05/07/20
25º/13ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Marden Machado
Marden Machado
20/06/2020 - 03:55
Imprimir Comunicar erro mais opções


Hollywood adora a estrutura dos chamados "buddy movies”. Em bom português, algo como "filmes de amigos”. Muito comum em policiais, esse tipo de história reúne uma dupla, na maioria das vezes de homens, bem diferentes entre si. Em Aprendiz de Feiticeiro, dirigido em 1991 por John Badham, a partir de um roteiro de Daniel Pyne e Lem Dobbs, temos uma novidade nessa fórmula. Tudo começa quando Nick Lang (Michael J. Fox), um astro de cinema que decide se preparar melhor para os papel de detetive e para isso, se torna "parceiro” de um policial de verdade. Seu objetivo é aprender "na fonte” e com isso acrescentar realismo à sua interpretação nas telas. Lang passa a acompanhar o oficial John Moss (James Woods), um tira durão e nada satisfeito com a "forçada” companhia. Há também um perigoso assassino que Moss quer capturar a todo custo e não pode se dar ao luxo de ficar paparicando um astro de cinema. Aprendiz de Feiticeiro "brinca” ao confrontar a ficção com a realidade. Ou seja, a imagem que Lang tem da polícia e como ela efetivamente é representada por Moss. Esse choque gera situações hilárias e a dinâmica estabelecida entre Fox e Woods faz com que tudo funcione com perfeição.

APRENDIZ DE FEITICEIRO (The Hard Way – EUA 1991). Direção: John Badham. Elenco: Michael J. Fox, James Woods, Stephen Lang, Annabella Sciorra, John Capodice, Luis Guzmán, LL Cool J, Mary Mara, Delroy Lindo e Christina Ricci. Duração: 111 minutos. Distribuição: Universal.
19/06/2020 - 00:46
Imprimir Comunicar erro mais opções


Goldie Hawn sempre foi conhecida por suas comédias. Já Mel Gibson era mais lembrado por dramas, aventuras e policiais. Se bem que sua interpretação em Máquina Mortífera tinha muito de humor. Quando foi anunciado que os dois estariam juntos em uma comédia romântica de ação ninguém se surpreendeu. Dirigido por John Badham, a partir de um roteiro de David Seltzer, Louis Venosta e Eric Lerner. Alta Tensão, lançado em 1990, conta a história de Rick Jarmin (Gibson), que está há 15 anos no Programa de Proteção de Testemunhas por ter ajudado na prisão de um perigoso traficante de drogas, Eugene Sorenson (David Carradine). Certo dia, Rick é reconhecido por Marianne Graves (Hawn), sua ex-noiva que acreditava que ele tinha morrido. Nesse meio tempo, Eugene recebe liberdade condicional e quer vingança, o que coloca Rick e Marianne como presas de uma implacável caçada. Alta Tensão faz jus ao título nacional que recebeu e a química entre o casal é fabulosa. Originalmente, o papel de Rick seria de Kurt Russell, companheiro de Hawn na vida real. Porém, o compromisso que havia assumido com Tango e Cash fez com que ele recusasse o convite. Russell então indicou o amigo Gibson e o resto é história.

ALTA TENSÃO (Bird on a Wire – EUA 1990). Direção: John Badham. Elenco: Mel Gibson, Goldie Hawn, David Carradine, Bill Duke, Stephen Tobolowsky, Joan Severance, Harry Caesar, Jeff Corey e Alex Bruhanski. Duração: 110 minutos. Distribuição: Universal.
18/06/2020 - 02:50
Imprimir Comunicar erro mais opções


O sucesso de filmes como 48 Horas e Um Tira da Pesada serviu de molde para comédias policiais, uma mistura de gêneros muito popular na década de 1980. Tocaia, de 1987, seria originalmente dirigido por Leonard Nimoy, que desistiu do projeto e foi substituído por John Badham. O roteiro de Jim Kouf apresenta os agentes Chris Lecce (Richard Dreyfuss) e Bill Reimers (Emilio Estevez). Ambos têm certeza de que Richard Montgomery (Aidan Quinn), um perigoso foragido da polícia, irá atrás de Maria McGuire (Madeleine Stowe), sua ex-namorada. Por conta disso, os dois passam a vigiar a casa dela. Até aí, estamos no conhecido terreno dos "filmes de tiras”. As coisas tomam um rumo inesperado e engraçado quando Chris se apaixona por Maria. Em tramas assim, é preciso que haja uma boa química entre os atores que formam a dupla de homens da lei. E Dreyfuss e Estevez funcionam muito bem juntos. Além deles, a presença de Madeleine Stowe, em seu primeiro papel de destaque na telona, é simplesmente iluminada. Em tempo: seis anos depois, Badham e os dois atores se juntaram novamente para Uma Nova Tocaia, porém, sem o mesmo brilho deste original.

TOCAIA (Stakeout – EUA 1987). Direção: John Badham. Elenco: Richard Dreyfuss, Emilio Estevez, Madeleine Stowe, Aidan Quinn, Dan Lauria, Forest Whitaker, Ian Tracey, Earl Billings e Jackson Davies. Duração: 117 minutos. Distribuição: Buena Vista.
17/06/2020 - 00:34
Imprimir Comunicar erro mais opções


Você pode pensar, pela imagem acima, que se trata de uma versão com atores da animação Wall-E. Posso dizer que não estaria de todo errado, afinal, o robô coletor de lixo da Pixar bebeu um pouco na fonte do Número 5, herói do filme Um Robô em Curto Circuito, dirigido em 1986 por John Badham. O roteiro de S.S. Wilson e Brent Maddock nos apresenta um projeto experimental criado pelo exército americano. O objetivo é colocar em ação robôs-soldados para utilização em guerras. Um desses robôs, o já citado 5, é atingido por um raio e ganha mais que vida. Ganha consciência. E isso faz com que ele fuja e encontre abrigo na casa de Stephanie (Ally Sheedy), onde amplia sua recém-adquirida humanidade. Os "pais” de 5, Newton (Steve Guttenberg) e Bem (Fisher Stevens) fazem tudo para trazê-lo de volta antes do exército, o que gera muita correria e situações bem engraçadas. Um Robô em Curto Circuito, também conhecido como O Incrível Robô, é mais um típico exemplo das aventuras infanto-juvenis dos anos 1980 e o diretor John Badham dá o ritmo certo em sua narrativa. Em tempo: o custo do Número 5 representou 10% do orçamento total do filme.

UM ROBÔ EM CURTO CIRCUITO (Short Circuit – EUA 1986). Direção: John Badham. Elenco: Ally Sheedy, Steve Guttenberg, Fisher Stevens, Austin Pendleton, G.W. Bailey, Brian McNamara, Marvin J. McIntyre e Tim Blaney. Duração: 98 minutos. Distribuição: Columbia.
16/06/2020 - 03:19
Imprimir Comunicar erro mais opções


A carreira do diretor John Badham vinha acumulando sucesso atrás de sucesso e em 1985 ele se juntou ao roteirista Steve Tesich, ganhador do Oscar seis anos antes pelo roteiro original de O Vencedor e dirigiu este Competição de Destinos, segundo trabalho de Tesich envolvendo o mundo do ciclismo. A história gira em torno dos irmãos Marcus (Kevin Costner, antes do estrelato) e David Sommers (David Marshall Grant). A relação entre eles não é das melhores e Marcus, que é médico, convence David a competir com ele na "Inferno do Oeste”, uma das competições mais importantes do ciclismo mundial. O objetivo é recuperar não apenas o respeito, mas principalmente, o afeto perdido. Porém, uma questão familiar envolvendo uma grave doença e traz medo aos irmãos à medida em que ambos pedalam suas bicicletas. Com belas locações e cenas eletrizantes, o filme nos apresenta uma história simples que flui sem atropelos em uma narrativa de precisão cirúrgica. Em tempo: muitos dos competidores que disputam a prova são atletas reais, assim como os acidentes mostrados.

COMPETIÇÃO DE DESTINOS (American Flyers – EUA 1985). Direção: John Badham. Elenco: Kevin Costner, David Marshall Grant, Rae Dawn Chong, Alexandra Paul, Janice Rule, Luca Bercovici, Robert Townsend, John Amos e Jennifer Grey. Duração: 113 minutos. Distribuição: Warner.
Marden Machado
 
Escrevo, todos os dias, sobre um filme, complementando minha participação nos programas Light News (na rádio Transamérica Light FM - 95,1), na rádio CBN Curitiba (90,1 FM), no programa Caldo de Cultura (UFPR TV - canais 15 da NET, 71 da TVA ou via web no http://www.tv.ufpr.br/), e no canal http://www.youtube.com/cinemarden.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados