Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Eleições

Ahmadinejad é reeleito presidente do Irã no 1º turno

BBC Brasil
13 jun 2009 às 14:41
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A comissão eleitoral do Irã declarou, neste sábado, que o presidente Mahmoud Ahmadinejad foi reeleito nas eleições presidenciais realizadas na sexta-feira.

Com mais de 80% das urnas apuradas, as autoridades eleitorais afirmaram que Ahmadinejad obteve 62,6% dos votos, quase o dobro de seu principal rival, o reformista Mir Hossein Mousavi (32%).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo os dados oficiais, Ahmadinejad teria sido o grande vencedor inclusive no reduto eleitoral do candidato da oposição.

Leia mais:

Imagem de destaque
Futebol americano

Causa da morte de O. J. Simpson é revelada em sua certidão de óbito

Imagem de destaque
Impasse

ByteDance diz que prefere fechar TikTok nos EUA do que vender aplicativo

Imagem de destaque
Ataques políticos

Fala sobre escravidão constrange presidente de Portugal em festa da Revolução dos Cravos

Imagem de destaque
Fase final do concurso

Jovem de Altônia é favorita no Miss Teen Universe 2024 em Punta Cana


Mousavi esperava que o líder iraniano obtivesse menos do que 50% dos votos, o que levaria a disputa para o segundo turno. O reformista contestou os resultados, argumentando que houve "irregularidades" na contagem das cédulas.

Publicidade


Em um comunicado divulgado na tarde deste sábado, Mousavi chamou o pleito de "charada pergiosa".


"Eu protesto contra as muitas violações óbvias e aviso que não vou me render a esta charada perigosa", disse Mousavi.

Publicidade


"O resultado do comportamento de algumas autoridades vai colocar em risco os pilares da República Islâmica e estabelecer a tirania".


Mais cedo, Mousavi havia denunciado que faltaram cédulas de votação e que milhões de pessoas teriam tido seu direito de votar negado. Ainda segundo ele, seus monitores eleitorais teriam sido impedidos de entrar nos postos eleitorais.

Publicidade


O Comitê para Proteger o Voto do Povo, criado pelos três candidatos de oposição, disse que não aceitará os resultados, alegando fraude.


O grupo pediu ao Conselho dos Guardiães do Irã - um poderoso órgão controlado por clérigos conservadores - que anule os resultados e convoque novas eleições.

Publicidade


Após a divulgação dos resultados, a polícia fez uma barreira em frente ao comitê de campanha de Mousavi, impedindo que seus partidários dessem uma coletiva de imprensa.


O correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, disse que a polícia está prevenindo demonstrações de partidários de Mousavi.

Publicidade


Ainda segundo ele, circulam informações de que um jornal oposicionista teria sido fechado e o acesso ao site em inglês da BBC bloqueado pelas autoridades.


Surpresa

Publicidade


De acordo com o analista para questões iranianas da BBC, Sadeq Saba, ninguém esperava que a Ahmadinejad ganharia as eleições com uma margem tão ampla de votos, e que os eleitores de Mousavi estão demonstrando "choque e descrença".


Ainda segundo ele, a reeleição do líder iraniano sugere que não haverá uma mudança significativa nas políticas externa e interna do Irã.


No entanto, afirma Saba, as eleições trouxeram esperança para milhões de pessoas que acreditaram que seria possível mudar o rumo do país através do voto.


Mas agora, a esperança de uma reforma pacífica no Irã pode morrer durante os anos que virão, acrescenta ele.


Quatro candidatos, incluindo o presidente, concorreram nas eleições. Segundo a comissão eleitoral, Mohsen Razai e Mehdi Karroubi obtiveram apenas uma pequena porcentagem dos votos.


As eleições presidenciais da sexta-feira foram marcadas por enormes filas em seções eleitorais.


O alto comparecimento dos eleitores às urnas - classificado como "sem precedente" pelas autoridades - fez com que o período de votação fosse estendido em duas horas.

De acordo com autoridades eleitorais, o comparecimento pode ter superado 80% dos eleitores.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade