Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Prestou solidariedade

Papa Francisco envia carta para família do menino Henry Borel

- Ansa
Redação Bonde com Ansa Brasil
18 mai 2021 às 10:51
Publicidade
Publicidade

O papa Francisco destinou uma carta para o pai de Henry Borel, Leniel Borel, e para a avó paterna da criança, Noeme Camargo, onde lamenta o assassinato do menino.


O documento foi enviado em 24 de abril em resposta a uma carta que Camargo enviou ao Vaticano e revelado nesta terça-feira (18) pelo jornal "O Globo" e pelo portal "UOL".

Publicidade
Publicidade


"O Santo Padre recebeu a carta, triste e aflita, que lhe enviou no dia 14 deste mês de abril, contanto nela as horas amargas que vive o povo brasileiro e também a loucura humana que levou ao massacre do pequenito Henry Borel", diz parte do texto divulgado e assinado pelo padre Luigi Roberto Cona, que atua como assessor para Assuntos Gerais da Secretaria do Vaticano.

Leia mais:

Imagem de destaque
Já fez seu jogo?!

Loterias: Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 3 milhões neste sábado

Imagem de destaque
33 MIL LITROS DE BEBIDAS APREENDIDOS

Três fábricas de bebidas são fechadas por irregularidades em Santa Catarina

Imagem de destaque
Eles voltaram!

McDonald's relança Big Mac em versões com bacon e dobro de carne

Imagem de destaque
Cartunista

Inteligência artificial não é o problema, mas a falta de empregos, diz André Dahmer


O religioso ainda pontua que "considerando o caso dramático referido na missiva, o papa Francisco incumbiu-me de assegurar a sua paterna vizinhança e solidariedade ao pai Leniel Borel, à avó Nome Camargo, confiando-os à proteção da Virgem Maria com os desejos bons que cada um traz no coração".

Publicidade


"O Santo Padre conta com Leniel e Noeme para contrastar a cultura da indiferença e do ódio que sente crescer ao seu redor, não se deixe contaminar pelo ódio, transformando-se a sua imagem e semelhança. Seja do número das pessoas que se recusam a entrar no circuito do ódio, que se recusam a odiar aqueles que lhes fizeram mal, dizendo-lhes: 'Não tereis o meu ódio'", ressalta ainda a carta.


A morte do menino Henry Borel, de 4 anos, ocorreu em 8 de março e a mãe da criança, Monique Medeiros da Costa e Silva, e o padrasto, o vereador carioca Dr. Jairinho, estão detidos preventivamente sob a acusação de assassinato do menor.

Os dois responderão judicialmente por homicídio triplamente qualificado, tortura, coação e fraude processual. Monique também será indiciada por falsidade ideológica.


Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade