Falando de Literatura - Isabel Furini
22/01/2017 - 08:07
Imprimir Comunicar erro mais opções
A Marcha das Mulheres constitui um momento histórico no qual são reivindicados, entre outros itens, o respeito pelas mulheres, pelas diferentes raças e pelo direito de escolha de gênero. Para manter a paz mundial é necessário aceitar as diferenças. Todos os seres humanos merecem respeito.

Com objetivo de valorizar a mulher convidamos algumas poetisas para escrever sobre a Mulher, são elas:
Rita Delamari, Laura Monte Serrat, Luciana do Rocio Mallon, Leny Mell, Van Zimerman, Fátima Gonçalves, Luciah Lopez, Izabel Rodrigues Guandalini, Clevane Pessoa, e a encarregada deste blog.


SER MULHER


A mulher não é rosa com espinhos
não é boneca de vidro
nem estátua de mármore
a mulher é um ser humano
que sente
pensa
sonha
e tem o direito de escolher o seu caminho.

Isabel Furini – autora dos livros de poemas "Os Corvos de Van Gogh" e "Os Relógios de Dalí" .

Fotografia de Isabel Furini
Fotografia de Isabel Furini

DESCONSTRUÇÃO

O céu é seu limite...
Querendo sempre mais,
Beleza de puro fulgor
Esplendorosa transmutação.
Respeito, igualdade
Do lar e recatada?
Viver, não importa a idade
Luminosa e espevitada.
Terreno fértil, fruto do amor
Natureza da reprodução,
Um ser capaz,
que grita seu valor
Rótulos?
Desconstrução!
Mulher - atitude,
á frente de seu tempo
Omitir-se, ficar calada?
Jamais!
Sem tabus ou julgamento
Plenitude é o que quer e mais nada!

Rita Delamari é autora de "Das pedra às flores" e "Da janela do quarto".

Pintura de Van Zimerman
Pintura de Van Zimerman


Mulher...
Mulheres ninhos acolhedores de sementes vivas;
Guerreiras ativas;
Forças sonhadoras
que se fazem realidade;
Delicadas lágrimas de amor e saudade!

Mulher... Mulheres;
Saber... Saberes;
Fazer... Fazeres;
Sentir... Sentimentos;
Coragem... Momentos...
Olhares ao vento e pés firmes no TEMPO!

Laura Monte Serrat – Psicopedagoga, artista plástica e poetisa.


Marcha das Mulheres em Janeiro


A marcha das mulheres em janeiro
Nos poderosos Estados Unidos
Buscam um espírito verdadeiro
Em nome dos desprezados e caídos!

Estas mulheres querem respeito às minorias
Para que elas não sejam feridas e nem injustiçadas
A Terra precisa de solidariedade, boas ações e poesias
Pois muitas almas ainda permanecem estilhaçadas!

A ideia desta marcha começou nas redes sociais
E conseguiu o apoio de gente de diversos astrais
Afinal, todos os seres humanos possuem direitos iguais

A marcha das mulheres no janeiro de céu lilás
Encheu o mundo de esperança, amor e paz.

Luciana do Rocio Mallon – é escritora e repentista autora do livro "Lendas Curitibanas".


Almas unidas numa marcha,
Leves, dançantes e de gorro rosa.
Nossa crença não se apaga com borracha,
Nem tememos o homem de histórias escabrosas
Almas aos quatro cantos do universo,
Abaixo toda a violência sexista,
Queremos respeito, flores e versos,

Somos mulheres, sexo forte e femininas.

Leny Mell - É poeta e escritora, administra o grupo Mel Poesias no Facebook.



MULHERES EM MARCHA

Nas ruas de Washington
Olhares atentos,
As mãos seguram cartazes:
Vozes unidas protestam
Chamam a atenção,
Usando gorros rosa
As mulheres em marcha
Protestam!
Solidárias reivindicam
Respeito às pessoas,
De todas as nacionalidades
Religiões e cores...
Mulheres em marcha:
América em Marcha!

21/01/2017
Van Zimerman é formada em Letras, autora do livro Poemas&Imagens.

Pintura de Van Zimerman
Pintura de Van Zimerman


Sem SEXO frágil

O movimento é não me Kahlo
O tempo agora é ser ágil!
Não existe fragilidade
No SEXO feminino
Existe diz respeito e falta de dignidade
Por uma parte da sociedade!

Menos diz respeito...
Para com as mulheres
E mais direitos!
Sem retrocesso
Para as minorias
E mais progresso!

"Menos medo mais amor"
Por favor!

Fátima Gonçalves é professora e poetisa


CONSTEL_AÇÃO

Caminhando lado a lado
de mãos limpas e alma lavada
lá vão elas___ com suas toucas de orelhas de gato
((pussy hats))
arranhando com palavras/garras
defendendo seu espaço,
fugindo do laço
e do mormaço
____exigindo seus direitos de brilhar feito estrelas
da grande constelação _ Mulher!

Luciah Lopez é poetisa, há alguns anos foi ganhadora do Prêmio Cataratas e Poesia.

Protesto

São Marias
Ou Joanas
São mães, filhas
Avós ou tias
Ou são
Médicas
Dentistas
Professoras
Jornalistas
Domésticas
Ou artistas talvez
Mas sobretudo
Mulheres conscientes
Da situação
A que
Estarão expostas
No cotidiano caseiro ou profissional
Onde
Diuturnamente
Sofrerão consequências
Da escolhas feitas
A partir dos ideais
De alguém
Não escolhido por elas
Não...
Izabel Rodrigues Guandalini é professora e poetisa.


Sobre as Marchas das Mulheres

As mulheres marcham desde tempos imemoriais,
catadoras das oferendas da natureza,
para as primevas necessidades de cuidar do alimento.
Colhedeiras de vegetais, legumes e frutas, antes mesmo
das hortas e pomares...
Carregavam muitas vezes, os filhos , numa tira, nas costas,
na frente do corpo ou de lado
- o que ainda hoje, é costume em alguns países.
Mudanças de espaço físico, fugas de guerras,
entre aos fronts, para acudir aos feridos de guerra,
na luta pelo voto, caminhavam as precursoras,
nas primeiras greves, essas evas primevas,
caminhavam juntas para ganhar força
e suas vozes fossem unidas...
Vi uma poetisa, em antigo filme
do qual perdeu-se nos desvãos da memória,
Um filme, onde uma única mulher, sabendo que seria assassinada
pelo marido cruel, caminhou na neve em inverno rigoroso,
Para entregar seu caderno de poemas- e estes fossem preservados...

*

Deméter, a deusa da agricultura , caminhou muito até ao Hades,
para resgatar a filha raptada, Perséfone, que presidia
as estações das flores e seus perfumes , das ervas e dos frutos .
A Terra então, ficou seca, sem plantações, quando a filha de Zeus
foi raptada...O poderoso deus não desceu para resgatar a filha.
E as estações de plantação e colheita somente retornaram
por causa da persistência maternal de Deméter.
Quando a filha foi devolvida - a cada seis meses,
Passando um tempo na terra e outro no inferno, com seu esposo das trevas
voltou o equilíbrio à terra.
Na verdade, ela teria voltado de vez,
se as mulheres não se sentissem tão compromissadas
com seus companheiros .

talvez por isso, que o amor tem suas próprias razões e explicações,
ela come seis sementes de romã, quando deveria voltar
sem nada levar, sem olhar para trás ou se alimentar.
E por tal ato, é condenada a passar seis meses com Hades.
Talvez para ela, fosse a medida do equilíbrio amoroso...
*

Durante guerras, as mulheres da resistência,
das mais jovens às mais velhas,
caminhavam longe para entregar comida, remédios, cartas,
a pé, de bicicleta , com fome ou sede se necessário, aos que se escondiam....
Então, por atavismo, caminhamos juntas, em uníssono,
Protestamos, cantamos, gritamos, reivindicamos.
Por causa das pioneiras, é que votamos...
Somos sentinelas de nosso tempo, criativas e incansáveis.
Deixamos de ser estrelas solitárias,
Para sermos constelações!
As marchas das mulheres são herança, orgulho, alertas, missão!
Caminhemos!

Clevane Pessoa de Araújo Lopes, de Belo Horizonte, Brasil, é poetisa e psicóloga, autora do livro "Asas de Água", membro da Academia Poética Brasileira.
COMENTÁRIOS
 Em 22/01/2017, 14:29, Clevane Pessoa disse:
isabel, você que tanto divulga arte e poesia, seus poemas e de todos nós, merece neste espaço, também um cartaz em nossa marcha:viva Isael-Isabel Furini, sempre fazendo mel, recolhendo-o oferecendo sua doçura poética a todos(as)- labor de outras abelhas e seu também! Abrs, gratidão.Clevane Pessoa -Belo Horizonte-Brasil
COMENTE ESTE POST
Nome
Email
Site
Comentário
 Caracteres restantes : 2000
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
 
Hospedado pela: