02/04/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Lucio Flávio
Lucio Flávio
16/11/2019 - 22:39
Imprimir Comunicar erro mais opções
Dos últimos jogos, o contra o Botafogo neste sábado (16), no estádio do Café, foi o melhor. O problema que o bom do Londrina ainda é muito pouco. O empate em 1 a 1 tem gosto amargo de derrota e deixa o time em uma situação cada vez mais irreversível.

Não faltou tentativa por parte do LEC em ganhar o jogo. Começando por Silvinho Canuto, que escalou o time com quatro atacantes desde o início da partida. O time chutou, cruzou, acertou bola na trave, exigiu defesas do goleiro Darley, mas novamente faltou qualidade, uma marca registrada do Tubarão ao longo da série B.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


Sem nenhum aspiração no campeonato, o Botafogo fez muito esforço para não ganhar a partida. Mesmo assim, o Londrina não teve forças. E o time de Ribeirão Preto não pode deixar de fazer o seu gol, através do centroavante Henan, após novo erro defensivo do Alviceleste. Desta vez, os dois zagueiros - Dirceu e Léo Rigo - falharam no mesmo lance.

O LEC abafou em muitos momentos, mas errou passes em demasia e não conseguiu criar um lance coletivo cristalino para fazer o gol. Só chegou ao empate aos 33 minutos do segundo tempo, através de Paulinho Moccelin, que fez de cabeça.

O time teve mais 18 minutos para buscar o tento da vitória - o jogo acabou aos 51 -, mas sabe aquele ditado que sempre dá para cavar um pouquinho mais no fundo do poço. Pois é, a fase do Londrina é realmente ingrata.



O técnico Silvinho Canuto colocou em campo o garoto Vitinho, revelação da base, como sua última substituição e na primeira jogada do garoto ele sofreu uma lesão grave no joelho e teve que sair. Como consequência, o LEC teve que jogar o fim da partida com um a menos. Faltou força e organização para buscar a virada.

São seis jogos sem vencer e sete sem saber o que é ganhar no Café. Faltando apenas duas rodadas para o fim, a missão do LEC é torcer contra os rivais - Oeste e Figueirense - e encontrar um jeito de fazer seis pontos. Mas o milagre para escapar da queda é cada vez mais improvável.

12/11/2019 - 22:11
Imprimir Comunicar erro mais opções
Era uma questão de tempo. E finalmente a zona do rebaixamento chegou para o Londrina. E ela vem em um momento que o time não mostra nenhuma força para reagir faltando três rodadas para o fim da série B.

A sorte e os deuses do futebol se cansaram do LEC porque todo mundo tem o seu limite. E limitações é o que mais este time tem. Limite técnico, tático, físico e mental. Nada e ninguém ajuda uma equipe que perde 20 jogos em 35 rodadas.

O Alviceleste em nenhum momento do jogo contra o Criciúma mostrou alguma força para ganhar a partida. A única finalização do time no gol foi aos 42 minutos do segundo tempo, após um escanteio Silvio desperdiçou a chance na pequena área quando o placar já apontava 2 a 0 para os catarinenses.

Caio Marcelo / Criciúma EC
Caio Marcelo / Criciúma EC


O LEC conseguiu perder para um time que não vencia há nove rodadas e só tinha ganho seis partidas em 34 rodadas. O Criciúma, assim como o Londrina, é muito limitado e não terá milagre que o salvará da série C. Os dois devem morrer abraçados.

Sem nenhuma força ofensiva, o Londrina mostrou também os mesmos erros defensivos. Em cima de Dirceu, aos 10 minutos, Léo Gamalho abriu o placar. E aos 35 do segundo tempo, o outro atacante catarinense, Andrew, que não havia feito nenhum gol no Brasileiro, fechou a conta, ao aproveitar uma zaga totalmente aberta e mal posicionada.

O desânimo do Londrina no fim do jogo é o retrato de um time que foi desmoronando ao longo da competição e que chega no seu pior nível justamente quando a competição se define. A consequência deste cenário é uma inevitável queda que vem se materializando há bastante tempo.
11/11/2019 - 16:22
Imprimir Comunicar erro mais opções
Ao longo da sua história o Londrina teve vários treinadores que foram jogadores do clube. Os últimos exemplos foram Roberto Fonseca e Alemão. Agora é a vez de Silvinho Canuto assumir o time profissional com a missão de evitar a queda do Tubarão na série B do Campeonato Brasileiro.

Aos 42 anos, Silvinho construiu uma carreira vitoriosa como jogador, com passagens por grandes clubes brasileiros e também fora do país. Meia clássico e de muita habilidade, Silvinho foi formado nas categorias de base do LEC e chegou ao profissional em 1995.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


Um ano depois foi vendido ao XV de Piracicaba. Depois atuou por três anos no Guarani, Athletico Paranaense, Internacional, Vitória e Chapecoense. No Japão, é ídolo até hoje. Jogou por quatro anos no Vegalta Sendai e mais dois no Albirex Niigata. Defendeu ainda na terra do sol nascente o Yokohama FC. É recepcionado por torcedores no aeroporto até hoje quando visita o país.

Voltou ao Londrina em 2009 para a disputa do Brasileiro da série D e depois ainda em 2011, quando foi campeão da Divisão de Acesso pelo Alviceleste. No ano seguinte encerrou a carreira no Tubarão.

Leia também
Silvinho segue os passos de Alemão, mas terá tarefa árdua no LEC

LEC oferece prêmio por permanência na série B


A trajetória de treinador começou dois anos depois dirigindo o time sub-19 do Londrina. Canuto retornou a clube do coração em 2018 para comandar a equipe sub-17. Em 2019, passou a dirigir o time sub-19 e faz grande campanha na temporada, com 23 vitórias, quatro empates e somente duas derrotas.

O time teve ótima participação na Copa São Paulo, sendo eliminado, nos pênaltis, pelo Fluminense na segunda fase. Foram duas vitórias e dois empates na Copinha.

O time sub-19 do Londrina é finalista do Campeonato Paranaense da categoria. O LEC saiu na frente na briga pelo título ao vencer o Coxa por 2 a 0, no último sábado (9), no Couto Pereira. A partida de volta acontece no domingo (17), às 10h, no estádio do Café.

Irmão do presidente Claudio Canuto, Silvinho estreia no comando do Tubarão nesta terça-feira (12) no jogo contra o Criciúma, em Santa Catarina. O treinador irá comandar o time nas quatro rodadas finais da série B e deve ser o comandante também no Paranaense de 2020. O Londrina é o 16º colocado na série B, com 35 pontos.
10/11/2019 - 14:53
Imprimir Comunicar erro mais opções
É muito claro que o principal problema do Londrina na série B não é treinador, afinal o clube vai para o seu quarto técnico no Brasileiro. Mas por outro lado, alguma coisa precisava ser feita pois o time não mostrava nenhum sinal de melhora com Mazola Júnior. A acomodação seria pior.

Então em uma última cartada para evitar a queda, a direção decidiu demitir Mazola e promover Silvinho Canuto, que tem uma identificação muito grande pelo clube e conhece o dia a dia do CT da SM Sports.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


Silvinho faz belo trabalho no time sub-19, que está muito perto do título do Paranaense, e tem potencial, mas terá uma missão muito difícil para fazer o time pontuar nas quatro últimos rodadas para não entrar na zona do rebaixamento.

O comandante alviceleste tem uma trajetória muito parecida com a do Alemão. Os dois são contemporâneos da base do LEC. Jogaram juntos nas categorias menores e também no profissional. Inclusive, no início dos anos 1990, foram vendidos juntos para a TAM, que administrava o futebol do XV de Piracicaba.

Como treinadores, também trilharam caminhos semelhantes. Silvinho treinou o sub-17 e o sub-19 do LEC e conhece bem boa parte dos atuais jogadores do elenco. Silvinho era o auxiliar direto do Alemão no período em que esteve a frente do Londrina.

A missão do Silvinho, entretanto, será muito mais complicado do que a do Alemão, que teve tempo para trabalhar e muito mais opções para montar a equipe. Silvinho não tem tempo, tem um time cheio de problemas e desfalques e pega um grupo totalmente pressionado e sem autoestima nenhuma.

Silvinho tem a seu favor o conhecimento do elenco, a identificação com o clube e o apoio irrestrito da torcida. É o que menos tem responsabilidade neste momento, em caso de queda. Por isso, a pressão sobre ele não existe e isso pode ajudar.

Independentemente do que acontecer nas últimas quatro rodadas, Silvinho já tem a promessa que será o técnico do Londrina no Paranaense do ano que vem. Mas como é difícil prever o futuro do clube sem a garantia da série B, nada dá para se afirmar neste momento. No futebol muda-se tudo do dia para a noite.

Espero e torço para que Silvinho possa ter o mesmo sucesso do Alemão e que o Londrina, seja qual for o resultado, tenha aprendido com o que aconteceu com Alemão e não queime mais um profissional promissor e que pode dar muito retorno ao clube no futuro.
08/11/2019 - 23:48
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina chegou a quatro derrotas consecutivas e por mais incrível que pareça segue fora da zona do rebaixamento. Não há nenhuma dúvida que os deuses do futebol estão interferindo a favor do Tubarão.

Apesar de toda a limitação do elenco e das 19 derrotas na competição, o LEC continua dependendo só dele para fugir da queda para a série C faltando quatro rodadas. Tudo isso porque os principais rivais também não ganharam. O São Bento perdeu e o Vila Nova e o Figueirense empataram.



Londrina e Figueira agora somam os mesmos 35 pontos, mas o LEC tem dez vitórias contra seis dos catarinenses, que por isso continuam abrindo a ZR.

Mas os deuses do futebol não são tão milagreiros assim e uma hora o Alviceleste terá que fazer a sua parte para evitar o pior. Por enquanto, segue não fazendo. A derrota de 1 a 0 para o América Mineiro foi mais uma daquelas de dar dor no coração do torcedor.

Não faltou luta e vontade, mas novamente o time jogou muito pouco e tomou outro gol de bola parada. Escanteio da esquerda e gol de cabeça do zagueiro Ricardo Silva, aos 18 minutos de jogo. Havia sido assim nas derrotas para Paraná e Atlético Goianiense.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


O técnico Mazola Júnior fez seis alterações na equipe, mas os efeitos foram poucos. O treinador perdeu duas alterações porque André Moritz e Alemão, com atuações pífias, ainda saíram machucados. César ainda salvou pelo menos três gols certos dos mineiros no segundo tempo.

Mazola não deixa de ter razão ao afirmar que as derrotas para Paraná, Atlético e América são normais, porque os adversários são muito melhores que o Londrina. E também acerta ao dizer que a decisão do Londrina será agora nos duelos com os concorrentes diretos Criciúma, São Bento e Guarani e ainda no confronto com o Botafogo, que não tem mais aspirações no campeonato.

São nestes jogos que o time tem a obrigação de pontuar. Mas, apesar da ruindade também dos rivais, terá que jogar mais porque depender só dos deuses pode ser arriscado demais.

Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE