Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Lixo e pichação na nossa História

31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A gente vive cercado de situações e fatos absurdos. A maioria deles, proporcionados por nossos competentes políticos e administradores públicos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Um exemplo revoltante é o estado de abandono em que está o antigo prédio da RFFSA, na Rua João Negrão. A coluna Lado B desta sexta-feira dia 20 fala sobre isso - com fotos do Diego Singh.

Continua depois da publicidade



Dá pra acreditar?


O edifício é lindo e tem muito a ver com a história da nossa cidade. Ali ao lado está a lendária Ponte Preta (aliás, onde foi parar a Maria Fumaça que ficava estacionada ali?).

Continua depois da publicidade


Também vizinho, não por acaso, é o shopping Estação - uma coisa de mau gosto, mas que pelo menos preservou a fachada e alguns itens da antiga e chiquérrima Estação Ferroviária de Curitiba.



Ali ao fundo, a Ponte Preta


No entanto, esse imóvel único está sendo tomado pelo lixo, pelos pichadores, pela degradação. Faz mais de um ano que a UFPR recebeu o prédio da União. Ali funcionaram escritórios e oficinas da extinta RFFSA. E agora? O que a Universidade espera para tomar conta do imóvel? Sei que é preciso verba para reformas e ocupação efetiva do prédio. Mas deixar assim totalmente abandonado, não dá.


Seria muito legal se as pessoas que tomam conta dessas coisas fossem um tiquinho mais cultas. Se tivessem um pouco mais de cuidado com o patrimônio público e histórico. Se tivessem noção da importância das edificações históricas de uma cidade.


Assim de cara lembro de estações de metrô em Paris, Londres e outras capitais, que não somente funcionam como foram recuperadas e proporcionam aula de História a todos que as frequentam.


E a incrível Grand Central Station, em New York?



É de cair o queixo


PS - Piada antiga e recorrente entre jornalistas que trabalham em Curitiba é a "pauta da Ponte Preta". É que não passa muito tempo sem que algum motorista desavisado encalhe o caminhão ali, porque a ponte é baixinha. Quem é experiente em redação já viu essa pauta uma dúzia de vezes. Acontece umas duas vezes por ano. Da última vez, foi pior: era um ônibus novo da Linha Turismo, da prefeitura, desses que são abertos em cima para o pessoal curtir a vista. Ainda bem que ninguém se machucou.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade