02/04/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Lucio Flávio
Lucio Flávio
26/12/2019 - 14:19
Imprimir Comunicar erro mais opções
A falta de interesse dos canais de Tv aberta pelo Campeonato Paranaense de 2020, abriu uma nova possibilidade para o Estadual. A competição será transmitida pela DAZN, plataforma de streaming, o que vai garantir mais jogos transmitidos ao vivo.

A mudança foi boa para o Londrina. O Aviceleste terá todos os 11 jogos da primeira fase transmitidos. Situação que na TV aberta jamais aconteceria. Além do LEC, o trio de ferro (Atlhetico, Coritiba e Paraná) também terão todas as partidas transmitidas. Em seguida, aparece o Operário com seis transmissões.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


A DAZN vai transmitir 54 dos 80 jogos do Paranaense. Em algumas rodadas serão até cinco partidas transmitidss. O canal de streaming promete muita interação com os clubes e os torcedores. A DAZN já é uma referência em transmissões esportivas, sobretudo o futebol. O canal tem os direitos de competições como a Copa Sul-Americana, série C do Brasileiro, além dos campeonatos Italiano, Francês e Premier League.

O Paranaense será a primeira competição estadual transmitidas pela DAZN. O plano para acompanhar os jogos do Paranaense vai custar R$ 19,90 por mês. Cada um dos 12 clubes do Estadual irá receber de cota pelas transmissões R$ 370 mil.

A estreia do Londrina no Paranaense acontecerá no dia 19 de janeiro contra o PSTC, às 16h, no estádio do Café.

19/12/2019 - 16:06
Imprimir Comunicar erro mais opções
O futuro do futebol do Londrina será definido nos próximos dias. A novela da continuidade ou não da parceria com a SM Sports tem se arrastado desde o fim da série B e novos capítulos só irão prejudicar as partes ainda mais. Não há mais tempo para se esperar e uma decisão precisa ser tomada de forma urgente, sob o risco de atrapalhar ainda mais o planejamento para 2020.

Apesar da relação LEC-SM-Torcida-Cidade ter me parece chegado ao limite, ao ponto que nenhum lado mais suporta o outro, uma rescisão abrupta neste momento não seria bom para nenhum dos lados. Mas não há dúvidas, que se a relação chegar até o fim de 2020, quando se encerra o contrato, não há mais clima nenhum para uma renovação.

O fim da parceria neste momento seria péssimo para o Londrina, que ainda não está preparado para caminhar sozinho e não conseguirá um novo parceiro em pouco tempo. Ruim também será para Sérgio Malucelli, que terá que arcar com valores altos de multa, não terá o que fazer com o seu ótimo CT e deixaria como última impressão o rebaixamento para a série C, manchando o excelente trabalho que fez nos oito anos anteriores.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


A melhor alternativa para os dois lados é cumprir o contrato e fazer do ano de 2020 uma fase de transição. Com alguns ajustes no atual acordo e até algumas concessões, dos dois lados, é possível manter o gestor como o responsável pelo futebol e dar fôlego para que o clube avance nas negociações com possíveis outros parceiros ao longo do próximo ano visando novos investimentos no futuro.

As cobranças e a pressão natas do futebol desgastam e cansam que está a frente de um projeto. Este é o motivo principal que desanima neste momento o gestor a seguir no LEC, além das criminosas ameaças que têm recebido e que fazem com que a sua família não queira mais a sua continuidade no futebol.

Mas o Londrina ainda continua sendo a melhor opção para Malucelli. Esqueça o Paraná. Inteligente como é, o empresário não vai assumir um clube endividado, com poucas fontes de recursos e sobre um caldeirão fervente no campo político.

A única coincidência entre os clubes é a dificuldade de buscar verbas. Malucelli tem um campo pouco minado por aqui, sabe que a melhor opção para o seu CT é incluí-lo em uma possível negociação do LEC com investidores estrangeiros e ainda terá a chance de fechar o contrato por cima.

Com uma equipe competitiva em 2020, poderá voltar ao patamar de 2019, com uma série B, e chegar no final do ano com a sensação de dever cumprido. E sairia por cima, apesar de uma pequena minoria, aquela que só sabe reclamar e achar defeito em tudo, e deixaria o clube em outro patamar.

Leia também

Definição do rebaixamento do Londrina fica para 2020

Londrina tem caminho complicado na Copa do Brasil

E o Londrina que trate de se agilizar no ano que vem e, assim como afirmou o novo presidente Felipe Prochet, faça o dever de casa porque uma hora a parceria atual vai acabar e o clube terá que estar pronto.

Claro que inúmeros avanços foram registrados nos últimos noves anos na parte administrativa, financeira e organizacional. Mas o clube poderia ter evoluído mais, sobretudo para melhorar sua estrutura física, além de ter criado mecanismos para não ter permitido um distanciamento tão grande entre clube e torcida.

Mas, apesar do ano ter acabado de forma ruim, o Londrina tem uma situação privilegiada e até invejada por muitos clubes. É um time saneado, sem dívidas e com um calendário nacional para o ano todo. O cenário é muito positivo, resta saber como o clube saberá usar estes atributos para continuar crescendo e não voltar aos tempos nebulosos de dez anos atrás.
16/12/2019 - 15:37
Imprimir Comunicar erro mais opções
A agonia do torcedor do Londrina quanto ao rebaixamento do time na série B do Brasileiro vai se prolongar um pouco mais. Pelo menos até o início de 2020. O processo do clube contra o Figueirense não foi incluído na última sessão ordinário do STJD em 2019.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva fará a última sessão do Pleno na quarta-feira (18). Serão julgadas 12 ações, mas o pedido de punição do LEC contra o Figueirense não foi incluído. Como não há previsão de sessões extraordinárias, o caso será decidido só mesmo no ano que vem.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


A protelação da definição deste processo não significa nada. Nem que é benéfica ao Londrina, nem que seja presencial. O pensamento do STJD é que como a série B de 2020 só começa em abril não há necessidade de se atropelar etapas e, que este caso, não é prioridade neste final de ano.

Diante disso, o LEC terá que fazer o seu planejamento, que aliás já está muito atrasado, sem saber se em 2020 irá jogar a série B ou a série C do Brasileiro. É melhor, então, se focar apenas no Paranaense e Copa do Brasil.

Leia também

LEC tem caminho complicado na Copa do Brasil e pode reencontrar o Bahia

Agenda do presidente do LEC na Inglaterra prevê reuniões e visita a clubes

12/12/2019 - 15:36
Imprimir Comunicar erro mais opções
O sorteio dos confrontos e das chaves da Copa do Brasil 2020 reservou um caminho difícil para o Londrina na competição. Diferente dos últimos anos, o Tubarão já começa com um adversário tradicional logo na estreia.

O LEC ficou na chave 1 e estreará diante do XV de Piracicaba, com o jogo único sendo realizado no estádio Barão de Serra Negra, e com o Tubarão jogando pelo empate para avançar para a segunda fase.

Só para relembrar os adversários do Alviceleste na estreia nos últimos anos: 2016 - eliminou o Parauapebas (PA), em 2017 caiu diante do Gurupi (TO), em 2018 passou pelo Real Ariquemes (RO) e este ano ganhou do Americano (RJ). A parada agora é bem mais indigesta.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube - Em 2018, o LEC foi eliminado na segunda fase pelo Ceará
Em 2018, o LEC foi eliminado na segunda fase pelo Ceará


O XV de Piracicaba está na Copa do Brasil em razão do vice-campeonato da Copa Paulista de 2019. O campeão, São Caetano, optou por ficar com a vaga na série D do Brasileiro. O XV jogará a série A2 do Paulista no ano que vem. O Nhô Quim é o 189º colocado no ranking nacional de clubes. O LEC é o 31º.

Se avançar de fase, o Londrina enfrentará o vencedor de Coruripe (AL) e Juventude (RS), que em 2020 está de volta na série B. E, também por sorteio, ficou decidido que o jogo único, neste caso, será no estádio do Café. Empate no tempo normal leva a disputa para os pênaltis.

Em uma eventual classificação para a terceira fase, o LEC pegaria uma das quatro equipes que estão do outro lado da chave. Os confrontos são River (PI) e Bahia e São Luiz (RS) e América (RN). O Tricolor baiano eliminou o LEC este ano na quarta fase da Copa do Brasil. A partir da terceira fase, os duelos serão disputados em duas partidas.



Diante da realidade de incertezas, técnicas e administrativas, que cercam o Londrina neste fim de 2019, e também dos possíveis rivais que o time poderá ter pela frente, é possível prever que o clube terá bem mais dificuldades na Copa do Brasil da próxima temporada do que nestes últimos anos.

Tomara que na prática o clube consiga montar um time competitivo porque avançar na competição mais democrática do futebol brasileiro renderá valores financeiros muito importantes e que podem garantir um ano que promete ser de pouco dinheiro para a equipe alviceleste.
09/12/2019 - 14:01
Imprimir Comunicar erro mais opções


Com o fim da temporada 2019 do futebol brasileiro, as atenções já se viram para 2020. A primeira competição a ser definida será a Copa do Brasil. Na quinta-feira (12), a CBF realiza o sorteio dos confrontos da primeira fase. A competição vai começar em fevereiro.

Com a atualização do ranking de clubes, o Londrina vai subir quatro posições e ficará na 31º colocação, com 4.498 pontos. O líder do ranking segue sendo o Palmeiras, com o Flamengo em segundo.

Pela posição no ranking de clubes, o LEC ficará no pote 3, com outras nove equipes. Os times deste pote vão enfrentar os clubes que compõem o pote sete. A definição da ordem dos jogos será por sorteio.

Com isso, o adversário do Tubarão na primeira fase será um destes clubes: Independente (PA), Vitória (ES), Bahia de Feira (BA), Gama (DF), XV de Piracicaba e Santo André (SP), Operário (MT), Águia Negra (MS), Bangu ou Bonsucesso (RJ).



Pelo regulamento, o Londrina jogará fora de casa o confronto único e atuará pelo empate para avançar na competição. Em 2019, o LEC fez uma ótima campanha e chegou a quarta fase, quando foi eliminado pelo Bahia. Antes havia passado por Americano (RJ), Paraná Clube e Botafogo (PB).
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE