aposta na liderança e experiência do capitão para seguir no clube.

Aos 35 anos, Germano, provavelmente, vai assinar seu último contrato como profissional e já há um entendimento entre as partes para o volante, após encerrar a carreira, seguir trabalhando no clube.

A direção sabe da importância de Germano no time e o jogador, que já teve a oportunidade de atuar em grandes clubes do Brasil e também fora do país, tem a família radicada em Londrina e também na tem intenção de sair da cidade.
16/05/2016 - 16:18
Imprimir Comunicar erro mais opções
O LEC busca a reabilitação na série B na próxima sexta-feira contra o Goiás, no estádio JK, em Itumbiara, que fica a 700 quilômetros de Londrina e a 200 de Goiânia.

O Goiás perdeu dois mandos de campo e por isso não pode jogar no Serra Dourada. O estádio JK foi inaugurado em 1977 e tem capacidade para 28.455 torcedores.

O estádio é municipal e abriga jogos do Itumbiara Esporte Clube, quinto colocado no último campeonato goiano.

Em 2007 passou por uma grande reforma e no ano seguinte recebeu novo sistema de irrigação e gramado.

Como curiosidade, em 2009, o estádio foi palco do primeiro jogo do centroavante Ronaldo Fenômeno na sua volta ao futebol depois de 387 dias parado. Na ocasião, o Corinthians enfrentou o Itumbiara pela Copa do Brasil.

14/05/2016 - 18:29
Imprimir Comunicar erro mais opções
A estreia do Londrina na volta a série B não foi da forma como o torcedor esperava. Derrota por 1 a 0 para o CRB, no estádio do Café, e decepção dos 3,7 mil torcedores.

O time teve muita movimentação no primeiro tempo, envolveu o adversário, mas faltou qualidade na finalização. Teve duas boas chances com Rafael Gava e Jô.

O time trocou bons passes com Netinho e Gava e boa chegada do lateral Igor. Já o estreante Léo não foi bem. Mas, é preciso ter paciência para o garoto se adaptar.

Apesar de se preocupar mais com a marcação, o bicampeão alagoano era perigoso. Tinha velocidade com o atacante Luidy e toque de bola com Rivaldo, Gérson Magrão e Dakson.

O segundo tempo começou da mesma forma com, o Londrina em cima. Pórem, aos 13 minutos, em uma bola longa, a defesa falhou e Luidy definiu o jogo. Matheus errou no corte e o atacante se aproveitou e tocou na saída do Marcelo.

O LEC sentiu o gol e as modificações desarrumaram taticamente o time. Saíram Diogo Roque, Netinho e Jô para as entradas de Paulinho, Itamar e Zé Rafael e nada mudou.

A boa não chegava aos dois centroavantes centralizados, o meio não criava e não houve uma finalização no gol sequer.



O Londrina sentiu a estreia e a volta a série B. O CRB, mais tarimbado, soube jogar nos erros do alviceleste e conseguiu três pontos preciosos.

O Londrina acumula três derrotas seguidas e sem jogar bem. Os novos reforços precisam mostrar, rapidamente, qualidade e o time necessita se redescobrir. Vem agora o Goiás, fora de casa. Não tem moleza. Bem vindo à série B.
13/05/2016 - 16:08
Imprimir Comunicar erro mais opções
O atual craque do Santos e da seleção brasileira, o meia Lucas Lima, já jogou em Londrina. Mais precisamente na Portuguesa Londrinense.

A estória foi contada pelo comentarista da Rádio Paiquerê, Reinaldo Furlan. Então com 15 anos, Lucas e mais dois amigos vieram de Marília-SP para realizar um teste na Lusa.

Como o alojamento estava lotado, os amigos foram, a pé, até a casa de um conhecido no Conjunto Alexandre Urbanas, na zona leste de Londrina, para passar a noite.

Após três dias de treino, os meninos foram "reprovados" e voltaram para o interior de São Paulo. Dois deles ainda tentaram seguir carreira em outros clubes, sem sucesso.

O outro foi, posteriormente, tentar a sorte na Inter de Limeira. De lá seguiu o seu caminho até chegar ao Santos, em 2014, e se tornar, hoje, um dos grandes jogadores do futebol brasileiro.

Causos e estórias do futebol. Quem imaginaria que há 10 anos Lucas Lima seria o que é hoje?
< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social-Jornalismo e Administração-Marketing. Repórter Esportivo da Rádio Paiquerê AM desde 1997. Repórter também da Folha de Londrina. Participou de coberturas esportivas nacionais e internacionais como Copa do Mundo, Olimpíadas e Copa América. Twitter: @Luciobortoti



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
 
Hospedado pela: