18/08/17
25º/15ºLONDRINA
16/01/2008 17:28

''Precisamos falar sobre o Kevin'' chega às prateleiras

Obra da norte-americana Lionel Shriver reconstrói o drama de uma mãe que precisa conviver com o fato do filho ser psicopata e homicida

Na maioria das vezes, a literatura retrata a maternidade como uma experiência glorificante, que traz novo sentido à existência feminina. Mesmo quando há dificuldades latentes neste processo, o amor de mãe mostra-se capaz de vencer todos os desafios para proteger sua prole. Mas o que fazer quando seu rebento é um psicopata e homicida? É permitido odiar o próprio filho?

A norte-americana Lionel Shriver explora fundo essas questões no livro ''Precisamos falar sobre o Kevin'', vencedor do Orange Prize em 2005, do BCA Crime Thriller of the Year em 2006 e lançado no Brasil em 2007. O romance reconstrói, por meio de cartas endereçadas ao ex-marido, a relação de Eva Khatchadourian (a mãe e narradora) com Kevin, desde antes de ele vir ao mundo (quando um filho é apenas uma idéia), passando pela gravidez, pelos primeiros anos de vida; até o massacre de seis estudantes e uma professora com flechadas de besta em um colégio particular nos arredores de Nova York.

Durante esse percalço, Eva tenta esmiuçar as fotos desgastadas da memória procurando algum sentido nos fatos que destruíram sua vida. Em suas confidências, ela veste com roupas apertadas (em relatos quase psicanalíticos), o menino frio, sem interesses, nem alegria, que sempre a odiou. Se Eva também o odeia, essa é uma questão difícil de responder. Melhor o leitor ficar com o prefácio do livro: ''É justamente quando ela menos merece, que mais a criança precisa do nosso amor''.


Não se trata de uma história verídica, nem baseada em fatos reais. Apesar disso, as reflexões da narradora passam pela realidade ao analisar a paranóia e o consumismo da cultura norte-americana e sua facilidade em gerar monstros. Ao que parece, a autora, que também é jornalista (Wall Street Journal, The Economist e outros), estudou a fundo os sintomas de uma personalidade perversa para dar veracidade à obra. As maquinações e Kevin para infligir sofrimento, físico e psicológico àqueles que o rodeiam, principalmente à própria mãe (a verdadeira platéia da sua obra macabra) são a parte mais saborosa do livro.

Serviço:
''Precisamos Falar Sobre o Kevin'', de Lionel Shriver

Editora Intrínseca (464 págs.)
Onde comprar: Livrarias Curitiba e Porto
Preço: R$ 49,90
André Amorim - Folha de Londrina
comentários
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
Hospedado pela: