22/11/17
30º/17ºLONDRINA
 -
 -
29/10/2017 - 23:50
Imprimir Comunicar erro mais opções
O FEITIÇO DA BRUXA

O sonho da bruxa
era superar a magia
que a fada fazia
de transformar sapo em príncipe!
Em busca desse sonho
ela passou sete noites e sete dias
lendo livros de bruxaria
para fazer do príncipe um lobisomem!
voando com sua vassoura
na calada da noite preta
fez acordo com o capeta
para fazer o feitiço na hora
das doze badaladas do sino!
Poucos minutos para meia noite
o vento assombrava... Vu-vu-vu!
de repente a bruxa viu um vuoto
era a caveira da mula sem cabeça
que jogou um morcego no caldeirão... puf!
a coruja cantou... U-u-u! U-u-u!
Vap! Vap! passou um bicho
voando rapidamente...
amostrando os dentes
o sino badalou...
blem, blem! blim, blem! bleimmm!
a bruxa começou a gargalhar...
hahahaha!kkkkkkkk! E disse:
- deita corpo
estica rabo
príncipe vira lobisomem
e vá comer quiabo!
A lua cheia surgiu no céu
no alto da montanha o lobo uivou
Áááuuuuuuu! Áááuuuuuuu!
a bruxa voava com sua vassoura
pelas montanhas silenciosas
e o príncipe lobisomem
percorria sete encruzilhadas procurando uma loba
para transforma-se em homem!

Fátima Gonçalves

28/10/2017 - 21:56
Imprimir Comunicar erro mais opções
O HOLLAWEEN NA CAVERNA
Na caverna do dragão
aconteceu a festa das bruxas
o dragão servia de fogão
o sapo segurava uma tocha...
A cobra era o vigia
pela porta todos passavam
só não as jias que a cobra comia
quando as jias gritavam
a bruxa gargalhava kkkkkkkkkkk
e gritava...
- Cobra, traga uma para cá!
E a cobra respondia:


- Prepare o fogo dragão
lá vai uma gigantesca jia
coloquei-a no caldeirão!
No caldeirão da bruxa
já tinha:
mosca, formiga, lagartixa,
carangueigera, minhoca, aranha,
um punhado de sal;
um pé de vento...
a bruxa falou em vocabulário global
E de dentro do caldeirão cultural
surgiu uma caveira sensual
(o mito da caverna de Platão).

Fátima Gonçalves

Fotografia de Isabel Furini
Fotografia de Isabel Furini
19/10/2017 - 08:22
Imprimir Comunicar erro mais opções
PEDRINHO E O CINEMA

Pedrinho gosta de cinema
Sempre que ele vai assistir...
Passa mais de meses sem drama
Juntando dinheiro para se divertir!

Junta o dinheiro do lanche...
Junta o dinheiro do ingresso...
Compra pipoca, coca-cola e sanduíche
Tudo a continha, nada em excesso!

Assiste ao filme comendo pipoca
Depois vai à praça de alimentação
Lancha e faz selfie na maior descontração!

No ônibus de volta para casa
Já pensa em juntar dinheiro
Para ver mais um filme maneiro!

Fátima Gonçalves

Arte Digital de Isabel Furini
Arte Digital de Isabel Furini
12/10/2017 - 15:32
Imprimir Comunicar erro mais opções


O gato foto

Esse gato cor laranja
nunca anda pela rua,
nunca come empadão de frango,
e nunca mia à Lua.

Esse gato engraçado
usa chapéu e bengala.
É um gato muito fofo
que a vó Assunta bordou
em uma linda toalha
antes de viajar ao Céu.

II

A vó Assunta chegou ao Céu
e ouviu os anjos cantar.
Aproximou-se contente
com suas agulhas e linhas
e perguntou em voz baixa:
- O que eu posso bordar?
Um anjo tirou as sandálias
dizendo que desejava
que ela bordara estrelas.

Outro anjo, muito belo,
tinha um manto desbotado,
e apoiado em seu cajado
perguntou: - Você poderia
bordar lindos gatos
entre flores coloridas?

Que alegria sentiu a vó Assunta.
E ela ainda está bordando
estrelas, flores e gatos
entre as nuvens de algodão.

Isabel Furini
Arte Digital de Carlos Zemek
Arte Digital de Carlos Zemek
23/08/2017 - 10:47
Imprimir Comunicar erro mais opções
MARTINHO, O VAMPIRO DIVERTIDO

I
Era uma vez um vampiro
cujo nome era Martinho.
Ele era muito alegre,
mas também um exibido.
II
Gostava de estar conectado
Era um vampiro galanteador
Com os amigos, muito divertido
Por isso sempre ao seu lado
Tinha um lindo computador.
III
O vampiro Martinho dormia
calmamente em seu caixão
e perto de seus pés
dormia um pequeno jacaré.
De repente, entrou um lobisomem
e seu lindo computador levou.
IV
Os vampiros abriram as tampas
dos caixões de madeira.
O lobisomem se assustou
e rapidamente ele devolveu
o computador que não era seu.
V
O Vampiro Martinho
uma festa organizou.
Martinho era bom dançarino
e coma Sereia Iara dançou,
enquanto uma Múmia
cantava uma linda canção.
Lalalá...lalalá...lalalá...
Lalalá...lalalá...lalalá...
VI
O Zumbi não sabia dançar,
mas bebia suco de maracujá.
E o Mago e a Bruxa Dandá
não conseguiam parar de dançar.
VII
O mais importante desta história
é que o Lobisomem se arrependeu.
E como Martinho não era mau,
Ao Lobisomem ele então perdoou.

Poema de Isabel Furini e Elciana Goedert

Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE