23/02/20
32º/19ºLONDRINA
Lucio Flávio
Lucio Flávio
10/11/2019 - 14:53
Imprimir Comunicar erro mais opções
É muito claro que o principal problema do Londrina na série B não é treinador, afinal o clube vai para o seu quarto técnico no Brasileiro. Mas por outro lado, alguma coisa precisava ser feita pois o time não mostrava nenhum sinal de melhora com Mazola Júnior. A acomodação seria pior.

Então em uma última cartada para evitar a queda, a direção decidiu demitir Mazola e promover Silvinho Canuto, que tem uma identificação muito grande pelo clube e conhece o dia a dia do CT da SM Sports.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


Silvinho faz belo trabalho no time sub-19, que está muito perto do título do Paranaense, e tem potencial, mas terá uma missão muito difícil para fazer o time pontuar nas quatro últimos rodadas para não entrar na zona do rebaixamento.

O comandante alviceleste tem uma trajetória muito parecida com a do Alemão. Os dois são contemporâneos da base do LEC. Jogaram juntos nas categorias menores e também no profissional. Inclusive, no início dos anos 1990, foram vendidos juntos para a TAM, que administrava o futebol do XV de Piracicaba.

Como treinadores, também trilharam caminhos semelhantes. Silvinho treinou o sub-17 e o sub-19 do LEC e conhece bem boa parte dos atuais jogadores do elenco. Silvinho era o auxiliar direto do Alemão no período em que esteve a frente do Londrina.

A missão do Silvinho, entretanto, será muito mais complicado do que a do Alemão, que teve tempo para trabalhar e muito mais opções para montar a equipe. Silvinho não tem tempo, tem um time cheio de problemas e desfalques e pega um grupo totalmente pressionado e sem autoestima nenhuma.

Silvinho tem a seu favor o conhecimento do elenco, a identificação com o clube e o apoio irrestrito da torcida. É o que menos tem responsabilidade neste momento, em caso de queda. Por isso, a pressão sobre ele não existe e isso pode ajudar.

Independentemente do que acontecer nas últimas quatro rodadas, Silvinho já tem a promessa que será o técnico do Londrina no Paranaense do ano que vem. Mas como é difícil prever o futuro do clube sem a garantia da série B, nada dá para se afirmar neste momento. No futebol muda-se tudo do dia para a noite.

Espero e torço para que Silvinho possa ter o mesmo sucesso do Alemão e que o Londrina, seja qual for o resultado, tenha aprendido com o que aconteceu com Alemão e não queime mais um profissional promissor e que pode dar muito retorno ao clube no futuro.
08/11/2019 - 23:48
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina chegou a quatro derrotas consecutivas e por mais incrível que pareça segue fora da zona do rebaixamento. Não há nenhuma dúvida que os deuses do futebol estão interferindo a favor do Tubarão.

Apesar de toda a limitação do elenco e das 19 derrotas na competição, o LEC continua dependendo só dele para fugir da queda para a série C faltando quatro rodadas. Tudo isso porque os principais rivais também não ganharam. O São Bento perdeu e o Vila Nova e o Figueirense empataram.



Londrina e Figueira agora somam os mesmos 35 pontos, mas o LEC tem dez vitórias contra seis dos catarinenses, que por isso continuam abrindo a ZR.

Mas os deuses do futebol não são tão milagreiros assim e uma hora o Alviceleste terá que fazer a sua parte para evitar o pior. Por enquanto, segue não fazendo. A derrota de 1 a 0 para o América Mineiro foi mais uma daquelas de dar dor no coração do torcedor.

Não faltou luta e vontade, mas novamente o time jogou muito pouco e tomou outro gol de bola parada. Escanteio da esquerda e gol de cabeça do zagueiro Ricardo Silva, aos 18 minutos de jogo. Havia sido assim nas derrotas para Paraná e Atlético Goianiense.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


O técnico Mazola Júnior fez seis alterações na equipe, mas os efeitos foram poucos. O treinador perdeu duas alterações porque André Moritz e Alemão, com atuações pífias, ainda saíram machucados. César ainda salvou pelo menos três gols certos dos mineiros no segundo tempo.

Mazola não deixa de ter razão ao afirmar que as derrotas para Paraná, Atlético e América são normais, porque os adversários são muito melhores que o Londrina. E também acerta ao dizer que a decisão do Londrina será agora nos duelos com os concorrentes diretos Criciúma, São Bento e Guarani e ainda no confronto com o Botafogo, que não tem mais aspirações no campeonato.

São nestes jogos que o time tem a obrigação de pontuar. Mas, apesar da ruindade também dos rivais, terá que jogar mais porque depender só dos deuses pode ser arriscado demais.

08/11/2019 - 10:41
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Conselho de Representantes do Londrina aprovou em reunião extraordinária na noite de quinta-feira (8) uma premiação aos jogadores do Londrina, em caso de permanência na série B do Campeonato Brasileiro.



Os Conselheiros aprovaram um prêmio de R$ 200 mil para ser dividido entre todos do elenco alviceleste ao final da competição. O valor será bancado pelo clube.

Chegou-se a ser discutida uma premiação por partida nestas últimas cinco rodadas do Brasileiro, mas a maioria decidiu um prêmio único no final se o objetivo da permanência for alcançado.

Os conselheiros decidiram oferecer o "bicho" por entenderem que se o time cair, todos perdem receita em 2020, inclusive o clube. Em razão disso, a premiação tem o aval também da diretoria executiva do LEC.

Além dos R$ 200 mil oferecidos pelo clube, os jogadores também tem um acerto de premiação com a SM Sports. Como forma de incentivo, a gestora ainda tem oferecido valores extras por vitórias nesta reta final.

Como exemplo, no jogo contra o Paraná, os atletas tinham um bicho de R$ 100 mil para ganhar a partida. O valor seria dividido entre o clube e a SM. O Londrina acabou perdendo o jogo por 1 a 0.
05/11/2019 - 20:48
Imprimir Comunicar erro mais opções


Depois do que aconteceu na derrota do Londrina por 2 a 1 para o Atlético Goianiense, em Goiânia, nesta terça-feira (5), é difícil imaginar que o Tubarão terá forças para escapar da queda para a série C.

Tecnicamente foi mais uma atuação abaixo da crítica. Mesmo com três volantes, o time não marcou e o Atlético criou inúmeras oportunidades. Se o time da casa fosse mais capacitado teria vencido com tranquilidade, tamanho o volume ofensivo. Até pênalti o rubro-negro desperdiçou.

Apesar dos alertas do técnico Mazola Júnior, o LEC tomou os dois gols de bolas aéreas para dentro da área. Seria impossível não levar gols da forma como o time jogou.

Ofensivamente a equipe não criou nada nem com a entrada de André Moritz, Júnior Pirambu e Uelber no segundo tempo. O pior de tudo é que a sorte insiste em ajudar o Londrina. Porém, este time nem com o acaso consegue se dar bem.

O LEC não tinha criado nada para empatar e ganhou um presente do goleiro Kozlinski, que pareceu ainda abalado do frango que tomou em Ponta Grossa, na última rodada.

Após Felipe Vieira cobrar um lateral para dentro da área, ninguém cortou e o goleiro se apavorou com a chegada do atacante Uelber e mandou a bola para dentro. Um lance ridículo. Nunca viu um gol contra de goleiro tão bizarro como este.

Da forma como foi o jogo, qualquer time que ganha um milagre e empate desta forma aos 42 minutos do segundo tempo, não deixa mais ter jogo. A partida acabou. Ninguém entra mais na área.

Mas este Londrina consegue o improvável e o impossível. Aos 46, falta cobrada para dentro da área, a zaga não tira, César vai com a mão mole e a bola sobra na cabeça de Rodrigo Rodrigues, que havia acabado de entrar.

Uma derrota amarga, mas que só comprova a total falta de capacidade deste time, até mesmo do ponto de vista psicológico. Quem perde um jogo como este que o Londrina perdeu não pode reclamar de mais nada no ano.

04/11/2019 - 16:10
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Londrina usa todas as suas fichas e forças para escapar do rebaixamento nesta reta final da série B. Algo raro nas viagens do clube nos jogos do Brasileiro, o gestor Sérgio Malucelli está com a delegação em Goiânia para o jogo de terça-feira (5) contra o Atlético Goianiense.

O dirigente quase nunca viaja com o time e o comando da delegação sempre fica a cargo do executivo de futebol, Ocimar Bolicenho, e do gerente, Maurício Trombeta. Para se ter uma ideia, nem nos confrontos contra os times da capital em Curitiba o gestor marca presença nos estádios.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube


A última viagem que o gestor acompanhou a delegação alviceleste pelo Brasileiro foi na série B do ano passado no jogo contra o Juventude, em Caxias do Sul, no mês de setembro. A partida terminou em 0 a 0, no estádio Alfredo Jaconi.

O "reforço" do mandachuva do futebol alviceleste em Goiânia é mais uma das armas que o Londrina coloca em prática para ajudar o elenco neste momento delicado da competição. A presença de Sérgio Malucelli mostra também a importância que a partida tem para as pretensões do LEC na série B.

Com 35 pontos, em 16º lugar, o Tubarão precisa de pelo menos um ponto no Brasil central para não correr o risco de entrar na ZR. O Atlético é o quarto colocado, com 51 pontos.
Lucio Flávio
 
Formado em Comunicação Social/Jornalismo. Repórter da Rádio Paiquerê AM desde 1997 e da Folha de Londrina desde 2012. Participa de coberturas esportivas nacionais e internacionais



Sites Sugeridos
 
ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE