18/08/17
25º/15ºLONDRINA
10/08/2017 10:47
Escalada da violência

Londrina acumula quase cem assassinatos este ano

Londrina está prestes a atingir 100 assassinatos em 2017. Até esta quinta (10), homicídios dolosos, latrocínios (roubo seguido de morte) e óbitos em unidades de saúde (após lesão corporal) somaram 98 casos. Número 40% superior ao mesmo período do ano passado, quando a cidade registrou 70 casos. Julho de 2017 chegou ao fim com 15 assassinatos. Em 2016, apenas seis ocorreram nos mesmos 31 dias. Esse resultado é um levantamento exclusivo elaborado pela reportagem, que não inclui vítimas de acidentes.

Gustavo Carneiro/Arquivo Folha
Gustavo Carneiro/Arquivo Folha


Até a publicação da reportagem, cinco latrocínios teriam ocorrido na cidade. O último na madrugada de segunda-feira (7). O comerciante Fernando José Jora, 27 anos, foi morto a tiros em frente ao próprio imóvel, na rua Caroline Vendrame Vaz Primo, Jardim Continental, na zona Norte. Um dos tiros atingiu o tórax da sua esposa, Adriana de Campos, 32. Ela foi socorrida e permanece internada no Hospital Evangélico. A Polícia Civil investiga a participação de três pessoas no crime. No início da semana, agentes da 10ª Subdivisão Policial prenderam um dos suspeitos, um jovem de 27 anos, no Residencial Vista Bela, na mesma região.


Janeiro é o mês mais violento do ano, com 17 óbitos. Fevereiro não ficou muito atrás. Em 28 dias, 16 pessoas perderam a vida violentamente. Julho somou 15. Março e junho somaram 14 mortes cada um. Maio terminou com 12 óbitos. Até o momento, abril foi o menos sangrento do ano: oito mortes. Porém com grande repercussão, marcado pelo ataque do guarda municipal Ricardo Leandro Felippe, no dia 3. Ele é apontado como autor dos homicídios de Vitor Espinosa Gouveia Siena dos Reis, 16 anos, Ana Regina do Nascimento Ferreira, 34, e Valdir Siena, 58. Mortos a tiros. Valdir ainda foi hospitalizado, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia 10 de abril.

Do 1° dia do ano até 31 de julho, 16 pessoas foram mortas por policiais em Londrina. Ainda de acordo com o levantamento da reportagem, 10 mulheres foram mortas. Em 2017 pelo menos nove adolescentes foram assassinados no mesmo período. Número este que já superou os 12 meses de 2016, quando sete menores de idade morreram.

(Colaborou Rafael Machado)
Paulo Monteiro - Nosso Dia
comentários
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
Hospedado pela: