Bonde - O Maior Portal do Paraná
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014. | Bem-vindo usuário! Faça login ou cadastre-se.
32º / 17º Londrina - PR Outras Cidades Google Twitter Whatsapp - (43) 9124-1630 Facebook Youtube - Vídeos
Mulher
14/11/2011 -- 08h49

Ovário policístico pode causar até câncer de endométrio

Redação Bonde
QR:
Add to Flipboard Magazine.
Reprodução
Reprodução
Saiba os sinais que podem indicar sintomas da Síndrome do Ovário Policístico

Muitas mulheres se queixam de acne, pele oleosa, queda de cabelos, facilidade para engordar e dificuldade para emagrecer, porém muitas não consideram a hipótese de procurar um ginecologista quando estes problemas aparecem e são surpreendidas ao descobrirem que estes sinais podem ser sintomas da SOP - Síndrome do Ovário Policístico.

A ginecologista Emanuelli Alvarenga Silva, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa, de Santo André, explica que a síndrome é muito comum e chega a afetar 5% a 10% da população feminina entre 11 e 40 anos.

A medicina desconhece as causas exatas do problema, mas sabe-se que estão relacionadas ao aumento na produção de insulina e a diminuição de sua ação nas células do organismo, o que leva ao aumento da produção de andrógenos - hormônios masculinizantes - pelos ovários. Além disso, há uma disfunção no equilíbrio de dois hormônios da hipófise, responsáveis pelo controle dos ovários.

Segundo a médica, o problema ocorre quando o desenvolvimento dos folículos ovarianos não se completa e acaba formando os cistos, que se acumulam na superfície dos ovários, fazendo-os aumentar de volume.

Entre outros sintomas da síndrome também estão pelos em lugares pouco comuns, ciclos menstruais irregulares, ausência de ovulação e presença de múltiplos cistos pequenos em ambos os ovários.

Investigando o problema

A síndrome pode ser diagnosticada por meio de exame de imagem e de toque, normalmente o ovário policístico tem o dobro do volume do órgão normal. Exames laboratoriais para avaliação do padrão hormonal também são solicitados.

"No processo de diagnóstico é importante descartar outras doenças como tumores secretores de andrógeno, doenças da glândula suprarrenal e aumento da produção de prolactina", explica.

Uma mulher com a síndrome dos ovários policísticos possui mais dificuldades para engravidar e os riscos de aborto e complicações não estão descartados.

"Outra problemática é a exposição do endométrio ao estrogênio, que pode propiciar o aparecimento de câncer de endométrio, que é três vezes maior em mulheres com Síndrome de Ovários Policísticos", alerta Emanuelli. Este desequilíbrio hormonal pode aumentar o risco de diabetes, pressão alta, queda do colesterol bom e alteração nas gorduras do sangue.

O tratamento dependerá da fase da vida da mulher, mas no geral será direcionado aos sintomas da síndrome, já que suas causas são desconhecidas. Portanto o desequilíbrio hormonal, o sobrepeso, os hormônios e a ovulação deverão ser tratados e regulados.

As mulheres precisam saber que existem diferenças entre cistos nos ovários e a síndrome do ovário policístico, que está justamente no tamanho e na quantidade de cistos. Na síndrome, existem cerca de 10 a 20 pequenos cistos com meio centímetro de diâmetro. Já os cistos de ovário são únicos e medem de 3 a 10 centímetros.
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 22/10/2014 23:45
PUBLICIDADE
Carregando ...
PUBLICIDADE
 
PUBLICIDADE