Segunda-feira, 27 de Março de 2017
12/12/2008 18:42
Hoje em Londrina

Empresa traz estudo para mais 7 hidrelétricas no 'Tibagi'

Após polêmica envolvendo a construção da Usina Hidrelétrica de Mauá no Rio Tibagi, as empresas EPE e Cnec, vinculadas ao governo federal, apresentaram na tarde desta segunda em Londrina, novos estudos para a construção de outras sete usinas no 3º maior rio do Paraná.

Ambientalistas e indígenas estarão presentes no encontro e prometem reagir, visando proteger o manancial de abastecimento público de Londrina e Cambé.

Ação criminal


As duas empresas e os consultores ambientais Ronaldo Luís Crusco e Marco Antonio Vilarinho Gomes são réus na ação criminal 2006.70.01.004.036-9, proposta pelo Ministério Público Federal de Londrina. Na ação, o atual secretário de Ambiente do Paraná, Raska Rodrigues, também é acusado de improbidade administrativa por ter liberado a UHE Mauá dos estudos integrados que serão apresentados hoje pela Cnec – mais de dois anos depois e com a construção da UHE já em curso, a todo vapor.

Em ofício, EPE e Cnec afirmam que os estudos a serem apresentados nesta tarde, "têm como objetivo geral avaliar a situação socioambiental da bacia do Rio Tibagi considerando os empreendimentos hidrelétricos em operação e os planejados".

Segue o documento, encaminhado às autoridades ambientais de Londrina: "Serão considerados os efeitos cumulativos e sinérgicos dos empreendimentos sobre os recursos naturais, as populações residentes e as atividades econômicas, assim como os usos atuais e potenciais dos recursos hídricos no horizonte atual e futuro de planejamento".

As informações são do advogado da Ong Mae, Carlos Levy, e da especialista em peixes da UEL e pesquisadora do Rio Tibagi há 20 anos, Sirlei Bennemann.
Redação Bonde
PUBLICIDADE
comentários
Abaixo, usuários do Facebook que interagiram com as notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 27/03/2017 15:15
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
Hospedado pela: