Pesquisar

Canais

Serviços

- Freepik
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Operação 'Obra Legal'

Receita Federal notifica 1.800 pessoas para regularização de obras em Londrina

Grupo Folha
05 out 2021 às 17:21
Continua depois da publicidade

Mais de 1.800 proprietários de imóveis dos municípios da Região Metropolitana de Londrina foram selecionados e notificados pela Receita Federal para regularização de obras civis sob sua responsabilidade. As notificações foram enviadas pro Correios e nelas constam uma data limite para que o contribuinte efetue a regularização.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A medida é a primeira fase da operação Obra Legal, que foi lançada pelo órgão nesta segunda-feira (4) na região de Londrina. O objetivo é incentivar a regularização de obras civis com o pagamento de contribuições sociais incidentes sobre a contratação de trabalhadores. As multas podem chegar a 225% do valor do tributo devido.

Continua depois da publicidade


Para chegar aos contribuintes irregulares, o fisco está efetuando o cruzamento de informações como dados de alvarás e documentos de habite-se concedidos pelas prefeituras, informações fornecidas pelos responsáveis pelas obras, notas fiscais eletrônicas de aquisição de materiais de construção e a evolução das obras por meio de imagens aéreas obtidas de satélites, drones e helicópteros, além de outros parâmetros definidos pela Receita Federal.


A segunda fase da operação se inicia assim que terminar o prazo concedido nas notificações para regularização da obra. Para os contribuintes não se regularizaram serão lançados ofícios de contribuição por meio de autos de infração, com multas de 75% a 225% do valor do tributo devido.

Continua depois da publicidade


Segundo a Receita Federal, Londrina foi escolhida para o lançamento da operação por apresentar expansão relevante na área de construção civil. O valor estimado de arrecadação nesta primeira fase é de R$ 5 milhões. A operação será estendida a outros estados nos próximos meses.


Leia mais na Folha de Londrina

Continue lendo