14/12/17
33º/17ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Serviço otimizado

Londrina registra aumento de 27% na coleta de lixo reciclável

Nesta terça-feira (17), data em que se comemora o Dia Internacional da Reciclagem, a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização de Londrina (CMTU-LD), anunciou que o município registrou um aumento de 27% na coleta dos resíduos recicláveis no primeiro trimestre de 2016.

Atualmente, sete cooperativas integram o serviço em Londrina, atendendo mais de 220 mil domicílios: Cooper Região, Coopermudança, Coocepeve, Cooperoeste, Cooper Refum, Coopernorth e Ecorrecin. A coleta seletiva integra mais de 400 cooperados, com renda média de R$ 936.

Segundo a coordenadora de coleta seletiva da CMTU, Eliene Moraes, em 2014 a Companhia fechou o ano com 10.260 toneladas comercializadas. Já em 2015, esse número subiu para 11.235. Com a volta dos sacos verdes no final do ano passado, os três primeiros meses de 2016 registraram 3.840 toneladas, com a média de 1.280 toneladas/mês, muito superior à média de 936 toneladas/mês no mesmo período do ano passado.


De acordo com Eliene, os desafios para 2016 focam a capacitação e a profissionalização dos serviços. "Temos desenvolvido programas e treinamentos para reestruturar e organizar as cooperativas, para ajudá-las a oferecer melhorias nas atividades laborais e no processo produtivo, também o aumento da renda por meio dessa qualificação profissional, a qual deverá refletir, inclusive, no atendimento porta a porta", conta.

Entre os custos pagos pelo Município e os benefícios aos cooperados, estão o aluguel dos barracões (em torno de R$ 625 a cada mil domicílios atendidos), R$ 420 por tonelada reciclada e comercializada, recolhimento do INSS, uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a gestão voltada às melhorias no nivelamento técnico, nas condições de trabalho, sobretudo na segurança e saúde dos catadores.

Sobre os avanços nos últimos 6 anos, a CMTU destaca a inclusão dos catadores no serviço de coleta porta a porta; geração de trabalho e renda para mais de 400 catadores; recuperação de materiais recicláveis com índice de 11%, acima de grandes cidades brasileiras (dados de 2016); aumento da vida útil da Central de Tratamento de Resíduos (CTR); reconhecimento do modelo de gestão municipal com premiações nacionais: Cidades Pró-Catador, em 2014 e, neste mês, o prêmio Excelência Ambev Recicla.

A CMTU reconhece ainda o apoio da população, que é fundamental para os avanços na coleta seletiva. "As melhorias são possíveis porque a comunidade entendeu o valor da separação dos resíduos e está cada vez mais engajada para potencializar a coleta dos recicláveis, com ganhos expressivos para os cooperados e também para o meio ambiente. Essa conscientização e participação tem feito toda diferença", incentiva Eliene.

Londrina é premiada

Na sexta-feira (13), a Ambev anunciou os vencedores do prêmio "Excelência Ambev Recicla": a cooperativa londrinense Cooper Região receberá R$ 100 mil em investimentos, além de um ano de assistência técnica focada em profissionalização, oferecida pela cervejaria. O evento foi realizado em São Paulo com representantes da Cooper Região e da CMTU.

Foram inscritas 230 cooperativas brasileiras com modelos bem sucedidos em gestão, segregação e valorização dos materiais recicláveis. Destas, oito foram selecionadas, em que três foram premiadas, igualmente: Coopert, de Itaúna, Minas Gerais, Ascorsi, de Itapira, São Paulo e a Cooper Região, de Londrina, Paraná - a primeira cooperativa constituída e contratada pelo município, em 2009, e que hoje atende mais de 88 mil domicílios.

Segundo Eliene, o reconhecimento da Cooper Região e do modelo de gestão adotado pelo poder público, fortalece cada vez mais o trabalho que tem sido desempenhado junto às cooperativas, tornando Londrina uma referência para as demais cidades e cooperativas no país e até mesmo no exterior. "A Companhia tem recebido solicitações de informações e a visita de gestores de outras cidades, interessados em conhecer os processos e como a atividade é realizada por aqui. Também a visita de pessoas de fora do país, como no caso dos paquistaneses, no ano passado e, recentemente, da comitiva chilena. É muito gratificante observar o respeito existente com a experiência londrinense, considerada bem sucedida e um modelo a ser aplicado", ressalta a coordenadora.

Para a diretora financeira da Cooper Região, Verônica Cardoso Costa, o prêmio é a concretização de um sonho e a valorização do serviço oferecido pelos catadores. "Sem duvida essa conquista nos dá a certeza de que estamos no caminho certo. Enxergo a cooperativa daqui a 10 anos como uma indústria com vários produtos derivados do PET e de outros materiais", comemora.
O prêmio está inserido na programa Ambev Recicla, com o objetivo de estimular o descarte correto e a reciclagem de embalagens pós-consumo por meio de ações educativas e construção de Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), além de investir em inovação de embalagens sustentáveis.
Redação Bonde com N.Com
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
PUBLICIDADE
6
Continue Lendo
PUBLICIDADE