23/02/20
32º/19ºLONDRINA
Isabel Furini
Isabel Furini
08/03/2019 - 20:21
Imprimir Comunicar erro mais opções
Tribal dancing

(Para Beth Damballah, com respeito e admiração )

Tecemos
Teias de delicadezas
Em pratos de cebolas cruas.

Somos
Criaturas da coragem
E sons estranhos.

Andamos
Skates de Itabirito
E saltos quinze.

Dançamos
Ancas de bagual
Em chinelinhos.

Rimos
Relógios de flores e sóis
Em pequenas caixas.

Lutamos
Lanças de Jorge
Sortilégios e pragas.

Vivemos
Donas, Senhoras, engenheiras, escravas
Sem te pedir licença.

Lide com isso.


Maria Lorenci

08/03/2019 - 08:06
Imprimir Comunicar erro mais opções
Ternura, sorriso nos lábios, leveza no ar.
Livre, coração aberto e asas para voar.
Mulher, força e coragem para lutar.

Regina Bacellar
**
Aldravia

plateia
lotada
aplaude
escritora
e
artista

Maria Antonieta Gonzaga Teixeira
AVIPAF - CADEIRA 10

**

Aldravia

viva
intensamente
dance
brilhe
nas
janelas

Maria Antonieta Gonzaga Teixeira
AVIPAF - Cadeira 10


Mulher... I

Que a palavra no peito cale.
Que nunca se cale
Perante o abraço falso
E mão fingida,
Extensão da perversa
Algema doída
Que cativa o espírito
E amordaça a carne.

Daniel Mauricio
AVIPAF - Cadeira 17



Mulher

A mulher
não nasceu para obedecer
nasceu para evoluir
para ser feliz
e para conquistar
o lugar que o seu coração desejar.

Isabel Furini
AVIPAF - Cadeira 1
06/03/2019 - 14:25
Imprimir Comunicar erro mais opções
O poema abaixo foi traduzido do espanhol por mim. Fiz sua leitura com uma emoção que não conseguirei traduzir para vocês como o fiz no trabalho com as palavras pra não perder a rima e o sentido do que a autora Alfolsina Storni, poeta Argentina, quis transmitir. O texto falou comigo de tal maneira, que vi minha história ali estampada...
Amarras e tabus que passaram de geração a geração, regras de conduta pra uma mulher "de família"... E lembrei de algumas conversas com minha mãe, no quanto ela sofria por acatar certas regras e permanecer em silêncio.
"Sem querer", também aos poucos fui me livrando delas através de meus versos. Me libertei, mãe,... por você, por mim e por muitas que ainda conseguirão desvencilhar-se dessas amarras...
E não vou chorar pensando que "poderia ser diferente". Não vou me reprimir para satisfazer regras criadas por homens que quiseram nos manter "em silêncio" e obedientes, cegas e surdas para as coisas que acontecem à nossa volta, mutilando nossos desejos e nos amargurando. Será diferente, porque somos donas de nossas ações e de nosso destino.



Poema de Alfonsina Storni - Tradução de Elciana Goedert
PODERIA SER

Pode ser que tudo que no verso foi sentido
Não foi mais do que aquilo que nunca poderia ser,
Não foi mais do que algo proibido e reprimido
De família para família, de mulher para mulher

Dizem que nos solares de minha gente, medido
Estava tudo aquilo que se devia fazer ...
Dizem que silenciosas as mulheres têm sido
Da minha casa materna ... Ah, bem que poderia ser

Às vezes em minha mãe surgiam desejos
De libertar-se, porém, subia-lhe aos olhos
Uma profunda amargura, e na sombra chorou

E tudo que é mordaz, derrotado, mutilado
Tudo que em sua alma vivia aprisionado,
Acho que sem querer, de mim se liberou

*****
04/03/2019 - 15:05
Imprimir Comunicar erro mais opções
A QUE VIEMOS?

Milhões de estrelas brilhem em olhares visionários

Sejamos iconoclaustas das injustiças

Versejem em nós, utopias anarquistas

Cantemos a prosa e o verso em barcos legionários.

Que não naufrague em nós, redentora esperança

A paz, a justiça, a igualdade, nossa aliança

E venham a nós a rebeldia das liberdades

E nada quebrante nossas vontades.

Sonhos impossíveis sejam sonhados

Libertem-se temores acorrentados

Há que justificar nossa passagem na terra

Ainda que nosso viver, seja luta, seja guerra.

Conceição Gomes

Arte digital de Isabl Furini
Arte digital de Isabl Furini
02/03/2019 - 18:14
Imprimir Comunicar erro mais opções
A Nogue Editora convida para o lançamento do livro de poesias "NATUREZA ÍNTIMA", da poetisa e trovadora Andréa Motta, no dia 26 de março de 2019, á 17h , no Centro de Letras do Paraná (Rua Fernando Moreira, 370 -Centro).

"Natureza Íntima" é um livro com poemas curtos, mas profundos. A autora se caracteriza por dominar a técnica poética e dizer muito em poucos versos. Um livro que encantará aos amantes da poesia.

Isabel Furini
 
Isabel Furini, escritora e educadora. Recebeu prêmios em concursos de poesia e de contos. Publicou 15 livros, entre eles: Mensagens das Flores e Ele e outros contos. Também escreve para o público infanto-juvenil. É autora da coleção "Corujinha e os Filósofos" da Editora Bolsa Nacional do Livro de Curitiba.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE