Pesquisar

Canais

Serviços

- Folha Norte
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Inclusão

Cegos têm passeio "vip" na Exposição

Rafael Fantin/Folha Norte
10 abr 2010 às 09:36
Continua depois da publicidade

Dona Idalete Rosa, de 55 anos, presidente da Associação dos Deficientes Visuais de Londrina (Adevilon), voltou a ser criança quando entrou no parque de diversão da Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina. Com o auxílio de um guia, ela andou pela primeira vez em uma roda-gigante e realizou o sonho de sua infância. Ainda criança Idalete começou a perder a visão, ficando totalmente cega aos 26 anos. Com a doença, o tão esperado passeio foi sendo sempre adiado.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Na opinião de dona Idalete, a realização do sonho só foi possível por causa do atendimento especial para os deficientes visuais, que foi preparado pela primeira vez em um evento londrinense. "Esse é um trabalho importante dos guias. Senti o vento bater no rosto é uma sensação muito gostosa", comentou ela, após o passeio.

Continua depois da publicidade


A Sociedade Rural do Paraná treinou guias para atender os deficientes visuais durante os 11 dias de festa. Além de se divertir na roda-gigante, a presidente da Adevilon visitou os animais da feira, fez compras e conheceu o Parque Governador Ney Braga, no passeio de aproximadamente duas horas. "O guia vai falando sobre a exposição e descrevendo o local. É como se eu pudesse ver o parque, já que eu me recordo das imagens e lembranças da infância", explicou.


O casal Hélio Silva Vieira e Tânia Regina se conheceram em um curso voltado para cegos e fizeram o passeio no parque na companhia dos guias. O ex-policial, que perdeu a visão por causa de um tiro, visitou as edições anteriores da exposição com familiares, mas aprovou a companhia dos voluntários. "As pessoas que não são treinadas andam muito depressa e fica difícil acompanhar. Os guias avisam onde estão os pequenos obstáculos e nos ajudam durante o passeio", destacou Vieira.


Antes de começar o "tour" pelo parque, Tânia disse que estava ansiosa para tocar nas flores, animais e frutas expostas na feira. "Nós moramos em uma chácara e gostamos muito da natureza e do campo. Estou me sentindo em casa na exposição", revelou. "Espero que o atendimento dos guias sirva de exemplo para outros eventos da cidade. Com vontade e determinação, o deficiente visual pode conhecer qualquer lugar, fazer passeios e coisas diferentes", acrescentou.

Continua depois da publicidade


O guia Paulo Roberto Boaretto já trabalhava como voluntário em um projeto da Igreja Católica voltado para os deficientes visuais e foi treinado durante um dia para ajudar os cegos na exposição. "Eu sinto prazer em auxiliar os deficientes visuais. É muito bom ver os sorrisos de felicidade e satisfação na hora que eles vão ao parque de diversão ou passam a mão nos bois no passeio pelo curral", comentou o Boaretto, que se envolveu com o trabalho voluntário ao se sensibilizar com a história de um amigo que perdeu a visão após um acidente.

Serviço - Os deficientes visuais poderão visitar a 50ª ExpoLondrina neste sábado (10) e domingo (11). Quatro profissionais estarão à disposição para acompanhá-los no parque, em locais definidos pelos visitantes. Os guias estarão à disposição das 9 às 19 horas e das 20 às 22 horas. Se preferir, o deficiente visual pode agendar a visita. Basta ligar no 3378-2000, informando o nome completo e o horário. O visitante será informado do nome do profissional que irá recepcioná-lo no portão principal. Cada visita terá duração de duas horas. O serviço é gratuito.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade