Bonde - O Maior Portal do Paraná
Domingo, 20 de Abril de 2014. | Bem-vindo usuário! Faça login ou cadastre-se.
27º / 17º Londrina - PR Outras Cidades Google Twitter Whatsapp - (43) 9124-1630 Facebook
Mulher
23/01/2009 -- 08h57

Joanete, um mal que tem solução

Redação Bonde
QR:
 
Reprodução
Para evitar o joanete, não usar sapatos de bico fino ou salto alto, utilizar sapatos ou tênis adequados e criar o hábito de exercitar os pés

Um dos motivos que leva as pessoas a procurarem um ortopedista e que atinge grande parte da população - principalmente as mulheres - é o joanete. Diferente do que muita gente pensa, joanete não é um osso que cresceu ou que surgiu, mas sim, um desvio no osso metatarsiano do primeiro dedo do pé em direção ao segundo dedo.

Porém não há motivos para pânico, tranquiliza o ortopedista Marcos Kardequi Silva Raquel, do Hospital Beneficência Portuguesa de Santo André (SP), já que as dores e desconforto causados pelo joanete podem ser resolvidos com uma cirurgia.

A deformidade é cientificamente chamada de hallux valgus e é um mal que atinge principalmente as mulheres, cerca de 10 mulheres para um homem, que em busca da beleza, acabam abusando dos sapatos de salto alto e bico fino. A artrite reumatóide e os pés chatos contribuem para o aparecimento do joanete. Normalmente, o paciente que tem joanete, já nasce com uma predisposição genética e o problema se agrava com o uso de sapatos inadequados.

Segundo o ortopedista, a saliência pode provocar pressão sobre a articulação dos demais dedos, que com o decorrer do tempo ficam curvos e aumentam de tamanho. "Se a deformidade for pequena, raramente incomodará, já em deformidades maiores, podem ocorrer dores fortes e até dificuldade no uso de sapatos comuns" explica o especialista.

Para evitar o joanete, o médico faz alguns alertas como, não usar sapatos de bico fino ou salto alto, utilizar sapatos ou tênis adequados e criar o hábito de exercitar os pés.

Existem dois tratamentos para o joanete, o não cirúrgico e o cirúrgico, que variam de acordo com o grau de deformidade e desconforto. No primeiro, são adotados sapatos confortáveis, almofadas entre os dedos ou embaixo do ante-pé. Já o tratamento cirúrgico depende da avaliação do ortopedista, que deve analisar a situação da deformidade.

A cirurgia para correção do joanete é eficaz, com anestesia geral ou pentabloqueio local, normalmente necessita de um dia de hospitalização. O sucesso da cirurgia é quase que total, desde que o paciente siga corretamente as recomendações médicas durante o pós-operatório, como por exemplo, ficar sem pisar de 10 a 15 dias, utilizar somente a "Sandália De Barouk" (sandálias para uso pós-operatório), após este período até a liberação médica, evitar caminhadas desnecessárias e esforços exagerados, além de realizar as consultas pós-operatórias. Depois da cirurgia, o pé fica com melhor aparência, sem deformidade, sem vermelhidão e com o dedo na posição normal. A recuperação leva de dois a seis meses.

Existem mais de 400 tipos de técnicas para correção do joanete, porém cada paciente deve ser avaliado individualmente para que o médico identifique o procedimento mais adequado.

Vale lembrar que o tratamento não cirúrgico apenas alivia o desconforto e não deixa evoluir a deformidade, já no tratamento cirúrgico o problema é extinto.

*Marcos Kardequi Silva Raquel é Ortopedista e Especialista em pé, faz parte do Corpo Clínico do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André.
Abaixo, usuários do Facebook que comentaram outras notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 20/04/2014 10:22
PUBLICIDADE
Carregando ...
 
PUBLICIDADE