18/10/17
32º/20ºLONDRINA
 -
 -
12/10/2017 - 06:37
Imprimir Comunicar erro mais opções


Steven Spielberg sempre esteve ligado à figura de Peter Pan. Por conta disso, não foi surpresa para ninguém quando ele anunciou o projeto de Hook – A Volta do Capitão Gancho. Diz a lenda que a idéia do roteiro nasceu quando o roteirista Jim Hart, o mesmo de Drácula de Bram Stoker, estava lendo para o seu filho a história de Peter Pan. No final, o menino perguntou: E se o Capitão Gancho não tiver morrido? Essa pergunta ficou na cabeça de Hart até que uns quatro anos depois quando seu filho perguntou novamente: E se Peter Pan fosse embora da Terra do Nunca e crescesse? O roteiro surgiu inteiro, na cabeça de Hart. Quem lia o roteiro dizia que Spielberg era o diretor certo para o filme. Quando o script chegou às suas mãos, foi paixão à primeira vista, ou melhor, leitura. Spielberg estava na época há quase dez anos sem dirigir um filme naquele gênero em que é mestre, a fantasia. Trabalhando pela primeira vez em um elenco de estrelas, Dustin Hoffman, Robin Williams e Julia Roberts, o filme foi aguardado com muita expectativa. A história de Hook dá continuidade à história do desenho animado de Walt Disney. Peter Pan derrota o Capitão Gancho (que não morreu e matou o crocodilo). Depois, Pan vai embora da Terra do Nunca, se apaixona pela neta de Wendy, cresce, se casa, torna-se advogado, e esquece seu passado. O Capitão Gancho (Hook, no original) reaparece e rapta seus filhos, obrigando-o a retornar à Terra do Nunca para salvá-los. Hook trata em sua essência da busca da infância perdida. A infância de Peter Banning e a infância do próprio Spielberg (seus filmes de fantasia). Trata de pais e filhos. Ele precisa voltar a ser criança para poder enfrentar novamente Gancho. O que Spielberg quis dizer é que todos temos uma criança dentro de nós. Criança essa que adormece à medida que vamos crescendo. Os filhos são uma chance de trazê-la de volta, de acordar essa criança interior. Não é á toa que a seqüência mais espetacular do filme é justamente aquela em que Peter Banning lembra que foi Peter Pan. São poucos minutos, mas é tudo tão mágico e belo que dá até para esquecer que Hook possui algumas falhas. O início é arrastado demais. Porém, quando aparece a Terra do Nunca e a fantasia começa, o filme decola atingindo o ponto máximo na seqüência citada acima.

HOOK: A VOLTA DO CAPITÃO GANCHO (Hook - EUA 1991). Direção: Steven Spielberg. Elenco: Dustin Hoffman, Robin Williams, Julia Roberts, Bob Hoskins, Maggie Smith, Charlie Korsmo, Amber Scott e Gwyneth Paltrow. Duração: 142 minutos. Distribuição: Columbia.
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Marden Machado
 
Escrevo, todos os dias, sobre um filme, complementando minha participação nos programas Light News (na rádio Transamérica Light FM - 95,1), na rádio CBN Curitiba (90,1 FM), no programa Caldo de Cultura (UFPR TV - canais 15 da NET, 71 da TVA ou via web no http://www.tv.ufpr.br/), e no canal http://www.youtube.com/cinemarden.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE