30/10/20
PUBLICIDADE
Privacidade

Austrália processa Facebook por compartilhamento indevido de dados

A Austrália processou o Facebook por violar a privacidade de mais de 300 mil australianos. Entre as informações compartilhadas estão datas de nascimento, nomes, endereços eletrônicos, lista de amigos, endereços e mensagens.

Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Nesta segunda-feira (9), a comissária australiana de Informação e Privacidade, Angelene Falk, alegou no Tribunal Federal que o Facebook cometeu, de forma repetida, interferências graves na privacidade dos utilizadores, violando a lei de privacidade australiana.

Os dados foram compartilhados com o aplicativo This is Your Digital Life (Esta é Sua Vida Digital, em tradução livre) pela empresa Cambridge Analytica, com o objetivo de criar um perfil político do cidadão.

"Consideramos que o design do Facebook faz com que os usuários não possam exercer escolha ou controle sobre como as suas informações pessoais são compartilhadas”, afirmou Angelene Falk. A comissária australiana acrescentou que "as configurações-padrão do Facebook facilitam a divulgação de informações pessoais e confidenciais, em prejuízo da privacidade”.

Entre as várias informações compartilhadas estão os nomes das pessoas e as suas datas de nascimento, endereços eletrônicos, listas de amigos, "curtidas” e mensagens privadas enviadas através da rede social.

O Facebook confirmou que, entre março de 2014 e maio de 2015, tinham sido compartilhados dados pessoais de mais de 311 mil australianos. Contudo, os documentos do tribunal mostram que apenas 53 australianos instalaram o aplicativo This is Your Digital Life.

A Austrália exige que o Facebook pague "multas civeis pecuniárias” de acordo com a Lei australiana da Privacidade. Cada violação pode custar ao Facebook US$ 1,7 milhão.

ESCÂNDALO CAMBRIDGE ANALYTICA

Em 2018 foi revelado que a empresa de análise de dados Cambridge Analytica trabalhava em parceria com a equipa de Donald Trump e com a campanha Leave no referendo do Brexit.

Os dados teriam sido usados para criar um software que poderia influenciar os eleitores e prever sua intenção de voto.

Em 2015, a rede social descobriu que as informações dos seus usuários estavam sendo usadas por terceiros, mas não informou os atingidos.

O escândalo custou ao Facebook 500 mil libras, no Reino Unido, que considerou a violação de dados "grave”. Nos Estados Unidos, as entidades reguladoras multaram a rede social em US$ 5 bilhões.
Agência Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Próxima segunda-feira

Confira o funcionamento dos serviços públicos no feriado de Finados em Londrina

29 OUT 2020 às 17h17
Eleições municipais

Ulisses Maia lidera intenções de votos em Maringá e pesquisa aponta reeleição

29 OUT 2020 às 15h22
Terrorismo

Atentado a faca mata três pessoas em igreja na França

29 OUT 2020 às 14h34
Abre-e-fecha estadual

Estado do Paraná transfere Dia do Servidor Público para próxima terça

29 OUT 2020 às 12h49
Norte Pioneiro

Polícia prende vereador de Carlópolis por venda de cirurgias bariátricas pelo SUS

29 OUT 2020 às 12h38
Operação

Polícia Rodoviária Estadual intensifica as ações no feriado prolongado de Finados

29 OUT 2020 às 12h37
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados