23/09/17
33º/19ºLONDRINA
 -
 -
12/09/2017 - 21:21
Imprimir Comunicar erro mais opções
Um dos primeiros indicativos de que a saúde cardíaca do cãozinho não anda bem é o cansaço fácil. "Se o cachorro pede colo durante um passeio, na rota que já estava acostumado, ele pode sofrer de problemas cardíacos", atenta o médico veterinário da Equilíbrio (Total Alimentos), Marcello Machado.

Dificuldade para respirar, fadiga excessiva, tosse e rejeição a atividades físicas podem ser sinais de que o coração do cachorro não está conseguindo suprir adequadamente os tecidos, causando insuficiência cardíaca ou outras doenças do coração. Segundo o veterinário, um a cada quatro cães com mais de sete anos tem algum tipo de doença cardíaca.

O diagnóstico da doença cardíaca é realizado por meio de exames específicos: a bioquímica sérica (exame de sangue) e o ecodoppler cardiograma e deve ser realizado por um médico veterinário, de preferência, especialista em cardiologia.

Se o seu pet já foi diagnosticado com algum problema cardíaco, poderá ser necessário fazer algumas mudanças no estilo de vida e também na alimentação dele, para que haja uma boa qualidade de vida. "Junto com prescrição dos médicos veterinários, o cão precisa de alimentos específicos para cardíacos, esses procedimentos combinados garantirão a ele bem-estar e longevidade", explica.

Uma das opções é a Equilíbrio Veterinary Cardiac, da linha Super Premium da Total Alimentos, rica em Taurina e L-carnitina, que auxiliam no funcionamento do músculo cardíaco, e possuem baixos teores de fósforo e sódio. "Os níveis dessas substâncias precisam ser controlados, pois o sódio pode gerar acúmulo de fluídos, e o fósforo em excesso pode gerar a sobrecarga dos rins e até uma doença renal, de tratamento muito mais complexo que uma doença cardíaca", diz o veterinário.
04/09/2017 - 20:59
Imprimir Comunicar erro mais opções
Quem não gosta de uma boa massagem, né?! Para os pets, além de um momento agradável e relaxante pode também ser a forma de identificar problemas na sua saúde. Ainda é possível fazer massagem no amigo como uma maneira de prepará-lo para ser apalpado pelo veterinário ou no banho.

Um pouco diferente do carinho, com a massagem pelo corpo dos nossos peludos conseguimos aumentar a confiança deles ao serem massageados, além de deixá-los tranquilos. Outro ponto positivo é que ajuda a ativar a circulação sanguínea e a circulação de serotonina, o que pode reforçar as defesas naturais do organismo do pet.

Não importa a idade ou a espécie. O ideal é que o treino seja iniciado enquanto filhote, acostumando-o com massagem nas orelhas, em volta dos olhos e nas costas. Podemos habituá-los a situações que possivelmente eles passarão, como a ida ao veterinário, que deverá se tornar menos estressante quando o pet já estiver acostumado a ser manipulado por meio de uma boa massagem; ele acabará levando uma picada de injeção sem nem perceber.

Quem nunca encontrou dificuldades em pingar colírio nos olhos do amiguinho? Ou mesmo precisou passar uma pomada em algum machucado na patinha? Essas e outras situações tensas podem ser evitadas com o hábito de massagear. Caso nunca tenha feito, saiba que não é tarde para começar.

Como fazer?

A massagem pode ser com o pet em pé ou deitado, o importante é não avançar os limites deles, para alguns cães ou gatos menos dispostos ao toque o ideal é começar aos poucos.
Procurar fazer em um momento sem pressa, com calma e em um ambiente tranquilo, lembrando sempre de associar este momento a coisas boas.

Busque apalpar as patas, orelhas, cabeça, rabinho, ossos, olhar os dentes, ou seja, uma verdadeira massagem investigativa que fará com que você conheça bem o corpinho do seu pet e que, com certeza, poderá fazer muita diferença para a prevenção de eventuais doenças.

Para fazer essa massagem em gatos é interessante ter algo muito agradável para que eles a associem a um momento bom, com o uso de um irresistível patê você pode começar, aos poucos, a acostumar o bichinho com o toque das mãos.

Sem dúvida pets que são massageados com mais frequência sofrem menos ao serem manipulados na hora do banho ou mesmo em consultas, além de ser ótimo para o tutor que não sofrerá para medicá-los.

Então, que tal fazer mais massagem nos nossos amiguinhos?

Por Paula Miranda, adestradora e franqueada da Cão Cidadão
31/08/2017 - 18:00
Imprimir Comunicar erro mais opções
[local="20170831-3161


Os fãs da Estopinha já podem comemorar. Quem não pode conhecer a cachorrinha mais famosa do Brasil no final do ano passado, quando o Alexandre Rossi esteve Londrina, terá mais uma chance neste domingo, 3 de setembro.

O papis e sua filhota estarão na loja Petz, em frente ao Shopping Catuaí, no evento de inauguração, das 12h às 18h. O público também terá dicas de tosa com o especialista William Galharde, gerente do Petz Estética. A entrada é gratuita.

A segunda unidade paranaense da rede de pet shops abriu suas portas no dia 19 de agosto e oferece mais de 20 mil itens no mix de produtos, consultório veterinário, centro de estética e 38 vagas de estacionamento.

Programação:
Festa de inauguração Petz Londrina
Das 14h às 15h - Dicas de tosa com o groomer William Galharde
Das 15h às 16h - Workshop de horta caseira com Dr. Planta (especialista da Petz em garden)
Das 16h às 18h - Palestra divertida com o apresentador Alexandre Rossi, acompanhado da mascote Estopinha
Durante todo o evento: barraca com comidinhas e totem fotográfico

Quando: Domingo, 3 de setembro, 13h às 18h
Local: Petz Londrina – Rod. Mabio Gonçalves Palhano, 195, bairro Gleba Palhano, Londrina/PR (em frente ao Catuaí Shopping)
Telefone: (43) 3032-1060
30/08/2017 - 21:10
Imprimir Comunicar erro mais opções
Você já ouviu falar sobre a Leishmaniose Visceral? Nas últimas semanas têm sido reportados casos da doença na Região Centro Oeste do país. No estado de São Paulo também ocorreram inúmeros casos e o Paraná não está livre da doença. Além de atingir os cães, os humanos também podem ser infectados pela picada do mosquito.

"Essa zoonose é transmitida por um protozoário (Leishmania), pela picada de flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquito-palha ou birigui. O mosquito se reproduz em lugares úmidos e com acúmulo de material orgânico, como terrenos com mato alto e lixo. Hoje em dia, até mesmo os condomínios residenciais oferecem mais espaços verdes, arborizados, o que é ótimo, porém, precisamos estar atentos, pois esses ambientes podem ser convidativos à reprodução do mosquito. O cão é um reservatório da doença e, muitas vezes, demora a apresentar os sintomas, aumentando os riscos de contágio aos seres humanos", alerta a médica veterinária Cecília Barbosa, coordenadora técnica e especialista em Animais de Companhia da Boehringer Ingelheim Saúde Animal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Leishmaniose Visceral está presente em 12 países das Américas, sendo que 96% dos casos relatados são do Brasil. "O grande número de ocorrências mostra a importância de prevenir a doença e difundir as práticas para combater o transmissor", ressalta Cecília Barbosa.

A especialista explica que "mesmo com os cuidados rotineiros – alimentação e vacinação em dia –, os cães ainda estão propensos a diversas doenças. Muitas vezes, o contágio dessas enfermidades acontece por negligência e falta de informação sobre medidas simples que podem ser tomadas. A Leishmaniose Visceral é uma dessas enfermidades, porém pode ser evitada por meio da prevenção, visto que também apresenta perigo aos seres humanos e leva a morte se não for tratada corretamente".

Os sintomas da Leishmaniose são inespecíficos, segundo a veterinária e muito parecidos com os de outras doenças, por isso é fundamental consultar um veterinário. "Os sintomas comumente encontrados são dermatite, alopecia (queda de pelos), prostração, febre, emagrecimento, problemas oculares, entre outros", explica Cecília.

A prevenção é a melhor forma de combater a Leishmaniose Visceral. Além de evitar o acúmulo de lixo, os donos devem aplicar repelentes eficazes nos animais para afastar os flebotomíneos. A Boehringer Ingelheim Saúde Animal está lançando no Brasil o antiparasitário de uso tópico Frontline Tri-Act, que atua no combate às pulgas e carrapatos e tem ação repelente contra flebótomos transmissores da Leishmaniose Visceral.

O produto deve ser aplicado em dois pontos distintos, entre a nuca e a base do pescoço do animal. Em 24 horas ele já terá se espalhado pela superfície corporal e a proteção dura 30 dias, mesmo com banhos ou se o pet tomar chuva.

Embora o tratamento da doença tenha sido autorizado recentemente - até então a indicação era sacrificar os cães doentes -, a prevenção é o melhor caminho.

Embora existam relatos, segundo a veterinária, de que gatos também possam contrair a Leishmaniose, o produto não é indicado para uso em felinos. Consulte sempre um médico veterinário em caso de dúvidas.
18/08/2017 - 18:21
Imprimir Comunicar erro mais opções
Neste final de semana teremos duas feiras de adoção em Londrina:

No sábado, dia 19, o SOS Vida Animal faz a sua feira no Pet Shop Cães e Gatos.
Avenida Madre Leônia Milito, 855
Das 10h às 16h

No domingo, dia 20, é a vez do Sete Vidas. A feira será no Shopping Boulevard.
Avenida Theodoro Victorelli, 150
Das 11 às 20h

Lembrando que para adotar um cão ou gato o interessado deve ser maior de 18 anos e apresentar comprovante de residência e documento com foto.

Curitiba

Em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a cervejaria Way Beer também sedia uma feira de adoção neste sábado, 19 de agosto. Além disso, para cada três quilos de ração canina doada, o participante ganhará um chope Way Beer. A feira e a promoção fazem parte do Saturday Way especial Mês do Cachorro Louco de Feliz, que conta também com várias opções gastronômicas, show musical e flash tattoo. O evento é pet friendly.
Rua Pérola, 331 – Pinhais, na região metropolitana de Curitiba
Das 12h às 18h

Palestra "Como interpretar e influenciar o comportamento dos cães"

Interessados em conhecer um pouco mais o comportamento dos cães não podem perder a palestra com o psicólogo canino e adestrador Sérgio Moro, no pet center HiperZoo.

Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR
Das 11h às 13h
Entrada: 1 kg de ração por participante. Retirar ingresso no local.
Erika Gonçalves
 
Formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina em 1997. Apaixonada por bichos desde sempre, mas sem vocação para ser médica veterinária. Já teve um "zoológico" em casa quando criança. Está sempre buscando novidades sobre o comportamento animal. É repórter da Folha de Londrina.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE