29/02/20
32º/19ºLONDRINA
Marden Machado
Marden Machado
18/02/2020 - 00:50
Imprimir Comunicar erro mais opções


A tcheca Milada Horakova se formou em Direito e entrou para a militância política contra o nazismo durante a ocupação alemã na antiga Tchecoslováquia. Após a Segunda Guerra Mundial se elegeu deputada e combateu o regime comunista da União Soviética em seu país. Por conta disso foi presa, torturada, julgada e condenada à morte. Sua vida de luta heroica foi retratada em livro por David Mrnka que adaptou sua obra junto com Robert J. Conant e Robert Gant e depois dirigiu ele próprio a versão cinematográfica no impactante Milada. Realizado em 2017 com a atriz israelense Ayelet Zurer no papel-título, o filme não procura esconder sua exaltação à figura da mulher retratada aqui. Há, desde o início, a certeza de que ela defende o que é justo e certo. Milada lutava pelos direitos humanos; por salários iguais para homens e mulheres; por uma aposentadoria decente e pela obrigatoriedade do pagamento de pensão alimentícia para filhos de pais separados e crianças órfãs. Infelizmente, são questões que ainda hoje precisam ser defendidas. Passados 70 anos de sua morte, sua luta continua, e é triste admitir isso, bastante atual.

MILADA (Milada – República Tcheca 2017). Direção: David Mrnka. Elenco: Ayelet Zurer, Robert Gant, Vica Kerekes, Igor Orozovic, Jaromír Dulava e Alena Mihulová. Duração: 124 minutos. Distribuição: Netflix.
17/02/2020 - 02:29
Imprimir Comunicar erro mais opções
O cineasta argentino Sebastián Borensztein trabalhou de 1990 até 2002 dirigindo episódios de séries de TV. A partir de 2005 passou a dirigir longas para o cinema e sua carreira ganhou projeção internacional seis anos depois quando dirigiu o mais popular ator de seu país, Ricardo Darín, em Um Conto Chinês. A parceria com Darín se repetiria em 2016, com Kóblic, e em 2019 com este A Odisseia dos Tontos. Baseado no romance de Eduardo Sacheri, que escreveu o roteiro junto com Borensztein, o filme nos apresenta um grupo de moradores de uma cidade pequena da província de Buenos Aires. Liderados por Fermín Perlassi (Darín), o grupo junta todas as suas economias para investir em um projeto que poderá revitalizar a economia local. No entanto, um golpe faz com eles percam tudo e, quando é descoberto o que realmente aconteceu só resta uma saída: dá o troco. A Odisseia dos Tontos é um típico filme feita na Argentina. Ou seja, é visível a eficiência do roteiro em misturar drama, humor, ação e suspense de maneira orgânica e harmônica. Sem esquecer, é claro, do talentoso elenco, aliado a uma direção ágil e precisa. Esta trama cheia de reviravoltas nos conquista e nos envolve por inteiro. Da primeira até a última cena nos créditos finais.

A ODISSEIA DOS TONTOS (La Odisea de los Giles – Argentina 2019). Direção: Sebastián Borensztein. Elenco: Ricardo Darín, Luis Brandoni, Chino Darín, Daniel Aráoz, Verónica Llinás, Carlos Belloso, Rita Cortese e Andrés Parras. Duração: 116 minutos. Distribuição: Warner.
16/02/2020 - 00:23
Imprimir Comunicar erro mais opções


Scott Z. Burns vem construindo desde 2006 uma sólida carreira como roteirista e produtor. Porém, apesar de ter dirigido alguns curtas e séries de TV, ainda não havia feito um longa-metragem. O Relatório, de 2019, que ele também escreveu, é sua estreia em longas. A história tem como ponto de partida os atentados terroristas nos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001. Isso provocou uma série de ações por parte da CIA que resultou em tortura e outros crimes que feriram princípios básicos de humanidade. Nesse contexto, temos o agente Daniel J. Jones (Adam Driver), que ao longo de sete anos se dedicou a analisar pilhas e pilhas de documentos que envolvem denúncias diversas de abusos praticados pela agência de inteligência do governo americano. O problema maior de O Relatório não é o tema que ele aborda e muito menos o desempenho de seu elenco. Nesse quesito, o filme é extremamente bem-sucedido. No entanto, até por conta disso, fica a sensação, pelo menos para mim, que faltou um pouco de coragem ao diretor/roteirista para ir mais fundo no vespeiro que ele se propôs a abrir. Esse é meu "relatório”.

O RELATÓRIO (The Report – EUA 2019). Direção: Scott Z. Burns. Elenco: Adam Driver, Annette Bening, Jon Hamm, Corey Stoll, Michael C. Hall, Maura Tierney e Victor Slezak. Duração: 119 minutos. Distribuição: Diamond Films/Amazon Prime.
14/02/2020 - 05:18
Imprimir Comunicar erro mais opções
A diretora catalã Maria Ripoll, na ativa desde 1987, vem construindo uma obra que transita pelo drama e pela comédia simultaneamente. E essa característica está presente em Viver Duas Vezes, produção de 2019 comprada pela Netflix. O roteiro de María Mínguez nos apresenta Emilio (Oscar Martínez), professor universitário de matemática aposentado e diagnosticado com Alzheimer. Sua única filha, Julia (Inma Cuesta), procura ajudar da melhor maneira possível. Mas é Blanca (Mafalda Carbonell), sua esperta neta de 11 anos, craque em internet, redes sociais e celulares que "compra” o desejo do avô que reencontrar o amor de sua adolescência. Ripoll dosa com perfeição elementos dramáticos e cômicos em Viver Duas Vezes. E não poderia contar com elenco melhor para isso. Com destaque especial para o ator argentino Oscar Martínez e a pequena e talentosa Mafalda Carbonell. A química que se estabelece, lentamente, entre avô e neta é peça chave para nos envolver por completo nessa bela e tocante história.

VIVER DUAS VEZES (Vivir Dos Veces – Espanha 2019). Direção: Maria Ripoll. Elenco: Oscar Martínez, Inma Cuesta, Mafalda Carbonell, Nacho López, Isabel Requena, Aina Clotet, Antonio Valero, Amparo Oltra, Valeria Schoneveld e Lucas Cavataio. Duração: 101 minutos. Distribuição: Netflix.
13/02/2020 - 01:07
Imprimir Comunicar erro mais opções


O roteirista e diretor americano Rian Johnson vinha de uma experiência extrema. Em poucos meses ele foi ao céu e de lá desceu ao inferno. Tudo por causa de Os Últimos Jedi, oitavo episódio de Star Wars, que ele escreveu e dirigiu. A sua veia autoral ao realizar o filme não agradou aos fãs mais radicais da saga criada por George Lucas. Isso fez com ele mergulhasse em um projeto novo e pessoal: Entre Facas e Segredos. A trama de mistério, claramente inspirada nas obras de Agatha Christie, gira em torno de Harlan Thrombey (Christopher Plummer). Ele é um famoso autor de histórias policiais que é encontrado morto após completar 85 anos de idade. Entra em cena o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) e, para ele, todos os funcionários da mansão, bem como os familiares do falecido, são suspeitos do crime. Entre Facas e Segredos não nega suas origens e apresenta pistas e mais pistas que vão nos instigando e testando nossa capacidade de observação e dedução. O elenco quilométrico está perfeito e a maneira como o investigador particular vivido por Craig, com seu sotaque e seus trejeitos, é um capítulo à parte. Em bom português: diversão garantida!

ENTRE FACAS E SEGREDOS (Knives Out – EUA 2019). Direção: Rian Johnson. Elenco: Daniel Craig, Chris Evans, Ana de Armas, Jamie Lee Curtis, Michael Shannon, Don Johnson, Toni Collette, LaKeith Stanfield, Katherine Langford, Jaeden Martell, Riki Lindhome, Edi Patterson e Christopher Plummer. Duração: 131 minutos. Distribuição: Paris Filmes.
Marden Machado
 
Escrevo, todos os dias, sobre um filme, complementando minha participação nos programas Light News (na rádio Transamérica Light FM - 95,1), na rádio CBN Curitiba (90,1 FM), no programa Caldo de Cultura (UFPR TV - canais 15 da NET, 71 da TVA ou via web no http://www.tv.ufpr.br/), e no canal http://www.youtube.com/cinemarden.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE