15/11/19
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Lenise Queiroz
Lenise Queiroz
05/02/2019 - 16:10
Imprimir Comunicar erro mais opções
Pensa num alívio. Pensou? Multiplique. 😀

Tô até vendo gente franzindo a testa, questionando o tal alívio.

Explico.

Eu, assim como milhares de mães que trabalham e não tiram 2 loooooongos meses de férias, estamos aliviadas, uai.

É duro conciliar a rotina de trabalho com as 16 horas consecutivas de:
- mãããããe, onde vamos hoje?
- mãããããe,posso ir ao cinema?
- mãããããe , a fulana me chamou ...
- mãããããe , tô com fome.
- mãããããe, tá chegando a viagem?
- mãããããe , vamos comprar material?
- mãããããããããe...

É mãe que não acaba mais!!!! Tenha dó 😂
Tá. Faz parte, eu sei. Eu gosto. Mas tem hora...
Aliás, quem aí não perdeu a paciência com filho nas férias? (Se você que está lendo, não perdeu, me chame por aqui. Quero fazer uma entrevista).

Ahhhhh, mas só o fato de não ter que acordar como um zumbi, não ter que levar pra cima e pra baixo com hora marcada já é bom, né?

É. E muito!

Mas voltar a rotina é bom. É saudável pra eles, pra nós e pra relação mãe e filho.

E sim, estou aliviada!
#prontofalei
08/09/2018 - 18:15
Imprimir Comunicar erro mais opções
O assunto hoje é sério. Seríssimo!

A depressão é reconhecida como a doença do século. Ao contrário que muitos pensam, não é "mimimi".

Os dados da OMS são assustadores, destacando aumento de incidência e adolescentes e jovens.

Como mãe de adolescente, me preocupo e fui buscar algumas informações e quero dividí-las com vocês.

Acessem o link e acompanhem a entrevista.

💋
16/08/2018 - 17:24
Imprimir Comunicar erro mais opções
12/08/2018 - 10:13
Imprimir Comunicar erro mais opções
Minha referência de Pai é a melhor possível. Pensa num Pai gente boa. Pensou? É o meu! 😊

E não é que a história se repete aqui em casa? Casei com um paizão! Daqueles que deixava arrumar o cabelo, segurava a boneca, entrava nas brincadeiras e ainda trocava fralda, levava pra passear e dava comidinha! 😊 E mesmo com tempo passando (rápido demais, diga-se de passagem) a relação dos dois continua assim. Juntos, sempre!

Talvez pensem: nossa, quanta perfeição! Não. Minha família não é perfeita. Temos o privilégio de ter a figura do Pai presente e mesmo com erros e acertos, sem contar as loucuras, nos amamos. E isso basta.

E por falar em amor, o que dizer das Pães? Criam, educam, protegem e apoiam seus filhos. Exemplos de mulheres que assumem e conciliam maternidade, paternidade, trabalho... tudo junto e misturado. E que exemplo! 👏🏻👏🏻

Aos Pais de sangue, Pais de coração, Pães, ... que assumiram o papel de VERDADE, minha admiração e respeito!

Feliz Dia dos Pais/Pães!

Bjs
04/08/2018 - 17:47
Imprimir Comunicar erro mais opções
Não importa a idade de seu filho. Nós, mães, na maioria das vezes enxergamos nossos rebentos como pequenos, frágeis e delicados filhotinhos que precisam da gente o tempo todo. E ali estamos, prontos sempre. Deixá-los crescer nem sempre é um tarefa fácil. Necessária, sabemos que é.

Mas confesso que não imaginei que no furacão chamado maternidade os papéis, um dia, pudessem se inverter tão cedo.

Há uma semana, a vida me pregou um susto. Pensa num susto! De uma comemoração pela vida, fui parar direto na UTI. Claro que a notícia foi como um balde de água fria para todos que ali estavam. Desespero, esperança, dor, fé, amor... tudo misturado no pacote de sentimentos. E eu, tentando disfarçar o medo e ser forte como em desenhos animados. Chorar? Só por dentro ou sozinha. Fingir estar tudo bem? Definitivamente não é meu forte.

Saí para o hospital com a imagem de amigos e familiares pálidos, brancos e com olhos arregalados. Mas nada supera a imagem de minha filha chorando muito, desnorteada. Que dor!

Durante minha estadia inusitada, pensava nos meus pais, marido, familiares, amigos e claro, nela. Como estava? Chorando? Calma? E se algo pior acontecesse?
E pra minha surpresa, minha pequena grande moça me enviava as mais lindas palavras de fé e força. Nem mesmo os olhos marejados que denunciavam o sofrimento e medo a faziam titubear. Apresentava-se como uma fortaleza, um alívio para minha dor. Palavras de incentivo e amor. Certamente, assim como eu, chorava longe de mim. Enfrentou seus medos e os encarou de frente.

Hoje estou aqui, firme e não tão forte assim, mas vivíssima da silva, como dizem por aí.

Gratidão é a única palavra que consigo proferir.
Gratidão a Deus, aos meus pais, ao meu companheiro, aos familiares, aos amigos verdadeiros (diziam mesmo que é nessas horas que conhecemos as pessoas) e em especial, a você, filha!!! Nosso amor nos fez superar a dor!
Lenise Queiroz
 
Apresentadora. Assessora de Marketing. Esposa e mãe que luta diariamente para conciliar tudo isso com o furacão chamado maternidade.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE