26/10/20
PUBLICIDADE
Pandemia

Contágio por coronavírus sobe na Alemanha com relaxamento de quarentena

A transmissão do novo coronavírus na Alemanha se acelerou depois que algumas medidas da quarentena foram relaxadas, com a abertura de novas lojas a partir de 20 de abril.

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


O Instituto Robert Koch para o Controle de Doenças divulgou neste domingo (10) que o número de pessoas para quem cada doente transmite o novo coronavírus (R) é agora de 1,1, ou seja, na média, cada 10 infectados transmitem a doença para 11 pessoas.

O R é um dos principais indicadores observados pelos governos para calibrar restrições à mobilidade e ao contato. O objetivo é deixá-lo abaixo de 1, o que indica que o contágio tende a desaparecer no médio prazo.

Ao anunciar na última quarta (6) mais medidas de relaxamento, entre elas a retomada gradual das aulas, a premiê da Alemanha, Angela Merkel, avisou que o governo poderia acionar um freio de emergência: distritos em que o contágio sair de controle terão que voltar à quarentena. Desde então, três deles excederam o limite de mais de 50 novas infecções por 10 mil pessoas nos últimos sete dias, segundo o RKI.

O freio criado por Merkel revela uma preocupação comum aos 23 governos que já começaram a descongelar suas atividades: quanto mais encontros entre pessoas e mais proximidade entre elas, maior o risco de contágio.

Na Dinamarca, que reabriu algumas escolas no dia 15, também houve um aumento da taxa de contágio, de 0,6 para 0,9, com a epidemia ainda sob controle.

Na Alemanha, o centro de controle de doenças afirmou que o R está sujeito à incerteza estatística, por isso ainda é cedo para dizer se o número de infecções voltará a crescer ou manterá a tendência de queda na qual vinha durante a quarentena. Mas o aumento "exige monitoramento rigoroso", diz o relatório.

Neste domingo, a Alemanha registrava os números de 169.218 casos confirmados (7º maior no mundo) e 7.395 mortes por Covid-19 (7º maior). Em relação à população, são 9 mortes por 100 mil habitantes, 23º maior número no mundo.

Nesta segunda (11), cinco outros países devem começar a relaxar sua quarentena, entre eles a França, onde há 40,3 mortes por 100 mil habitantes (7ª maior taxa). Na segunda, as escolas devem começar a receber de volta os alunos, com turmas que terão metade do número anterior de estudantes em sala.

Também será possível sair de casa sem precisar de uma justificativa por escrito, mas cafés, restaurantes, parques e lojas continuarão fechados. A saída da quarentena no país dependerá do controle da doença em cada região. Paris e todo o nordeste francês estão na zona vermelha, onde o relaxamento será mais lento.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também anuncia neste domingo as regras para o relaxamento do lockdown no Reino Unido. Embora o governo fale em um processo cauteloso e gradual, a mudança do slogan da campanha de combate ao novo coronavírus, de "fique em casa" para "fique alerta", levantou uma onda de críticas e piadas no país.
Ana Estela de Sousa Pinto - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Benefício

Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial

26 OUT 2020 às 14h18
Em Cambé

Homem é detido depois de espancar idoso para roubar dinheiro

26 OUT 2020 às 12h19
Assistência social

Prefeitura prorroga contrato com Igreja Católica para abrigar moradores de rua

26 OUT 2020 às 12h01
Estrada rural

Acidente na PR-170 mata jovem de 20 anos neste domingo

26 OUT 2020 às 11h51
Série do Grupo FOLHA

Veja as propostas de Junior Santos Rosa para Londrina

26 OUT 2020 às 11h48
Você no Azul

Campanha da Caixa para regularizar dívidas chega a Londrina nesta segunda

26 OUT 2020 às 09h47
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados