15/12/19
34º/21ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Erika Gonçalves
Erika Gonçalves
10/08/2018 - 19:21
Imprimir Comunicar erro mais opções
Outros dia alguém fez um comentário por aqui perguntando se gatos que vivem sem acesso a rua se divertem. E a resposta é que depende do tutor. Para ser feliz o animal depende não só de ração, água e abrigo, mas também de interação com as pessoas da casa e um ambiente preparado para ele, o chamado enriquecimento ambiental. E não é preciso gastar muito para isso.

Tem vários brinquedos que podem ser feitos em casa, gastando bem pouco ou quase nada!

Vendo tudo de cima - Uma das coisas que os gatos mais gostam é de lugares altos. Por serem predadores mas também presas, gostam de ficar observando tudo o que acontece, em segurança. Vale liberar um espacinho em cima do armário, estante ou escrivaninha. Melhor ainda se conseguir criar um corredor por onde o gato possa andar pelo cômodo, sem descer para o chão. Isso é bem válido principalmente se há cães na casa. Quem quiser investir um pouco pode comprar uma ou várias prateleiras e criar esse espaço no alto. Dá até para preparar um lugar macio perto das janelas, assim eles podem observar o movimento lá fora mas em segurança.

Caça ao petisco - Pegue uma garrafa pet pequena, faça pequenos furos por onde passe a ração ou aqueles petiscos para gatos. Coloque o alimento, feche bem e dê ao bichano. Ele vai ficar rolando a garrafa para conseguir pegar os grãos que caírem. Lembre de descontar essa porção da quantidade de alimento diário do gato, para evitar que ele coma demais.

Caixa de papelão - gatos são loucos por caixas de papelão, não importa o tamanho que elas tenham. Então na próxima vez que for ao supermercado escolha uma caixa grande e de preferência, bem firme. Recorte alguns retângulos grandes o suficiente para que o gato consiga passar. Feche bem a tampa e prenda com fita. Pronto! Seu gato vai se divertir com essa toca particular.

Varinha - pegue algo bem chamativo, pode improvisar com embalagem de salgadinhos bem lavada, por exemplo. Corte em tiras, amarre formando um pompom e prenda com um fio comprido em uma varinha. Agora o seu gato poderá brincar com vocÊ de caçar algo. Só se lembre de dar a ele um petisco toda vez que conseguir pegar a "presa". E nunca deixe o gato brincar sozinho com esse fio, para evitar acidentes!!

Bolinha de papel - Esse não tem segredo e é super simples de fazer. Pegue uma folha de papel, o saco de pão ou um guardanapo, amasse bem e pronto! Se tiver catnip em casa pode colocar um pouco dentro, antes de amassar.

E ai, tem mais algum brinquedo que seu gatinho ama e é fácil de fazer? Conta pra gente!
29/06/2018 - 09:25
Imprimir Comunicar erro mais opções
Uma das características marcantes nos pets é a sua curiosidade pelo novo. Eles adoram descobertas e é nesse momento que nós, tutores, devemos tomar algumas precauções para que não ocorra acidentes, como intoxicações por medicações, comidas, plantas entre outros.
Para evitar que o pet curioso ingira o que não deve, guarde os remédios em lugares seguros e de preferência trancados. Se colocar em gavetas, certifique-se de que o peludo não consegue abri-las.

É importante ressaltar também que a utilização de remédios em animais deve sempre ter a orientação e a supervisão de um médico veterinário, pois a alta dosagem pode acarretar sérios riscos à saúde de seu amigo. Até mesmo em relação a xampus, sabonetes ou loções, o veterinário deve ser consultado, uma vez que estes produtos podem causar toxidade em alguns animais.

Se o pet tem acesso a todos os lugares da casa, cuide para que o seu jardim, caso tenha, possua plantas que não ofereçam perigo, pois sabe-se que algumas podem ser venenosas.

Nos passeios, fique atento ao gramado, pois nossos amigos amam comer grama e, desta forma, podem ingerir plantas com veneno, como o "mata-mato", muito utilizado para diminuir a quantidade de grama.

Alimentos também merecem uma atenção maior, pois os pets podem ingerir algum que é contraindicado. Por isso, todo o cuidado na hora do passeio é pouco.

A ajuda de um especialista, como o adestrador, pode ser de grande ajuda para disciplinar o pet, assim ele aprenderá comandos para que não pegue nada do chão. Nestes casos, o comando mais utilizado é o NÃO, porém o adestrador poderá dar outras orientações imprescindíveis aos cuidados do peludo.

Normalmente temos o costume de oferecer ao animal o que comemos, seja um pão ou um biscoito, pois sempre ficamos com dó da carinha que eles fazem e não resistimos. Não faça isso! Muitos alimentos humanos são perigosos aos pets, como o chocolate e a uva, que parecem inofensivos, mas podem levar o peludinho à morte.

Produtos de limpeza também são perigosos, principalmente os líquidos, mais fáceis de serem ingeridos. Cuide para que eles estejam bem guardados do amigo.

Caso aconteça algum incidente, não se desespere e procure um veterinário ou hospital imediatamente. Somente com profissionais o quadro de intoxicação ou envenenamento poderá ser revertido. No mais, todo cuidado que você puder oferecer ao amigo é importante para que ele não corra riscos.

Por Paula Miranda, adestradora e franqueada da Cão Cidadão
18/06/2018 - 07:30
Imprimir Comunicar erro mais opções
Está certo que muitas vezes nós nos encantamos mais com os brinquedos do que os nossos pets. Quem nunca pagou caro por um brinquedo no petshop e viu o gato ignorá-lo que atire a primeira bolinha de papel.

Mas a tecnologia está sempre evoluindo e com ela, cada vez brinquedos mais legais estão chegando ao mercado. O zootecnista e especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, esteve na Global Pet Expo, considerada uma das maiores feiras dedicadas aos animais de estimação do mundo, que aconteceu em Orlando, nos EUA, de 21 a 23 de março e conta um pouco do que viu por lá.

"Uma das novidades que mais me chamou a atenção foi um ratinho robô, que simula uma presa para que os gatos possam perseguir e capturar, dando espaço ao instinto natural de caça desta espécie. Feito com tecnologia de aspiradores de pó, o ratinho consegue desviar de objetos pela casa. Além disso, ele foge do felino, vira, desvira e até treme e grita quando é capturado. Na minha opinião, essa será uma tendência cada vez mais comum como brinquedo interativo para os animais de estimação, pois oferecer um rato vivo para o felino caçar é considerado cruel. Esse brinquedo é muito importante para que o gato possa ter mais atividades físicas e psicológicas dentro de casa. Como era apenas um protótipo, o produto deverá ser lançado nos EUA em breve, mas aqui no Brasil ainda não tem previsão", explica.

Outra tendência apontada na feira é o uso medicinal da maconha também para os animais de estimação. Rossi ressalta que "nesses produtos o princípio ativo é o cannabidiol (CBD), que tem propriedades terapêuticas e não o tetradidrocanabinol (THC), que contém princípios psicoativos e neurotóxicos."

"Achei muito interessante como essa tendência aumentou, anteriormente eu via um ou outro expositor com produtos contendo a maconha como componente principal, mas nessa última feira encontrei mais de trinta expositores com esses tipos de produtos. Eles são vendidos em vários formatos: pastas, petiscos, pílulas ou cremes, com a finalidade de aliviar dores, auxiliar na cicatrização, acalmar, atuar como anti-inflamatório, controlar epilepsia, etc. Alguns efeitos benéficos já são comprovados cientificamente e outros ainda estão sendo estudados", diz o especialista.

Outro acessório para pets que deve se tornar mais comum, tendo em vista as novidades mostradas na feira, são os carrinhos para transporte dos pets, principalmente os cachorros. Ele destaca que, entretanto, o carrinho só deve ser usado em situações pontuais, para não se tornar prejudicial, impedindo o cão de passear no chão, "um comportamento natural e muito importante para eles."

Alimentação

Rossi conta também que o mercado está trazendo muitas novidades relacionadas com a alimentação.

"A alimentação muito natural, por exemplo as que ofereciam ratos e pintinhos congelados para alimentar o pet, como forma de levá-lo de volta a suas origens naturais de predador, apresentadas nas últimas feiras, não foi bem recebida pelos tutores e perdeu forças. Por outro lado, essa alimentação, não tão exagerada, sempre ganha destaque e muitas tendências estão ligadas a este quesito. Vi rações secas, sem transgênicos, orgânicas, alimentação natural crua, desidratada, entre outras. Vi petiscos feitos à base de proteína de grilos, pois criá-los consome menos recursos naturais, como água e alimentos, e em vários momentos percebi a preocupação e o cuidado das empresas com o meio ambiente. Acredito que essa é uma tendência que atrairá muitos tutores que se preocupam com questões ambientais. A alimentação natural para gatos é possível, mas, assim como com cães, deve ser prescrita e acompanhada por veterinário, especialista no assunto", finaliza.
14/06/2018 - 20:50
Imprimir Comunicar erro mais opções
Com o início da Copa do Mundo, o tutor de cão e/ou gato deve se preocupar não somente com a vestimenta verde e amarela do bichano, como também cuidar do ambiente para que a época, considerada uma das mais alegres para o brasileiro, não se transforme em momentos de estresse – tanto para ele quanto para o pet que, cada vez mais inserido nas famílias, acaba participando das comemorações.

O médico veterinário Marcello Machados, da Total Alimentos, dá algumas dicas para curtir a festança:

Adereços

Em relação aos adereços, procure usar aqueles específicos que não causem incomodo ou machuquem seu amigo. Importante que o pet já esteja acostumado a utilizar também para não causar estresse. Atenção com fitas, bandanas e acessórios plásticos que possam enroscar e causar ferimentos e até mesmo sufocamento ou ainda algo que ele possa tirar e engolir. De preferência, se for utilizar algum acessório, sempre esteja perto de seu amigo supervisionando-o.

Sobre tinturas de pelo, utilize apenas as desenvolvidas para os pets. Mesmo assim, faça um teste com um pouco de tinta em uma pequena área, diretamente na pele e observe se não causa nenhum tipo reação alérgica local.

Cuidado com a alimentação

Em relação aos petiscos que servimos durante os jogos, não ofereça de forma alguma. Além de não ser própria para eles, estes alimentos estão carregados muitas vezes de gordura e outras substâncias que podem causar distúrbios digestivos graves. Use snacks específicos e também de forma moderada. Eles podem ser oferecidos como agrado ou recompensa, mas não substituem a alimentação completa diária. Bebida alcoólica jamais, o álcool é extremamente nocivo para eles e pode causar intoxicações graves.

Barulho e fogos de artifício

Em relação ao barulho, para os pets, o ideal é não haver. Por possuírem ouvidos sensíveis e potentes, os barulhos das vuvuzelas, apitos, cornetas, televisão alta, gritos e principalmente rojões, os deixam muito estressados e atordoados. Dentro de casa se estiver com um pet junto, comemore com moderação de barulho, eles agradecem. Abaixo algumas dicas para quem não consegue escapar dos rojões:

- Não deixe os cães acorrentados, pois ao ouvir os fogos eles entram em pânico e podem acabar se sufocando. Mantenha o local seguro, livre de objetos que possam machucá-lo.

- Se você tem uma piscina em casa, cubra-a bem para evitar que animais assustados caiam e se afoguem nela. Lembre-se de que mesmo sabendo nadar, se o nível da água estiver baixo, eles não conseguirão sair sozinhos.

- Feche portas e janelas para evitar fugas. Assim você garante que eles ficarão protegidos dentro da sua casa.

- Se você tem mais de um cão, separe-os, pois com o barulho alto eles podem se assustar e brigar entre si.

- Sirva a ração em pequenas refeições. Com muito alimento no estômago, ele pode ter problemas de digestão e até uma torção gástrica, caso entre em pânico.

- Se o seu pet é do tipo que fica muito assustado, procure um veterinário de confiança e peça indicações de ansiolíticos para os dias mais críticos.

- No momento dos fogos, feche a janelas e portas do local, ligue a televisão ou rádio (volume não exagerado) e se possível um ventilador para abafar o som e ruídos de fora. Aja naturalmente e com tranquilidade. Caso ele queira se esconder, deixe-o à vontade sem forçá-lo a ficar no seu colo, apenas caso ele sinta necessidade e venha pedir abrigo com você. Muitas vezes em que os abraçamos e assumimos uma postura de querer protegê-los, passamos a sensação de que aquele é realmente um momento de perigo, deixando-os ainda mais agitados.
08/06/2018 - 08:00
Imprimir Comunicar erro mais opções
* Neste sábado, 9 de junho, a Cobasi em parceria com a ONG Amigo Bicho irá realizar um evento de adoção de cães e gatos nas dependências da loja localizada na Avenida Madre Leônia Milito, 2121. O evento acontece das 10h às 17h e para adotar um dos animais é necessário ser maior de 18 anos, portar o documento de identidade, ler e assinar o termo de adoção. Todos os animais disponíveis para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados. O evento acontecerá todo segundo sábado do mês, no mesmo horário por tempo indeterminado.

* No domingo (10) o Projeto Sete Vidas realiza sua feira no Átrio do Boulevard Londrina Shopping, ao lado estacionamento descoberto. Os voluntários também estarão recebendo doação de ração para ajudar os animais carentes. Para adotar é necessário passar por entrevista com a equipe, apresentar documentos pessoais, comprovar residência e ser maior de 18 anos para assinar o termo de responsabilidade.

* Campanha Petz Estrelas - no domingo a Petz Catuaí promove um dia de ensaio fotográfico para os pets e aulão de adestramento. Todos os pets que forem levados no dia 10 de junho, das 10h às 17h, à loja Catuaí vão participar de ensaio fotográfico em estúdio montado no local, com um fotógrafo profissional. Além de ganhar a foto especial no mesmo dia, eles poderão ser escolhidos para virar estrela de vídeo produzido pela rede de pet shop. A campanha Petz Estrelas vai criar um concurso nas redes sociais, para escolher o pet mais fofo da cidade, com a hashtag #petzestrelas, que vai aparecer depois no vídeo da Petz. Também haverá aulão de adestramento com a equipe da Cão Cidadão, das 11h às 12h, e encontro com a youtuber Kim Rosa Cuca, com seu pet Bart, das 15h às 17h, que atenderá as primeiras 150 pessoas.
Erika Gonçalves
 
Formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina em 1997. Apaixonada por bichos desde sempre, mas sem vocação para ser médica veterinária. Já teve um "zoológico" em casa quando criança. Está sempre buscando novidades sobre o comportamento animal. É repórter da Folha de Londrina.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE