Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Pesquisa

40% dos jovens já tentaram sair do narcotráfico

Redação - Bonde
23 nov 2006 às 19:14
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Quatro em cada dez jovens envolvidos com o narcotráfico já tentaram se afastar da atividade, aponta uma pesquisa realizada pelo Observatório de Favelas. "A queda dos rendimentos do tráfico de drogas no varejo e o aumento brutal das mortes têm motivado muitos jovens a desejar sair desta atividade", afirma a pesquisa

Uma das pesquisadas é Vânia, que não quis ter seu nome completo divulgado por questões de segurança. Ela saiu do tráfico quando conseguiu um trabalho. Hoje ela ganha R$ 490 por mês, menos do que recebia por semana no tráfico.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"Eu quis sair, primeiro, porque eu tive uma oportunidade de emprego e, segundo, porque tinham muitos amigos meus, pessoas que estavam ao meu lado no dia a dia, morrendo em guerras com outras facções, em troca de tiros com policias. Então, a idade veio chegando e eu achei que não era mais aquilo que eu queria", disse.

Leia mais:

Imagem de destaque
Crystal

Como funciona o Cirque du Soleil, que leva espetáculo de gelo ao Rio e a São Paulo

Imagem de destaque
Proibido em 21 países

Saiba como é a legislação sobre aborto ao redor do mundo

Imagem de destaque

PL antiaborto deixa a lei brasileira tão dura quanto a de países como Afeganistão e Indonésia

Imagem de destaque
Veja vídeo

Kate Middleton faz primeira aparição pública oficial após confirmar câncer


Desejo de consumo - A pesquisa avaliou ainda quais os motivos que levam os jovens a entrar para o narcotráfico. Comprar roupas novas e ajudar a família a se sustentar economicamente. Esses são os dois principais destinos do dinheiro obtido pelos jovens que trabalham no narcotráfico do Rio de Janeiro.


Sensação de poder, prestígio, amizades e espírito de aventura são outros fatores apontados nas entrevistas como motivos para entrar no crime.

O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Observatório de Favelas, organização da sociedade civil sediada na Favela da Maré. A pesquisa durou dois anos e investigou a trajetória de 230 jovens, com idades entre 11 e 24 anos, envolvidos com o tráfico de drogas em 34 comunidades distribuídas nas Zonas Norte, Sul, Oeste e Leopoldina. Foi realizado em parceria com o Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e outras instituições. (ABr)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade