Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda

Brasil supera Itália e lidera produção de panetones no mundo

Ansa Brasil
02 jan 2024 às 16:00
- Ansa
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Do Duomo de Milão ao “salto da bota” do mapa da Itália, Salento, não há região italiana que não possa se vangloriar de ter um mestre confeiteiro premiado em competições de panetone.


No entanto, enquanto os italianos saboreiam o doce convencidos de degustar uma iguaria “made in Italy”, em escala global, os números de produção do mercado são liderados pelo Brasil, com aproximadamente 200 milhões de unidades ao ano.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O país é seguido do Peru, e a Itália aparece somente em terceiro lugar, com uma produção média anual de 50 milhões, entre industriais e artesanais.

Leia mais:

Imagem de destaque
Luto

Estrela do k-pop, Park Bo-ram, é encontrada morta aos 30 anos

Imagem de destaque
Lamentável

J.K. Rowling condena estrelas de 'Harry Potter' por apoiar pessoas trans

Imagem de destaque
Tinha câncer

Morre O.J. Simpson, ex-jogador de futebol americano, aos 76 anos

Imagem de destaque
Em 2025

Cerimônia da próxima edição do Oscar ganha data para acontecer; veja a data


A consolidação da liderança mundial brasileira é herança do empreendedor italiano Luigi Bauducco (1932-2020), que migrou ao país sul-americano com os pais, Carlo Bauducco e Margherita Constantino.

Publicidade


A família abriu uma confeitaria no Brás, em São Paulo-SP, que foi crescendo até se tornar a empresa que é, até hoje, a maior produtora de panetones do mundo.


“No mundo, não se pode falar em um só panetone, mas em panetones, e cada um deles conta uma história diferente”, pontua o Centro de Estudos de Degustadores, cooperativa italiana fundada em 1990.

Publicidade


“O Brasil tem uma produção que é o quádruplo em relação à Itália, graças à padronização, baseada principalmente na substituição da massa-madre ácida por levedos selecionados. Enquanto nós, italianos, navegamos em direção a uma decidida valorização do processo antigo, muito mais difícil de gerir, mas que proporciona uma variedade de aromas impagável”, diz a avaliação.


Para saborear melhor esses aromas, os degustadores profissionais Agnese Fabbri, Giuseppe Fabbri e Luigi Odello comentam sobre a técnica ideal: “Dez fatias iguais, não mais e não menos, de um panetone de 750 gramas.

Publicidade


O ato de porcionar é um rito, feito à mesa, que aumenta a magia da degustação de um produto vivo, que muda e evolui em contato com o ar”.


“Nos munimos de uma faca com lâmina longa e serrada, a mesma aconselhada para o pão. Ela serra ao longo do diâmetro, evitando pressões para não deformar o doce, e se corta com duas metades  perfeitamente idênticas para depois porcionar”, dizem as dicas.


“Um dos piores erros é levar à mesa um panetone frio, menos fragrante e macio. Mas é desaconselhado esquentar o doce já porcionado, porque é fácil alterar a maciez e os parâmetros aromáticos. Também é preciso evitar o micro-ondas. O ideal é introduzir a peça no forno tradicional, levado a 90 graus e depois desligado, por não mais do que cinco minutos”, finalizam.


Imagem
Cheesecake de chocolate com calda de frutas vermelhas
Cheesecake de chocolate com calda de frutas vermelhas
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade