22/11/17
30º/17ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Garante especialista

Enem 2013 não deve abordar protestos

As manifestações populares que ocorreram nos últimos dias por todo o Brasil não devem estar presentes no Exame Nacional do Ensino Médio – Enem de 2013. A constatação tem base técnica e leva em conta todo o processo necessário para criação e validação das questões. É o que afirma o especialista em métricas educacionais Tadeu da Ponte, da Primeira Escolha, empresa especializada em avaliações educacionais, que não descarta, porém, a cobrança dos protestos em redação e de temas semelhantes e anteriores relacionados às manifestações.

O processo de produção de questões para o Enem acontece da seguinte maneira: após recrutar e treinar especialistas de conteúdos, em geral, professores, o Inep, órgão responsável pelo Enem no Ministério da Educação, recebe desses profissionais uma série de questões, as quais passam por uma avaliação qualitativa criteriosa, até que sejam pré-testadas. Nesta fase, além de identificar os itens válidos e inválidos, o pré-teste possibilita a calibragem dos parâmetros das questões, ou seja, a validade estatística e o nível de dificuldade de cada uma delas, fundamentais para uma prova em larga escola como é o Enem. As questões consideradas válidas são aceitas no Banco Nacional de Itens, e só então passam a estar prontas para serem inseridas no exame.

Segundo Tadeu da Ponte, caso haja no Enem 2013 questões de múltipla escolha abordando situações específicas dos protestos observados em junho deste ano, o Inep poderá sinalizar que nem todas as questões são pré-testadas. "Se isso ocorrer, não afeta a integridade da prova, do ponto de vista de sigilo, mas a comparabilidade dos resultados de um ano para o outro poderá ficar comprometida", ressalta. Contudo, o especialista acredita que independentemente disso, o Inep não irá mexer no exame, que muito provavelmente já deve estar pronto. "O Enem já exige um alto nível crítico e reflexivo dos estudantes e não precisaria incluir as manifestações para refletir as questões sociais. Isto é feito desde as primeiras edições", completa.


Redação e temas anteriores relacionados – Diferentemente das questões de múltipla escolha, em redação, o Enem pode inserir acontecimentos mais recentes na coletânea de textos que dão base à proposta. Neste caso, pode haver tempo para a inclusão dos protestos, já que em redação não é necessária a etapa de pré-testes. Ele lembra ainda que temas atuais, desencadeadores das manifestações, também podem entrar, mas somente aqueles contidos em questões tecnicamente validadas no Banco Nacional de Itens.
Redação Bonde com assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
PUBLICIDADE
6
Continue Lendo
PUBLICIDADE