-
 -
27/07/2017 - 08:56
Imprimir Comunicar erro mais opções
A partir de agora, nosso blog passa a contar com a colaboração da adestradora Paula Miranda, franqueada da Cão Cidadão. Ela irá colaborar com dicas para melhorar o relacionamento entre nós e nossos peludinhos. Então, caso você tenha alguma dúvida, entre em contato conosco pelo e-mail balaiodebichos@gmail.com

Participe!


"Quando se fala em adestramento, logo vem à mente o ato de corrigir um problema, ensinar truques ou disciplinar o animalzinho para que ele obedeça ao seu tutor, porém, vai muito além disso.

O adestramento é importante na vida de um bichinho de estimação, uma vez que o objetivo da atividade é tornar a convivência dele com os humanos mais saudável. O bem-estar do pet é prioridade.

A Cão Cidadão é uma empresa especializada em adestramento em domicílio e em consultas de comportamento desde 1998. Criada pelo zootecnista e especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, mais conhecido como Dr. Pet, a empresa tem como missão melhorar a integração do animal na família e na sociedade, por meio da educação.

Agora, a Cão Cidadão também passa a atender a cidade de Londrina (PR), além desta parceria que acabou de ser firmada com o blog Balaio de Bichos, com o objetivo de levar a todos os "pais" e "mães" de peludos informações, dicas de relacionamento e os benefícios de ter em casa um amigo tão fiel.

Espero que gostem!

Técnica

O método Adestramento Inteligente é baseado no reforço positivo e utiliza-se recompensas para estimular o pet a aprender, assim, ele obedece ao tutor com entusiasmo e este passa a exercer o seu papel de líder de uma forma prazerosa, sem o uso de violência, o que pode desencadear traumas.

Destacamos a importância do adestramento na vida dos pets por se tratar da melhor ferramenta para se construir, formar ou reestabelecer uma comunicação eficaz, pois com os treinos eles percebem que obedecer é bom e faz com que se aproximem de sua família, o que, na maioria das vezes, é o desejo deles.

Quando trazemos um animal para a casa, ele ainda não sabe exatamente qual o seu lugar e as regras da família, e é com esta ferramenta preciosa, que se chama educação, que eles entenderão os limites.

A comunicação assertiva entre animal e dono pode ser o fim de alguns problemas comportamentais. Entender como o cão ou o gato raciocinam e quais são os seus instintos é muito importante. Saber direcionar e oferecer um ambiente rico para que eles possam explorar é fundamental.

É possível ensinar comandos aos nossos animais, conforme a aptidão e necessidade que cada um tem e, com isso, estimulá-los mentalmente e fisicamente, a fim de que sejam saciados os seus instintos, tendo em vista que alguns cães parecem ter uma energia sem fim.

Nestas situações, os comandos aprendidos são essenciais para ajudar o cão a controlar sua ansiedade e gastar suas energias em algo saudável que não traga danos ou prejuízos à família.
Acreditamos que por meio da educação e do respeito é possível obter um relacionamento sem estresse e mais agradável.

Até mais!"


Por Paula Miranda, adestradora e franqueada da Cão Cidadão
24/07/2017 - 17:12
Imprimir Comunicar erro mais opções
Um pouco diferente de cães e gatos, mas não menos fofas, as tartarugas têm seus fãs. Apesar de interagirem menos do que seus colegas pets, esses animais também podem demonstrar afeto e necessitam igualmente de cuidados e atenção.

Para quem nunca conviveu com uma tartaruga e está disposto a cuidar de uma, antes de adquiri-la é preciso verificar se a espécie é autorizada pelo Ibama. Por isso é importante comprar o animal apenas com criadores sérios e autorizados. Existem dois tipos de tartarugas que são criadas para comercialização e tem autorização do Ibama: a tartaruga Tigre D’Água, mais conhecida como cágado e o Jabuti. A primeira é um quelônio de água doce que geralmente possui o casco mais achatado. Já o Jabuti é exclusivamente terrestre, então ele precisa de mais espaço, é mais lento e seu casco é mais alto em relação ao de um cágado.

Os cágados nascem com cerca de 4 cm e podem atingir de 25 a 30 cm quando adultos. Eles podem crescer cerca de 3 cm por ano e o aquário deve ser adaptado ao seu crescimento. Os cágados podem ser mantidos sozinhos ou em grupos dependendo do tamanho do aquário. Eles são dóceis, fáceis de cuidar e precisam de um espaço em área seca para tomar sol, se alimentar e procurar refúgio em ambientes aquáticos. Eles vivem cerca de 30 a 60 anos.

Os jabutis também são dóceis e podem chegar a 80 anos. O melhor ambiente para essa espécie é o terrestre, mas eles precisam de água, principalmente até os 2 anos para se hidratar e defecar. Deve-se atentar também a locais com portões pois eles se passam por baixo facilmente e ainda cachorros ou gatos, pois podem pegar o jabuti até mesmo para brincar e morder o casco quebrando-o.

Ambiente ideal

Para as tigres d’água o aquário precisa ter uma base para que ela fique fora da água, não colocar objetos pontiagudos ou até mesmo pedrinhas muito pequenas pois elas comem tudo o que encontram e a água deve ficar na altura dessa base. As tartarugas precisam do sol para metabolizarem as vitaminas D. fixarem o cálcio e prevenir o aparecimento de fungos, porém, sol em excesso pode prejudicá-la. Vale pensar em um espaço no aquário para que ela use como refúgio. Lugares ásperos também não são indicados pois ocasionam lesões que facilitam a entrada de bactérias e fungos. A temperatura da água deve se manter em 28°C.

Os jabutis podem viver em um espaço terrestre com gramado e pedras que pode ser delimitado com um cercadinho. Deve-se pensar em uma sombra que pode até ser uma casinha para que ele possa se proteger do sol. Neste local com sombra também deve ficar um recipiente com água. Assim como os tigres d’água, eles também precisam do sol para metabolizarem a vitamina D.

Alimentação

A alimentação das tartarugas deve ser baseada em uma dieta balanceada com todas as vitaminas e proteínas que elas precisam. A falta de nutrientes pode causar uma série de doenças, entre elas, o raquitismo que é uma doença que deixa a casca mole devido à falta de proteínas.

A dieta deve contar com a ingestão de ração, frutas e vegetais como cenouras, maçãs e mamão, além de feijão verde e espinafre. Camarões desidratados também podem ser oferecidos como um agrado ou sobremesa.

Outro complemento essencial para a manutenção da proteína é a ingestão de tenébrios vivos ou desidratados. "Os tenébrios possuem 44% de proteína em sua composição, tem alto teor de digestibilidade e é muito nutritivo. Os tenébrios vivos devem ser colocados na água e podem estimular o instinto de caça das tartarugas. Já os tenébrios desidratados podem ser oferecidos juntamente com as frutas ou a ração. Algumas tartarugas se alimentam de grilos e baratas também", explica o engenheiro agrônomo e proprietário da Safari Insetos, Eduardo Matos. Para os jabutis, em especial, vale apostar nos tenébrios desidratados misturados com folhas verdes e frutas variadas.

Com assessoria de imprensa
11/07/2017 - 10:37
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Hospital Veterinário da UniFil realiza a Semana de Vacinação para cães e gatos, até esta sexta-feira - 14 de julho, com valores subsidiados para as vacinas. "É muito importante vacinar os animais para mantê-los saudáveis e prevenir doenças que inclusive podem levar à morte", ressalta a coordenadora do HV, a médica veterinária e professora Mariana Cosenza.

Para cães, as vacinas disponibilizadas são a V10 - contra parvovirose, cinomose e leptospirose, entre outras, além da antirrábica. Para gatos, a tríplice felina e a antirrábica. Os interessados devem agendar horário para atendimento, das 8 às 22 horas. O Hospital Veterinário da UniFil fica na Rodovia Mábio Gonçalves Palhano, número 3.000, próximo ao Centro de Eventos de Londrina.

Mais informações e agendamento (43) 3375.6400 ou 3375.7237.
24/05/2017 - 08:03
Imprimir Comunicar erro mais opções
Nesta semana um assunto vem trazendo preocupação para todos: doenças transmitidas por carrapatos que poderiam causar a morte de pessoas. Chamadas de zoonoses, essas doenças não são novas, porém, com a confirmação de um caso de uma moradora de Cambé e a suspeita envolvendo a morte de uma criança em Londrina, o alerta se acendeu.

Essas doenças exigem nossa atenção, mas cuidados simples podem evitar problemas. Cuidar dos animais de estimação e da higiene da casa são dois deles.

Reproduzo abaixo uma matéria feita por mim e publicada na Folha da Sexta, em janeiro do ano passado, em que a veterinária Thais Arrebola dá todas as dicas de como cuidar do seu pet e também da sua casa, para evitar e acabar com os carrapatos. É importante também termos consciência que os animais não têm culpa do que está acontecendo. Tem muito tutor que não se importa se o animal tem pulgas ou carrapatos, achando que isso não é um problema dele, porém, é algo que pode nos afetar também!

Abaixo da matéria coloco também os links de duas matérias produzidas pela equipe da Folha de Londrina, sobre a doença do carrapato e sobre os casos em nossa região.

Espaço Pet - Livre-se das pulgas e carrapatos

No verão aumentam os casos de infestação por esses parasitas. Orientação de um veterinário é fundamental para escolher produtos mais adequados e evitar a intoxicação do pet

Quem tem cães ou gatos em casa sabe que no verão os problemas com pulgas e carrapatos costumam aumentar. A explicação, segundo a veterinária Thaís Arrebola, é que a temperatura e a umidade próprias da estação favorecem a aceleração do ciclo biológico desses ectoparasitas. Entretanto, por morarmos em um país com altas temperaturas em boa parte do ano precisamos estar sempre atentos e prevenirmos as infestações com os produtos adequados.

Embora seja mais comum vermos carrapatos nos cães e pulgas nos gatos, a veterinária explica que as duas espécies estão sujeitas a ambos. "(Os carrapatos) só não aparecem tanto em gatos pelo hábito que eles têm de se limpar a toda hora, mas isso os torna mais suscetíveis a ter dipilidium, uma verminose intestinal, e a provocar feridas por às vezes não conseguir remover um carrapato", explica.

Além de incomodar os animais por conta da coceira causada pela picada, esses ectoparasitas podem causar diversas doenças nos pets. Transmitidas pelos carrapatos, a erliquiose e febre maculosa são consideradas zoonoses, ou seja, podem ser transmitidas para os humanos através da picada desses insetos.

Para evitar as infestações há diversos produtos no mercado como coleiras, pipetas pour on, xampus, talcos, sabonetes, sprays e até comprimidos. "O critério de escolha vai depender muito do estilo de vida do tutor e do animal. Geralmente, animais que convivem em dois ou mais no mesmo ambiente tendem a brincar de se morder e a região do pescoço é um alvo comum nessas brincadeiras, tornando inviável o uso da coleira por poder arrebentar e até mesmo intoxicar um deles. A forma mais comum de combate aos ectoparasitas são as pipetas pour on. Geralmente, a base de Fipronil ou Selamectina são mais seguras para cães e gatos, inclusive durante amamentação e gestação. O Fipronil também pode ser usado na forma de spray em filhotes a partir dos dois dias de vida", detalha Thaís.

Os comprimidos, segundo ela, são uma boa opção para os cães, devendo ser usados com cautela em animais muito jovens ou idosos. Já para os gatos ainda há poucas opções de produtos nesta formulação. A profissional alerta que ao usar sabonetes ou talcos com função carrapaticida ou antipulgas é preciso evitar a aplicação de outros produtos. "Sempre peça a orientação do veterinário. Xampus possuem efeito residual e combiná-los com outro produto pode intoxicar o animal", alerta.

Também é importante ler com atenção o rótulo, se atentando para a forma correta de aplicação – se antes ou após o banho – e o prazo de reaplicação, para que o combate aos ectoparasitas seja eficiente. "Geralmente o prazo de utilização das pipetas contra pulgas é de três meses e contra carrapatos é de 30 dias, por isso a indicação de uso mensal. Algumas marcas de pipetas preconizam a aplicação do produto no dorso apenas dois dias antes ou após o banho, outras relatam uso até duas horas após o banho. Entre os comprimidos existem os de uso mensal, trimestral e outros que duram apenas oito horas. Já as coleiras podem proteger de três a sete meses", enumera.

Ambiente

Para um melhor controle das pulgas e carrapatos é preciso também cuidar do ambiente onde o animal vive, lavando camas, cobertas e roupinhas. Alguns tutores também optam por aplicar inseticidas no ambiente e aí é que podem ocorrer problemas.

Thaís alerta que nunca se deve usar esses inseticidas para banhar os pets. "Já tive muitos casos de intoxicação de animal com 'banho terapêutico' contra carrapato, sendo que na própria bula diz que devemos utilizar luvas e máscara para manusear esses produtos. Portanto, produto inseticida para ambiente é para uso apenas no ambiente!"

Se no local houver grama o tutor também deve tomar cuidado, pois o produto fica na terra, podendo intoxicar o animal caso este cave a terra ou coma a grama. Ela ressalta que há diversos protocolos e a escolha de um deles vai depender do estilo de vida do animal e do tutor, por isso é importante sempre consultar o veterinário.

Londrina tem o primeiro caso de doença transmitida pelo carrapato

Menino morre com suspeita de doença transmitida pelo carrapato
09/05/2017 - 21:45
Imprimir Comunicar erro mais opções
Você quer ver a foto do seu pet no Instagram da Folha de Londrina?

Compartilhe a foto dele com a #MeuPetNaFolha

Vale cães, gatos, peixes, tartarugas, passarinhos... Participe!!


E para quem tem cães e gatos para doar, a Feira de Adoção do SOS Vida Animal aceita inscrições de terça a quinta-feira, das 8h às 12h. Quem tiver um animal para cadastrar para a próxima feirinha o telefone é (43) 99641-2738.
Erika Gonçalves
 
Formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina em 1997. Apaixonada por bichos desde sempre, mas sem vocação para ser médica veterinária. Já teve um "zoológico" em casa quando criança. Está sempre buscando novidades sobre o comportamento animal. É repórter da Folha de Londrina.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
 
Hospedado pela: