Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Feira

Decoração com um 'toque internacional'

Marcela Rocha Mendes/Equipe da Folha
16 out 2009 às 11:11
Paula Lima: ‘‘não é preciso prática nem habilidade’’ para transformar objetos que iriam para o lixo em decoração - Diego Singh/Equipe Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Foi-se o tempo em que só as pessoas mais ''viajadas'' enchiam suas casas com artesanatos diversos dos países que visitavam. Hoje, artigos decorativos chegam facilmente de diversas partes do mundo. E uma boa opção para encontrar esses produtos são as feiras de decoração e artasanato, como a 1 Art e Craft, que vai até domingo no Centro de Exposição da Cietep, em Curitiba.

Entre as novidades, toda uma linha de produtos indianos feitos de chifres de búfalo. Com uma técnica que utiliza vapor, talheres, fruteiras, bolas decorativas e caixas são moldados com o material. O resultado é brilhante e delicado. Segundo a expositora dos produtos trazidos diretamente da Índia, Ermelinda de Lima Monte, com o cuidado de não lavar com água quente, os artigos tem grande durabilidade.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os preços são muito variados. Vão de R$ 5 reais uma colher pequena para café até R$ 120 a caixa grande para guardar lembranças. Estão expostos produtos de madre-pérola e conchas que podem ser usados na cozinha ao mesmo tempo em que ficam como decoração.

Leia mais:

Imagem de destaque
Fase de aprovação

Prefeitura quer beneficiar contribuintes em dia no IPTU com descontos progressivos

Imagem de destaque
Preços a partir de R$ 5

Associação de Voluntários do HU promove bazar beneficente

Imagem de destaque
Neste final de semana

Shopping de Londrina fará liquidação fora de época com descontos de até 70%

Imagem de destaque
Aproveite!

Bazar em Cambé venderá roupas a partir de R$ 2


Do Peru, quadros de temática religiosa pintados à mão chamam atenção pela quantidade de detalhes tanto na imagem, quanto na moldura. Uma imagem grande de Nossa Senhora de Guadalupe com moldura em cedro talhada a mão sai por R$ 2 mil. No entanto, o trabalho do artista justifica. São 15 dias para preencher os detalhes da pintura e outros 15 para esculpir a madeira. Um quadro semelhante, mas pequeno, sai por R$ 100.

Publicidade


Um dos expositores com artesanato do Quênia não quis pecar por falta de variedade. Porta-copos, pestiqueiras, fruteiras, vasos e potes feitos de pedra sabão e pintados com temática africana são algumas das novidades exclusivas trazidas da capital Nairóbi. Já as conhecidas girafas, de todos os tamanhos (de R$ 2,50 a R$ 250) ganharam a versão em dupla. O casal tamanho médio sai por R$ 25, enquanto o animal individual é R$ 15.


Como grande parte dos produtos africanos, os artigos quenianos de Lucy Kubesu estão cheios de simbologia e superstição. O elefante de madeira-ébano (R$ 60) deve ser mantido em um lugar alto da casa para trazer boa sorte. As máscaras africanas, se colocadas na frente da casa, trazem proteção. Já as ''banana's dancers'' (dançarinas de banana, R$ 15) - um móbile com bonequinhas feitas de fibra de banana que balançam ao vento - segundo Kubesu, são só pela diversão.

Publicidade


O significado dos produtos trazidos Gana, conforme o vendedor Christian Mintah, estão no método de fazer e no formato. Os impressionantes ''unity'' (do inglês: unidade, união) são bonecos, sempre em número ímpar, esculpidos de um único tronco de madeira-ébano (escura) ou sese (clara) sem qualquer remendo. Abertos, eles formam uma ciranda que pode servir de base para mesa, bandeja ou simplesmente peça decorativa.


Tamanhos e preços variados, o unity pequeno é feito em três dias e custa R$ 40. Já o grande, com cinco ou sete bonecos, pode levar até 20 dias para ser concluído e sai por R$ 250. A técnica em prótese dentária Bianca Lanza ficou impressionada com a escultura, ainda mais quando soube que a peça única não podia sofrer emendas. ''Como eu também trabalho esculpindo dentes, fiquei admirada com a técnica. Nunca vi nada parecido'', comentou, enquanto escolhia o que levaria para casa.

Publicidade


Oficina ensina a criar 'arte em casa'


Quem gosta de artesanato costuma se arriscar a fazer algumas peças por conta própria. Segundo a professora do Quarteto das Artes, Paula Lima, ''não é preciso prática nem tampouco habilidade'' para transformar objetos que iriam para o lixo em decoração.


Por exemplo, uma caixa de madeira usada por feirantes para carregar frutas pode virar revisteiro. ''Depois de lixar bem, pintar de branco e encapar com tecido, a sucata comprada a R$ 3 pode ser vendida por até R$ 25. Todo o processo leva cerca de três horas'', explica a artesã que ministra oficinas na feira Art e Craft.

Lima mostra também como uma caixa de leite vira embalagem de presente, a caixa de sapato é transformada em porta-objetos e as latas podem ser enfeitadas com temáticas natalinas ou pascoais. Entre os materiais reutilizados, a garrafinha de leite de coco vira um vasinho colorido com uma única mão de tinta, em menos de cinco minutos. E não importa quão danificado esteja a matéria-prima. A limpeza, inclusive com a lixa, ajuda a deixar tudo com cara de novo.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade