15/12/19
34º/21ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Isabel Furini
Isabel Furini
21/09/2018 - 19:31
Imprimir Comunicar erro mais opções
Galinhas poedeiras

Cada galinha bota um ovo.
Cada galinha bota de novo

Quantas galinhas botam um ovo?
Quantas galinhas botam de novo?

Todas as galinhas botam ovo
Todas as galinhas botam de novo

E cocoró cocó
E cocoró cocó

Decio Romano

31/08/2018 - 12:04
Imprimir Comunicar erro mais opções
Shakespeare para Crianças no Miniauditório do Guaíra, em Curitiba.
Sáb: 15:00 UTC-03
Apresentações: 01; 02; 08, 09, 15 e 16 de Setembro.
Centro Cultural Teatro Guaíra · Curitiba

Sabemos que manter um espetáculo em Curitiba não é fácil quando não se tem nenhum tipo de investimento púbico ou privado. Por isso, vamos comemorar os dois anos em cartaz de SHAKESPEARE PARA CRIANÇAS, montagem que tem como intuito desmistificar as obras do mais celebrado autor de todos os tempos, Wiliiam Shakespeare.
Onde: Miniauditório do Teatro Guaíra
Que horas: 15 Hrs
Texto e Direção: Arnon Nogueira
Com: Bia Gonçalves, Nathália Garcia, Rodrigo Caddah (e no primeiro final de semana teremos a atriz Annita Prezeseniak!) Assistente de Direção: Gabriela Lupion
Produção: Atoss Teatro.



26/08/2018 - 15:00
Imprimir Comunicar erro mais opções
Cantando baixinho
e com muito carinho,
açúcar, canela,
chocolate, ovos
e farinha de trigo,
eu faço bolos
fofos e gostosos

para meus irmãos,
para meus primos,
para meus vizinhos
e para meus amigos.

Eu tenho uma receita secreta
que me deu a minha avô:
É preciso misturar no bolo
dez colheres de amor.

Isabel Furini

(Liliana, criança inteligente de 10 anos que já sabe fazer bolos, notou que o bolo de morango do poema não tinha ovos. Então, agora o bolo tem ovos, e com certeza ficará com melhor consistência. E penso que Liliana está certa, quando comentou que os bolos de chocolate são mais gostosos que os bolos de morango. Obrigada pelo e-mail, querida Liliana. Continue fazendo bolos e cantando baixinho. Abraços).

21/08/2018 - 20:29
Imprimir Comunicar erro mais opções
HARMONIA NA FLORESTA

Todos viviam numa grande harmonia, as árvores cuidavam de proteger os bichos, a brisa tomava conta das flores, cada um tinha a sua tarefa sempre cuidando do outro.
A cigarra tinha a tarefa de alegrar as manhãs, as tardes a sinfonia era por conta dos passarinhos, à noite a serenata era obrigação dos grilos. Ali não sobrava espaço para o silêncio, quando isso acontecia dona brisa cuidava de chamar o vento que assanhava as árvores balançava as folhas fazendo batucada no farfalhar de bater asas de borboletas.
Assim que o sol dava bom dia! Chegavam as abelhinhas fazendo zum... zum... Com seus baldinhos colhendo o néctar para produzir mel, a centopeia que além de exibir seus cem pezinhos era muito curiosa e tudo queria saber e foi correndo saber o que as abelhinhas faziam com tantos baldinhos de mel.
- Bom dia bichinha rastejante de cem pezinhos! Aonde vai com tanta pressa? Parece que vai atropelar a brisa. Disse a abelhinha.
- Bom dia abelhinhas! Estou aqui matutando umas curiosidades, O que fazem com tantos baldinhos de mel? Vocês trabalham, trabalham e não descansam.
- Centopeia querida não pode parar de colher o néctar para falar com você ou o mel se congela. Logo chega o verão as flores secam e onde iremos encontrar mel para adoçar as crianças. Por isso precisamos colher, colher e assim que aqui não tiver mais flores mudamos para outra região. Disse a abelhinha mais velha enquanto as outras não paravam de colher o néctar das flores amarelas.
- Cada um com a sua atividade, vou ali comprar sapatos novos e não preciso trabalhar. Disse a centopeia toda vaidosa.
- Oras! Oras! De que vale a vida sem uma atividade, gritaram as abelhas enquanto a centopeia saia agitada atropelando nos seus cem pezinhos.
E assim continuava a vida na floresta encantada.



Autoria- Irá Rodrigues
http://iraazevedo.blogspot.com.br/
Diretora Internacional da divisão de Literatura Infanto-juvenil
19/08/2018 - 08:33
Imprimir Comunicar erro mais opções

Silêncio


No fundo do mar
Era tchibum splash
E os peixinhos o ouviram
Límpido e azul
Já as sereias em falsete PSIU
As algas com ele dançavam
Os tubarões o devoraram
As orcas o espadanavam
Coitados! Os girinos nada notaram
Pois em silêncio estavam
Já os golfinhos gritavam
- Olhem o SILÊNCIO aí
Eu que nada ouvi GRITEI!
- SILÊNCIO aí.

AVIPAF
Acadêmica:Sonia Cardoso
Patronesse:Cora Coralina
Cadeira:30

Foto de Isabel Furini
Foto de Isabel Furini
Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE