Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Volta a preocupar

Nuvem de gafanhotos volta a se aproximar do Brasil

Katna Baran - Folhapress
21 jul 2020 às 08:41
- Reprodução/Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A nuvem de gafanhotos que continua prejudicando plantações em diversas áreas da Argentina se reaproximou do Brasil no final de semana voltando a preocupar produtores gaúchos.

Os insetos foram avistados na província de Entre Rios, a cerca de 3 km de San José de Feliciano, como indica o monitoramento deste domingo (19) do Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar) do país vizinho.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Apesar de indicar que a nuvem continua se deslocando para o sul, como já era previsto pelas autoridades argentinas, a nova localização fica a cerca de 115 km do município gaúcho de Barra do Quaraí, ou seja, atingiu até então a distância mais próxima com o Brasil.

Leia mais:

Imagem de destaque
363 yanomamis morreram

Um ano foi insuficiente para lidar com toda situação em terra yanomami, diz Guajajara

Imagem de destaque
Redução na taxa

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Imagem de destaque
Após cirurgia

Morre, aos 84 anos, o economista Affonso Celso Pastore, que presidiu o BC nos anos 1980

Imagem de destaque
Estrategia de marketing

Procon-SP pede explicações do McDonalds por sumiço do McFish


As condições climáticas no estado gaúcho, que registrou altas temperaturas no final de semana, também favorecem o avanço da nuvem para o território brasileiro.

Publicidade


"Com essa condição climática, precisamos estar preparados", alertou Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul.


Segundo ele, o estado está preparado com um plano operacional de emergência para eventual permanência da praga na região.

Publicidade


O Senasa ainda emitiu nesta segunda-feira (20) um novo alerta de outra nuvem de gafanhotos avistada em Formosa, na divisa com o Paraguai. Os insetos teriam migrado do país vizinho. O último registro dos técnicos aponta que esse grupo de animais está mais distante do território brasileiro, a cerca de 400 km da fronteira paraguaia com o Mato Grosso do Sul.


Há cerca de um mês, o Ministério da Agricultura declarou estado de emergência fitossanitária nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina para que os governos possam adotar medidas de contenção dos gafanhotos.

Publicidade


A portaria ministerial tem duração de um ano. Trata-se de uma ação preventiva para controlar os danos que a chegada do inseto pode causar em lavouras brasileiras. O documento dá autorização aos estados para tomarem medidas prioritárias de combate à praga, como utilização de agrotóxicos e chamamento de entidades que auxiliem nas ações.


Os insetos, de até 15 cm de envergadura, já atingiram plantações de milho nos países vizinhos. Em uma das áreas, a nuvem de gafanhotos chegou a 10 km de extensão. Um quilômetro quadrado da nuvem comporta ao menos 40 milhões de bichos. Eles podem comer pastagens em apenas um dia o equivalente ao alimento de 2.000 vacas.

O gafanhoto conhecido como sul-americano tem como hábito a formação de massas migratórias e pode viajar até 100 km por dia.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade