11/12/19
º/º
PUBLICIDADE
Marcos Vinicius
Marcos Vinicius
17/05/2019 - 12:47
Imprimir Comunicar erro mais opções

O mistério que envolvia quem seria o novo Batman dos cinemas chegou ao fim e Robert Pattinson foi confirmado como o próximo ator a viver o Cavaleiro das Trevas. A informação veio da Variety, que não deu maiores detalhes sobre a trama nem sobre o acordo envolvendo a Warner/DC e o ator.

O ator ganhou fama interpretando Cedrico Diggory em dois filmes das saga "Harry Potter", mas se tornou amplamente reconhecido e é lembrado até hoje por ter vivido o vampiro Edward Cullen na saga "Crepúsculo". Ele já vinha há algum tempo sendo especulado como o próximo Batman no cinema após Ben Affleck ("A Liga da Justiça") abandonar o papel. A notícia havia viralizado como uma brincadeira de primeiro de abril, porém já eram rumores reais, visto que tivemos agora essa confirmação.

Qual a sua opinião? Será que o ator conseguirá se sair bem como o novo Batman?
13/05/2019 - 22:29
Imprimir Comunicar erro mais opções

Para loucura dos hunters, o evento Horror Expo 2019 terá como um de seus convidados o rei do inferno em pessoa.

Mark Sheppard, 54, ator britânico mundialmente conhecido por viver Crowley, o rei do inferno, por oito temporadas seguidas de Supernatural, série de sucesso exibida no Brasil pelo Warner Channel, é a mais recente atração confirmada para a HORROR EXPO 2019. O maior evento focado na cultura do horror já realizado na América Latina, abrangendo cinema, TV, streaming, games, literatura e cultura pop, será realizado entre os dias 18 a 20 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo/SP.

Além de Supernatural, Sheppard teve participações mais longas em séries como em Battlestar Galactica, 24 Horas, Leverage, Medium, White Collar, Warehouse 13 e Soldier of Fortune, Inc., além de aparições em megaproduções como Arquivo X, Star Trek: Voyager, CSI, CSI: NY, Firefly, Monk, Without a Trace, Burn Notice, Chuck, Doctor Who, MacGyver, entre outras.

Mais detalhes sobre a vinda de Mark Sheppard e outras atrações já confirmadas na HORROR EXPO 2019 estão disponíveis aqui.

Quem sabe, nós do Londrina Geek não aparecemos por lá para dar uma conferida no evento!
03/04/2019
Imprimir Comunicar erro mais opções
- SHAZAM!


Que criança nunca sonhou em ter super-poderes?

Pois é! Shazam! (2019) mostra como seria se isso acontecesse de fato.

A essência do filme é justamente a inocência instalada no roteiro, por se tratar da visão de crianças, sendo o protagonista, Billy Batson (Asher Angel), acompanhado durante todo o filme por um grupo de amigos e a história girar em torno deles.

Por este motivo o filme é recheado de humor e uma explosão de cores em seu visual, rendendo-se ao que, de fato, ocorre nos quadrinhos, onde o herói tem sua roupa colorida, reluzente, sem intenção nenhuma de parecer um herói contemporâneo preocupado com as tendências da moda atual. No entanto, mesmo utilizando uma paleta de cores vivas, com um vermelho e amarelo bem destacados, uma coisa que ficou claramente aparente foi o visual dos monstros que representavam os sete pecados capitais, visual este que podemos nele reparar o mesmo estilo de criação do vilão Apocalypse de Batman vs Superman (2016), sob a direção mais sombria de Zack Snyder.

O filme se sustenta na ideia de ser uma proposta totalmente diferente dos filmes anteriores da empresa. Visto que há um desafio sempre que se trata de um filme da DC, porém não vamos entrar neste mérito.
E esse objetivo é alcançado ao entregar um filme diferente, engraçado, com um roteiro - embora fraco - bem fechado, que abre portas para futuras sequencias.

Confira uma opinião coletada após a sessão de estréia do filme:
"Shazam foi um filme que eu fiquei muito empolgado pelo primeiro trailer devido a atmosfera mais colorida e engraçada que ele entregava, ao assistir superou minhas expectativas entregando um filme engraçado com uma historia envolvente, que tem alguns clichês, mas mesmo assim não ficando aquele filme maçante. As cenas engraçadas se encaixaram perfeitamente no filme, porém acho que o mais surpreendente foi a atuação do ator Zachary Levi (Shazam), que foi muito criticado no começo e que desempenhou um papel muito bom. Do mais o filme é muito bem estruturado, com uma historia envolvente e umas surpresas muito legais e com certeza irei assistir novamente." relatou Jonathan.

Um aspecto que incomodou um pouco foi o prólogo no início do filme, mostrando a construção do vilão Thaddeus Sivana (Mark Strong), que foi algo que poderia ser rearranjado, ou até mesmo descartado, pois é mostrado de forma rápida e isolada, o que poderia ter sido encaixado de maneira diferente no decorrer do filme, pois trata-se de uma mitologia que mesmo após o término do filme, fica subjetiva, a cargo de quem assistiu o filme ter um pré conhecimento ou suposição sobre o tema - aqui estamos falando da origem dos poderes, tanto do vilão, como do super-herói (Shazam).

Vemos um filme lotado de referências externas à grandes obras da cultura pop, algumas pertencentes ao mesmo estúdio deste filme, como outros heróis da DC Comics e até mesmo à outros filmes da Warner, como Harry Potter. Além disso também cita e faz referência à outras franquias como Game of Thrones, Star Wars, Street Fighter, Rocky e outros.

Podemos concluir que é um filme empolgante, divertido e que vale a pena assistir mais de uma vez. Seu humor é espontâneo e a atuação das crianças é muito boa e não decai por serem crianças, muito pelo contrário.

A moral que o filme entrega é extremamente bonita, ainda que sutil, nos mostra relações familiares, de maneira com que acreditemos nos laços que transcendem laços sanguíneos.

Assistiu ao filme? Gostou?
Deixe sua opinião nos comentários!

Muito obrigado por nos acompanhar e até a próxima crítica.


- SHAZAM!
29/03/2019 - 18:24
Imprimir Comunicar erro mais opções
Divulgação
Divulgação

Dumbo, a história do elefante mais famoso do mundo ganhou uma nova cara, pelas mãos do diretor Tim Burton, trazendo um ar característico do diretor e uma experiência nova com o retorno de mais um clássico da Disney.

A nova adaptação trouxe uma roupagem mais realista para o filme, contando a história com conceitos mais contemporâneos, inclusive pontos centrais que hoje soariam inadequados, recolocando os moldes do filme de 1941 para os padrões de ética esperados em 2019.

Tivemos várias alterações nessa versão do Tim Burton, como o fato dos animais não falarem e até novos personagens humanos que entraram na história para mostrar um arco novo que não existia na animação. Momentos clássicos da animação foram mantidos, porém com o estilo do diretor que fica nitidamente visível nos tons de cores utilizados - um exemplo é o verde da grama, que pode ser facilmente comparado ao tom utilizado em "A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005).

A essência do clássico está lá, mas não espere um filme que reproduza fielmente o original, pois os tempos são outros, e essa mudança em minha opinião foi altamente positiva.

De forma geral, Dumbo é um filme legal, emocionante em algumas partes, lento em outras, boa parte por culpa dos humanos, sim, os personagens que são desenvolvidos por atores não passam muita firmeza no papel que apresentam. Vimos algumas críticas com relação à atuação das crianças, que foi fraca, porém podemos relevar por serem profissionais inexperientes, no entanto, nomes de peso que estão no elenco, como Michael Keaton, não entregam um trabalho que se possa admirar. Olhando pelo lado positivo, a Disney acertou em cheio em contratar o Tim Burton, pois este garante mais um clássico à sua coleção, e apesar dos aspectos negativos com alguns personagens apresentados aqui, é um bom filme, tenho certeza que vai agradar os fãs da Disney, e também vai apresentar esse clássico para uma nova geração.

Assistiu ao filme? Gostou? Não?
Deixe sua opinião nos comentários!

Muito obrigado por nos acompanhar e até a próxima crítica
07/03/2019 - 11:00
Imprimir Comunicar erro mais opções

E com o primeiro blockbuster do ano, retornamos com nossas postagens e podemos dizer que, assim como o filme que iremos falar a respeito nessa crítica, voltamos chutando bundas.

A pauta é sobre o filme Capitã Marvel, com estréia marcada para a data de hoje (7 de março), no Brasil.

Falamos um pouco sobre a proposta do filme e expectativas no nosso novo projeto em parceria com a Folha de Londrina, o Folha Nerd de Londrina. Um quadro do podcast do jornal da cidade. Se você ainda não ouviu, clique no link abaixo para conhecer o projeto e se inteirar do assunto.



Bom, vamos ao que interessa. A partir de agora, falaremos sobre o filme e a nossa opinião após ter saído da sessão.

O filme é bom! Uma história misteriosa, que te faz entrar no drama da protagonista em tentar descobrir quem ela é, até pelo fato de muitos de nós, não sabermos mesmo, quem é a personagem. E a jornada gira em torno de descobrir de onde surgiu e quem é Carol Danvers.

O longa introduz a protagonista como "Vers", uma soldado Kree, que logo de início embarca em uma missão para provar seu valor ao seu povo que, visivelmente, não confia nas habilidades dela. Existe uma espécie de inteligência maior entre os Krees, e esta parece não acreditar no potencial da soldado.

É nesta missão em que os soldados Krees, acompanhados da protagonista, têm seu primeiro contato com os, até então, antagonistas do filme, os Skrulls. Que, a partir daí, passam a fazer-nos pensar diferente sobre a motivação deles dentro da história do filme.

A primeira cena de batalha mostra "Vers" escapando dos Skrulls, pois havia sido emboscada na missão mencionada anteriormente. E é nesse momento em que começamos a conhecer os verdadeiros poderes da Capitã.

Essa cena, que já havia sido apresentada exclusivamente na CCXP18 para aqueles que estavam no painel da Marvel Studios, mostra que a personagem não está para brincadeiras. Seu poder de fogo vai além do que poderíamos imaginar, e é só o início do filme. Ela escapa e derrota os seus carcereiros com facilidade e eficácia, e foge dali para o planeta C-53, que conhecemos, habitualmente, por planeta Terra.

Com esse início, já podemos concluir que teremos uma personagem extremamente poderosa e era isso que eu mais esperava. Um ser overpower, que seria capaz, sim, de resolver uma situação, simplesmente porque é mais forte e poderoso. E ter isso de uma protagonista feminina é um prato cheio para o cenário atual, pois, de fato, a personagem é uma imagem muito bem construída da representatividade feminina no cenário geek, e trazer isso aos cinemas é uma forma muito legal de jogar isso para o mundo todo. Afinal, sabemos que os filmes da Marvel, hoje, não só alcançam os fãs aficcionados em quadrinhos e no universo geek, mas, sim, todos os demais públicos e telespectadores.

Mas afinal, de onde vieram os poderes da Capitã? A origem deles é a mesma dos quadrinhos?

Está aí um ponto que me gerou bastante dúvida e várias teorias para o quão poderosa ela é de fato.

ATENÇÃO. SPOILER ALERT. ATENÇÃO.

O filme mostra que a fonte dos poderes da Capitã é, nada mais, nada menos, que o Tesseract, ou, ainda, a jóia do espaço, uma das jóias do infinito.

O que me deixou um tanto confuso, pois o Tesseract, nesse filme, se encontra em um laboratório secreto, que pertencia a uma cientista das forças aéreas que, na verdade, era uma Kree disfarçada em território terreste.

Como ela conseguiu o Tesseract? Este não estava perdido junto ao corpo do Capitão América? Pois, até então, sabíamos que o Tesseract foi parar nas mãos da S.H.I.E.L.D dessa forma, entretanto, o filme da Capitã Marvel nos prova o contrário.

Agora, o que mais me deixa curioso é saber que, se o filme afirma que a fonte de poder da Capitã Marvel é o Tesseract, ou seja, uma das jóias do infinito, a jóia do espaço. Podemos assumir que a personagem teria, no máximo, o poder equivalente ao de uma jóia. Somente uma.
Enquanto Thanos, que já dizimou metade dos seres vivos presentes no universo, possui todas as seis jóias.
Portanto, se pensarmos dessa forma, podemos afirmar que numa luta franca, mesmo a Capitã, da forma que foi apresentada em seu filme, não teria chances contra o titã louco, em posse da manopla do infinito completa.

Em suma, tratando-se da conclusão do filme, podemos dizer que é um filme divertido, recheado de piadas sutis, referências a outros universos como: Hannibal, Star Wars, sem mencionar o "motherf*cker" do nosso querido Samuel L. Jackson. Vários outros trocadilhos com palavras ocorrem durante o filme, menções à situações do nosso universo, como a série "Um maluco no pedaço", entre outros.

A atriz que dá vida a Carol Danvers é Brie Larson, que foi alvo de muitas críticas por sua atuação. Na minha opinião, a atriz está muito bem. O foco das críticas era de que a atriz estava muito apática e não sorria muito. E, durante o filme todo, eu ficava me perguntando: "Que filme esse pessoal assistiu?" Pois, do início ao fim, a personagem é carismática e tem um alívio cômico muito bem colocado em cima dela, sem forçar a barra.

Acredito que um dos pontos fracos do longa é o verdadeiro vilão. Mesmo depois de excelentes antagonistas como o Abutre em Homem-aranha: De volta ao lar, ou o Killmonger, em Pantera Negra, e até mesmo o próprio Thanos, em Vingadores: Guerra Infinita, a Marvel peca em saber colocar um propósito para o conflito do filme. É confuso e chega um momento do filme que não se sabe o porquê estão lutando e em qual motivação deve-se confiar.

Vale a pena assistir nos cinemas? Com certeza! Assistiria mais de uma vez. Sem falar na cena pós-créditos que é de arrepiar e nos deixa ainda mais ansiosos para Vingadores: Ultimato, que virá aos cinemas em pouco mais de um mês, no dia 25 de abril.

Assistiu ao filme? Gostou? Não?
Deixe sua opinião nos comentários!

Muito obrigado por nos acompanhar e até a próxima crítica!
Marcos Vinicius
 
Olá pessoal, meu nome é Marcos Vinicius, sou fundador do TrooperTV, idealizador do Encontro de Fãs Star Wars Londrina e hoje falo com vocês em nome do Londrina Geek. Estarei aqui toda semana para conversarmos um pouco sobre o mundo Geek, onde iremos criar uma agenda dos eventos da região, comentar sobre filmes, séries, livros, discutir sobre alguns lançamentos do mundo dos games e também falar de colecionismo. Esse mundo é extremamente vasto, participo dele desde pequeno e atualmente estou ativo em vários canais de comunicação. Acompanhe-nos em nossas redes sociais! @trooper.tv | @efswlondrina | @londrinageek



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE