Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Volkswagen ID.
Com novidades

Alemanha é palco de primeiro grande evento automotivo durante a pandemia

Ricardo Ribeiro/Folhapress
14 set 2021 às 10:40
Continua depois da publicidade

Um salão do automóvel volta a acontecer no mundo pela primeira vez desde o início da pandemia de novo coronavírus. É o Salão de Munique, na Alemanha.

Continua depois da publicidade


Uma das maiores novidades é o conceito Volkswagen ID.Life. O protótipo antecipa um novo compacto elétrico abaixo do ID.3 focado no público jovem para brigar na faixa dos 20 mil euros com lançamento em 2025.

Continua depois da publicidade


"É a nossa visão de mobilidade para as gerações jovens", definiu Ralf Brandstätter, executivo chefe para carros de passageiros da Volkswagen. "Somos o carro do povo e vamos continuar fazendo o que sempre fizemos. Desenvolver mobilidade para as futuras gerações."


Com quatro metros de comprimento, o futuro 'ID.2' ficará logo abaixo do do ID.3, que hoje começa em 30 mil. Brandstätter revelou ainda que o novo modelo também será fabricado por Skoda e Cupra, possivelmente na Espanha, popularizando a linha de elétricos do Grupo Volkswagen. O Brasil, por enquanto, está fora dos planos.

Continua depois da publicidade


O teto e a tampa dianteira são de tecido feito de garrafas PET e camisetas recicladas. No interior, a madeira no painel e contornos dos bancos traseiros é combinada com um composto ecológico também presente nas superfícies dos bancos e frisos das portas. Bio-óleo, borracha natural e casca de arroz servem de base para os pneus do protótipo.


O interior abriga as conexões indispensáveis para o público alvo do novo modelo. O ID.Life pode ser convertido em cinema ou sala de jogos. O protótipo vem com um console de videogame e projetor, e uma tela emerge do painel de instrumentos quando necessário.


Não há garantia, porém, de que todos os materiais e recursos estejam no modelo de rua. Versões de produção tende a ter alguma nível de simplificação, o que ainda não foi detalhado pela VW.


Para o Brasil, uma das antecipações são os SUVs de luxo da chinesa Great Wall, marca que comprou a fábrica da Mercedes no interior de São Paulo.


Divisão de SUVs de luxo da marca, a Wey traz apenas utilitários esportivos com motorização híbrida plug-in e chega com a ambição de brigar no segmento premium, mirando montadoras como BMW e Mercedes-Benz. Embora o foco nesta fase de lançamento seja o Velho Continente, os SUVs da Wey também podem vir ao Brasil.


Estreante na Europa, a Wey não é propriamente uma novata. A marca foi fundada em 2016, na China, onde opera desde então e já vendeu mais de 400 mil carros no segmento de luxo. 

Continue lendo