20/09/17
30º/17ºLONDRINA
 -
 -
17/07/2017 - 10:18
Imprimir Comunicar erro mais opções
Por Rafael Fantin*

Da melhor defesa em 2016 para o melhor ataque da Série B. Nos últimos anos, o Tubarão colecionou acessos e voltou a ser campeão com a marca de uma equipe sólida no setor defensivo.

Mas, o LEC versão 2017 mudou radicalmente, de um extremo ao outro, e busca o equilíbrio para subir para Série A. Quem não busca o equilíbrio? Hoje, no Brasil, só o Corinthians tem essa característica, o balanço perfeito entre defesa e ataque. O resultado é uma campanha avassaladora no Brasileirão.

Voltando pra cá, o Londrina já marcou 22 gols em apenas 14 rodadas, o que significa mais da metade dos 40 gols nas 38 rodadas da Série B do ano passado. Por outro lado, o time alviceleste fechou o campeonato nacional de 2016 com apenas 29 gols sofridos, a melhor defesa da competição.

Neste ano, a meta do LEC já foi vazada 19 vezes. Obviamente, o equilíbrio é o ideal, mas entre um extremo e o outro, ainda prefiro uma equipe mais ofensiva mesmo que fique vulnerável lá atrás. Um time com poder de reação para sair em desvantagem e virar uma partida, o que aconteceu contra o ABC. Na Série B passada, nenhuma virada.

A mudança do LEC 2017 passa pelo esquema tático e, principalmente, pelo talento. No último ano, o técnico Claudio Tencati usou com mais frequência o 4-4-2. Foi assim, na estreia e na última partida no Café.

Foi assim, naquela grande vitória sobre o Vila Nova, no Serra Dourada, com dois golaços de Zé Rafael (esse faz falta), que levou o alviceleste ao G4. Atualmente, o treinador tem procurado manter um esquema mais ofensivo com três atacantes, dentro e fora de casa.

Mais do que isso, o talento tem feito muito a diferença. Ao invés de Jô e Keirrison ou Itamar no final da carreira, Artur e Belusso formam uma dupla que inferniza qualquer defesa adversária. O jovem emprestado pelo Palmeiras é rápido e tem muita habilidade na perna esquerda. Gosta de jogar do lado direito, trazendo a bola para o meio.

Já o artilheiro da Série B com nove gols recebeu até proposta internacional. Apesar da grana, Belusso continua no LEC e pelo que mostrou contra o ABC, com a mesma motivação. Passou a semana em branco, mas deu duas assistências.

Nas laterais, Reginaldo e Ayrton são muito eficientes no ataque, o que também explica a fragilidade defensiva ao mesmo tempo que confirma o poder de fogo do LEC.

Quem faz muita falta é o capitão Germano, considerado o melhor primeiro volante da Série B do ano passado. Lesionado, sem previsão de volta, a ausência do camisa 8 deixa os zagueiros mais desprotegidos.

Quem sabe o retorno do capitão pode tornar a equipe mais equilibrada com a entrada de mais um volante no meio, deixando a dupla dinâmica lá na frente. Nesta terça-feira, o Tubarão volta ao Serra Dourada, agora contra o Goiás.

Aposto de novo no talento, que como no ano passado, pode decidir a partida a favor do Londrina. Bom jogo e boa semana.

*Rafael Fantin é editor de esportes da Folha de Londrina e escreve a coluna De casa às segundas-feiras no caderno De Primeira.
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE