Quarta-feira, 28 de Junho de 2017
18/05/2017 14:33
Vídeos e um e-book

Instituto disponibiliza material com alerta sobre a importância do parto humanizado

Pensando nos benefícios que o parto humanizado traz à saúde da mulher e do bebê, a Morada da Floresta oferece uma série de vídeos que compõem a semana de Educação para o Nascimento sobre a preparação para o parto, com ferramentas práticas ajudar as futuras mamães a estabelecer um maior contato interior para a travessia emocional e espiritual que é esta fase na vida da mulher. O conteúdo, gratuito, pode ser acessado aqui.

Cada gestação é única e cheia de particularidades e é a informação de quais são as diferenças entre os métodos, que vai permitir que a mulher faça melhores escolhas juntamente com a equipe que ela eleger para o nascimento. Isso vale também para quem está nesta jornada pela segunda ou mais vezes.

Mais autoconfiante e empoderada, é possível ter um parto mais satisfatório, um pós-parto mais vivenciado, maior probabilidade de amamentação e o fortalecimento de um vínculo positivo entre a mãe e o bebê.


O problema é que o parto natural humanizado é um tema cercado de medos, mitos e, principalmente ignorância. Por isso as estatísticas do Ministério da Saúde mostram como a cesariana, um procedimento cirúrgico, indicado para partos de alto risco, ganhou espaço mesmo em casos sem indicação, se consolidando como líder no país. Como resultado, gerações inteiras nasceram de parto hospitalar com intervenções, guardando memórias traumáticas que, agora é sabido pela ciência, terão consequências psicológicas para milhões de pessoas.

Outro problema é relacionado a ocitocina, conhecida como o hormônio do amor. Ela é fundamental para as contrações uterinas e dilatação, mas depende de fatores ambientais para ser liberada. É preciso privacidade, baixa luminosidade (relaxamento) e a redução dos estímulos que ativam o neocortex, que é a parte do cérebro que comanda a razão e o discernimento controlando os instintos e emoções.

"Em um ambiente clínico não existem essas condições e são usados medicamentos para substituir os hormônios naturais como: ocitocina sintética no soro, analgesia peridural que substitui as endorfinas, e medicamentos para eliminar a placenta. Tudo isso bloqueia a liberação dos hormônios naturais", explica Ana Paula Silva, fundadora da Morada da Floresta.

Como a qualidade do ambiente uterino é determinada principalmente pelos pais, Ana Paula compilou dicas valiosas para um bom pré-natal. Para receber o material, acesse: http://parto.bebesecologicos.eco.br[/link]

"Por conta dessas circunstâncias, o número de mulheres que dão à luz com a produção natural da ocitocina está tendendo a zero e isso é uma situação sem precedentes", finaliza.

O principal diferencial da iniciativa é a forma leve em que o assunto está sendo tratado. Os organizadores acreditam que o respeito e o bem-estar dentro das possibilidades de cada família é o que humaniza o parto e traz uma visão mais leve sobre o assunto.


Redação Bonde com Assessoria de imprensa
Abaixo, usuários do Facebook que interagiram com as notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 27/06/2017 23:15
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
Hospedado pela: