23/02/20
32º/19ºLONDRINA
Lucio Flávio
Lucio Flávio
12/12/2019 - 15:36
Imprimir Comunicar erro mais opções
O sorteio dos confrontos e das chaves da Copa do Brasil 2020 reservou um caminho difícil para o Londrina na competição. Diferente dos últimos anos, o Tubarão já começa com um adversário tradicional logo na estreia.

O LEC ficou na chave 1 e estreará diante do XV de Piracicaba, com o jogo único sendo realizado no estádio Barão de Serra Negra, e com o Tubarão jogando pelo empate para avançar para a segunda fase.

Só para relembrar os adversários do Alviceleste na estreia nos últimos anos: 2016 - eliminou o Parauapebas (PA), em 2017 caiu diante do Gurupi (TO), em 2018 passou pelo Real Ariquemes (RO) e este ano ganhou do Americano (RJ). A parada agora é bem mais indigesta.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube - Em 2018, o LEC foi eliminado na segunda fase pelo Ceará
Em 2018, o LEC foi eliminado na segunda fase pelo Ceará


O XV de Piracicaba está na Copa do Brasil em razão do vice-campeonato da Copa Paulista de 2019. O campeão, São Caetano, optou por ficar com a vaga na série D do Brasileiro. O XV jogará a série A2 do Paulista no ano que vem. O Nhô Quim é o 189º colocado no ranking nacional de clubes. O LEC é o 31º.

Se avançar de fase, o Londrina enfrentará o vencedor de Coruripe (AL) e Juventude (RS), que em 2020 está de volta na série B. E, também por sorteio, ficou decidido que o jogo único, neste caso, será no estádio do Café. Empate no tempo normal leva a disputa para os pênaltis.

Em uma eventual classificação para a terceira fase, o LEC pegaria uma das quatro equipes que estão do outro lado da chave. Os confrontos são River (PI) e Bahia e São Luiz (RS) e América (RN). O Tricolor baiano eliminou o LEC este ano na quarta fase da Copa do Brasil. A partir da terceira fase, os duelos serão disputados em duas partidas.



Diante da realidade de incertezas, técnicas e administrativas, que cercam o Londrina neste fim de 2019, e também dos possíveis rivais que o time poderá ter pela frente, é possível prever que o clube terá bem mais dificuldades na Copa do Brasil da próxima temporada do que nestes últimos anos.

Tomara que na prática o clube consiga montar um time competitivo porque avançar na competição mais democrática do futebol brasileiro renderá valores financeiros muito importantes e que podem garantir um ano que promete ser de pouco dinheiro para a equipe alviceleste.
09/12/2019 - 14:01
Imprimir Comunicar erro mais opções


Com o fim da temporada 2019 do futebol brasileiro, as atenções já se viram para 2020. A primeira competição a ser definida será a Copa do Brasil. Na quinta-feira (12), a CBF realiza o sorteio dos confrontos da primeira fase. A competição vai começar em fevereiro.

Com a atualização do ranking de clubes, o Londrina vai subir quatro posições e ficará na 31º colocação, com 4.498 pontos. O líder do ranking segue sendo o Palmeiras, com o Flamengo em segundo.

Pela posição no ranking de clubes, o LEC ficará no pote 3, com outras nove equipes. Os times deste pote vão enfrentar os clubes que compõem o pote sete. A definição da ordem dos jogos será por sorteio.

Com isso, o adversário do Tubarão na primeira fase será um destes clubes: Independente (PA), Vitória (ES), Bahia de Feira (BA), Gama (DF), XV de Piracicaba e Santo André (SP), Operário (MT), Águia Negra (MS), Bangu ou Bonsucesso (RJ).



Pelo regulamento, o Londrina jogará fora de casa o confronto único e atuará pelo empate para avançar na competição. Em 2019, o LEC fez uma ótima campanha e chegou a quarta fase, quando foi eliminado pelo Bahia. Antes havia passado por Americano (RJ), Paraná Clube e Botafogo (PB).
04/12/2019 - 16:31
Imprimir Comunicar erro mais opções
O futuro presidente do Londrina, Felipe Prochet, embarca nesta quinta-feira (5) para uma viagem de negócios na Inglaterra. O dirigente vai "mostrar" o produto LEC para possíveis investidores do futebol.

O dirigente ficará oito dias na Inglaterra e na sua agenda estão reuniões com investidores interessados em investir no clube e visitas a grandes clubes do país. Prochet pretende conhecer e conversar com dirigentes do Tottenham e dos rivais de Manchester, City e United.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


A viagem do presidente para a Europa surgiu após um convite de um representante de um grupo de investidores, que há alguns meses já vem conversando com o LEC, sobre uma possível parceria no futuro. Prochet quer aproveitar a viagem para visitar clubes e apresentar o Londrina para outros grupos que trabalham com o futebol.

Prochet viaja junto com João Fernando Zogheib, que possui uma empresa de gerenciamento de marcas e negócios ligados ao futebol e que já morou na Inglaterra e trabalhou na Premier League. Zogheib já participou de algumas reuniões no Conselho do LEC e apresentou possibilidades de parcerias fora do país, além de ser um entusiasta na transformação do LEC em clube-empresa. Zogheib tem trânsito livre em vários clubes ingleses.



Na semana passada, o City Football Group (CFG), empresa que controla o Manchester City e mais sete clubes, em países como Estados Unidos, Japão, Espanha e China, anunciou a compra de 65% das ações do Mumbay City, da Índia. De acordo com a imprensa internacional, o CFG quer agora investir em um clube brasileiro em 2020. O CFG é considerada a maior empresa controladora de clubes do futebol mundial, com um valor estimado em 5 bilhões de dólares.
02/12/2019 - 15:44
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Maringá FC anunciou nesta segunda-feira (2) o seu novo treinador para a temporada de 2020. O ex-atacante Pachequinho vai comandar a equipe da Cidade Canção na Divisão de Acesso do ano que vem. O acordo com o técnico vai até o fim do Estadual do ano que vem. A Divisão de Acesso está prevista para começar em abril de 2020.

Divulgação/MFC
Divulgação/MFC


Junto com Pachequinho, chegarão os auxiliares técnicos Carlos Pacheco e Cláudio Alexandre Oliveira, o treinador de goleiros Higor Felliny, o preparador físico André Souza e o analista de desempenho Matheus Jaime. O Maringá começa a sua preparação para a próxima temporada em fevereiro.

Pachequinho iniciou a carreira de treinador nas categorias de base do Coritiba e dirigiu por algumas vezes o time principal do Coxa, sendo, inclusive, campeão Estadual em 2017. Em 2018, comandou o América (RN) e este ano trabalhou na Anapolina.

30/11/2019 - 20:03
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina fechou o ano de forma honrosa. A vitória por 2 a 0 sobre o Guarani neste sábado (30), no estádio do Café, não apaga o rebaixamento para a série C, mas pelo menos deixa um pouco de sorriso no rosto do torcedor alviceleste.

O Tubarão voltou a ganhar em casa depois de mais de dois meses com gols de Léo Passos, aos 38 minutos do primeiro tempo, e com Matheus Bianqui, aos 32 do segundo. Vitória em um jogo muito fraco e acompanhado por 611 testemunhas.

E vitória graças ao goleiro Matheus Albino, que voltou a condição de titular, de onde jamais deveria ter saído neste série B. Só mais um dos tantos erros do clube ao longo do Brasileiro. Albino fez pelo menos quatro milagres diante do Bugre.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube - Matheus Albino comemora o segundo gol do Londrina diante do Guarani
Matheus Albino comemora o segundo gol do Londrina diante do Guarani


E a vitória impulsiona o Londrina a procurar os tribunais em relação ao W.O. do Figueirense contra o Cuiabá. O clube entende que há margem para punição ao clube catarinense, que poderia ser rebaixado no lugar do LEC. Os dois times terminaram com apenas dois pontos de diferença - 39 a 41 -, graças ao empate do Figueira diante do Operário na última rodada.

O Figueirense só foi punido com uma multa de R$ 3 mil pelo STJD. O Londrina vai se apegar no segundo parágrafo do artigo 203 do CBJD "se da infração resultar benefício ou prejuízo desportivo a terceiro, o órgão judiciante poderá aplicar a pena de exclusão da competição em disputa".

A opinião geral de juristas esportivos é que as chances de uma nova punição ao Figueirense são remotas, mas que é possível convencer o tribunal que houve prejuízo a terceiros, no caso o Londrina, que foi rebaixado. Se a bola parou dentro de campo, vai seguir fora dele.

Se tivéssemos um futebol sério, uma equipe com um W.O. em uma série B de Brasileiro seria excluída automaticamente. Mas este não é o caso. Por outro lado, minha opinião é que sempre o resultado de campo seja respeitado. Mas, se há espaço jurídico para contestar, o Londrina tem o direito de tentar.
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE