23/02/20
32º/19ºLONDRINA
Lucio Flávio
Lucio Flávio
24/10/2019 - 14:40
Imprimir Comunicar erro mais opções
Apesar de estar focado na reta final da série B e na luta contra o rebaixamento, o Londrina já pensa em 2020. Candidato único a eleição presidencial em novembro, Felipe Prochet tem feito várias reuniões projetando o futuro alviceleste.

Na quarta-feira (23), Prochet se reuniu com o gestor Sérgio Malucelli e ficou encaminhada a renovação de contrato com a gestora do futebol por mais dois anos. Com isso, a SM ficaria a frente do LEC até 2022, quando termina o mandato de Prochet.

As duas partes preferem ainda não falar oficialmente, mas o acordo está selado. "Acredito que a chance dele (SM) permanecer é grande", se limitou a dizer Felipe Prochet quando questionado sobre a renovação do contrato com a gestora. O atual vínculo da empresa com o LEC é válido até dezembro de 2020.

Prochet é o primeiro convidado do podcast Bola pro Mato da Folha de Londrina, que estreia nesta sexta-feira (25), no canal da FolhaCast. O novo presidente do LEC vai abordar o assunto da continuidade da parceria com a SM Sports e de outros assuntos relevantes para o futuro do Alviceleste.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


O novo contrato terá mudanças em algumas cláusulas, incluindo a que hoje repassa 10% das receitas do futebol (patrocínios, cotas de TV, bilheteria) ao clube. A oficialização da renovação será anunciada até o final do ano e antes da posse da nova diretoria. Desde que aceitou o convite para voltar a presidência do clube, Prochet sempre fez questão de frisar que a definição da permanência ou não de Malucelli teria que ser definida o mais rápido possível.

O acordo foi encaminhado porque o Londrina entende que é prematuro se manter sozinho e sem um parceiro. Por outro lado, Sérgio Malucelli também reconhece a dificuldade do clube e sabe que a manutenção da parceria é importante também para a sua empresa.

Leia também

Os desafios da nova diretoria do LEC
LEC já tem chapa definida para a eleição de novembro



O objetivo dos dois lados em prorrogar a parceria por mais dois anos é proporcionar um período de "tranquilidade" para que o clube intensifique e se aprofunde no projeto de se tornar uma SA. Uma transformação em clube-empresa interessa ao próprio gestor, que poderia se tornar um acionista do LEC no futuro. Com mais três anos de "fôlego" no futebol, o Londrina teria tempo para tratar desta transição e buscar novos parceiros.
22/10/2019 - 11:17
Imprimir Comunicar erro mais opções
Enquanto Athletico, Londrina, Coritiba, Paraná e Operário se concentram nas rodadas finais do Brasileiro da série A e B em buscam de seus objetivos, os demais clubes do Estado já se preparam visando o Campeonato Paranaense de 2020.

O Estadual do ano que vem terá 12 times e começa no dia 18 de janeiro. E muitos dos clubes paranaenses apostam em ex-jogadores como treinadores para a próxima temporada.

É o caso do Toledo, que trouxe de volta Paulo Baier, que dirigiu o clube em 2018, e terá a responsabilidade de defender o vice-campeonato de 2019. Quem segue a mesma linha é o Rio Branco, que acertou a contratação de Tcheco, ex-meia do Coritiba e do Paraná.

Letícia Martins/EC Vitória
Letícia Martins/EC Vitória - O técnico João Burse deixou o Vitória para assumir o Cianorte
O técnico João Burse deixou o Vitória para assumir o Cianorte


Outro ex-jogador que estará no banco no Estadual é Reginaldo Vital, que segue no comando do PSTC, que retorna a primeira divisão no ano que vem. Vital trabalha no clube londrinense desde 2015.

Quem também já definiu o seu treinador é o FC Cascavel, que acertou com Marcelo Caranhato, que trabalhou no futebol paranaense pelo Cianorte. Assim como o Toledo, o Cascavel será um dos três representantes do Paraná na série D. O outo clube é o Nacional, campeão da Copa FPF sub-23.

Na segunda-feira (21), o Cianorte anunciou a contratação do técnico João Burse, que comandava o time sub-23 do Vitória (BA) e que já trabalhou também na base do Palmeiras.
18/10/2019 - 22:31
Imprimir Comunicar erro mais opções
O técnico Mazola Júnior arriscou, mudou o esquema novamente, improvisou e foi feliz nas suas escolhas. Mesmo sem brilho técnico, o Londrina fez um jogo seguro e venceu uma partida importantíssima na sua luta contra o rebaixamento.

Raí Ramos, improvisado na lateral-esquerda, marcou um golaço aos 31 minutos e garantiu o 1 a 0 sobre o Vitória, no Barradão. Muito cobrado por grande parte da torcida, o garoto da base mostrou personalidade e qualidade para definir o jogo.

O LEC ultrapassou o próprio rubro-negro baiano na tabela e abriu cinco pontos da zona do rebaixamento. Vencer rivais diretos nesta reta final é fundamental para se afastar da ZR.

Pietro Carpi/ Esporte Clube Vitória)
Pietro Carpi/ Esporte Clube Vitória)


Apesar de afirmar que o elenco foi montado para jogar no 4-3-3, Mazola optou por voltar ao 4-4-2 com a entrada de Matheus Bianqui no lugar de Júnior Pirambu. Muito também porque o centroavante não tem jogado nada, mas também para resguardar mais o time.

E deu certo. O Londrina deu poucos espaços ao Vitória. Também pela opção de Bertotto no lugar de Charles. O time teve mais mobilidade também na saída de bola.

Quando foi pressionado, muito mais na base do abafa do rubro-negro, do que da técnica, o LEC se defendeu bem, com boas defesas de César e segurança dos dois zagueiros. Valeu também o espírito guerreiro e a determinação do time.

E é desta forma que o time tem que seguir até o final. Não dá para esperar e nem cobrar técnica e bom futebol, mas se mantiver o espírito e a vontade, o Londrina pode chegar as últimas rodadas já com os seus problemas resolvidos.

18/10/2019 - 16:34
Imprimir Comunicar erro mais opções


Com eleição marcada para o dia 15 de novembro, o Londrina já começa a planejar 2020. A nova diretoria, encabeçada pelo ex-presidente Felipe Prochet, terá várias decisões importantes a serem tomadas no próximo ano visando o futuro do clube.

Analisamos no vídeos os desafios e os projetos que são fundamentais para que o clube continue se reestruturando dentro e fora de campo.

17/10/2019 - 14:43
Imprimir Comunicar erro mais opções
Se analisarmos que o Londrina disputou dois jogos seguidos em casa e somou apenas um ponto, o resultado é muito ruim. Mas não dá para discordar inteiramente do técnico Mazola Júnior, que afirmou que o mais importante de tudo nesta reta final da série B é pontuar em todo o jogo.

Este tem que ser o pensamento e o objetivo do Londrina. Somar ponto em toda a rodada, seja em casa ou fora. Por isso, não perder em Salvador para o Vitória passa a ser a meta alviceleste no Barradão.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


Claro que o ideal era que o LEC conseguisse ganhar três, quatro jogos seguidos para se livrar de vez do risco de queda e daí jogar as últimas rodadas de graça. Mas é melhor não se iludir com essa projeção. Pelo nível técnico do time, isso não irá acontecer, até porque nos últimos 12 jogos, o LEC venceu apenas dois. Então, cada pontinho somado precisa ser festejado.

O que anima um pouco mais o torcedor alviceleste é que esta realidade de falta de qualidade não é exclusividade do Tubarão. Na última rodada, dos dez times que brigam contra a zona do rebaixamento - considero do Brasil para baixo, já que do Operário para cima já se livraram -, ninguém venceu.

As únicas equipes que somaram ponto foram Londrina, Figueirense, Criciúma, Vitória e Oeste. O time de Barueri foi o único que comemorou o resultado, já que perdia para o líder Bragantino por 2 a 0 e foi buscar o empate, fora de casa.

Por isso é difícil imaginar que algum destes clubes terá uma sequência grande de vitórias e vai conseguir se desprender da zona vermelha. Por isso, cada ponto tem sim que ser comemorado. Claro que a vitória é o ideal, mas se o Londrina não perder em Salvador não será ruim. Vai somar mais um ponto e vai segurar o adversário também.



O Londrina tem que se concentrar, especificamente, em cinco confrontos: Vitória, Oeste, Criciúma, São Bento e Guarani. Se somar pontos contra estes rivais direto, tem grande chance de escapar.

Um fator que conta a favor do LEC em relação aos seus principais adversários é o número de vitórias. Como é um dos times que menos empatou - cinco vezes -, mesmo tendo perdido 15 partidas, soma nove vitórias, número maior que Vitória (8), Oeste e São Bento (7), Vila Nova e Criciúma (6) e Figueirense (5). Se nas últimas nove rodadas, vencer três e buscar mais uns dois ou três empates, dificilmente cairá.
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE