Pesquisar

Canais

Serviços

- Pedro Marconi - Grupo Folha
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Fiscalização

Após paralisação na obra da sede do Samu, construtora responsável é notificada em Londrina

Pedro Marconi - Grupo Folha
07 abr 2022 às 16:07
Continua depois da publicidade

Máquinas desligadas, materiais espalhados pelo pátio, serviços que ainda precisam ser executados. Este é o cenário da obra de construção da sede do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Londrina, na avenida Dez de Dezembro, zona leste. A prefeitura notificou a empresa responsável na última quarta-feira (6) após realizar uma fiscalização e constatar que não havia operários atuando no lugar.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


No despacho, o engenheiro determina “a retomada imediata dos trabalhos” e alerta que “a paralisação dos serviços pode dar causa a penalidades contratuais, respeitando o contraditório e a ampla defesa”. A reportagem esteve no canteiro na manhã de quinta-feira (7) e também não viu nenhuma movimentação de trabalhadores. “Faz umas duas semanas que está tudo parado. Só tem um segurança aí dentro”, relatou o motorista Donizete Rossi.

Continua depois da publicidade


A notificação acontece na mesma semana que o município oficializou um aditivo no contrato no valor de R$ 111 mil, atendendo pedido de reequilíbrio econômico-financeiro solicitado pela empreiteira, que tem sede em Palmitinho (RS). “O desequilíbrio corresponde à somatória dos valores residuais das variações dos custos unitários ocorridas entre a data da proposta (23/08/2019) e as datas dos protocolos da empresa, descontados os reajustes contratuais já concedidos e a variação máxima a ser suportada pela contratada”, destaca o documento.


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade