Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Grupo extremista

Estado Islâmico executou quase 100 pessoas em um mês

Agência Brasil
30 ago 2015 às 20:03
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O grupo jihadista Estado Islâmico executou, no período de um mês, quase 100 pessoas, um terço das quais civis, nas áreas que estão sob o seu controle na Síria, informou hoje (30) o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Segundo a entidade, o grupo executou entre 29 de julho e 29 de agosto 91 pessoas, incluindo 32 civis. O balanço inclui também membros do grupo extremista, combatentes rebeldes e membros das forças do presidente Bashar Al Assad, de acordo com o observatório.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Com o balanço, sobe para 3.156 o número de pessoas executadas na Síria pelos extremistas desde junho de 2014. Entre as vítimas, há 1.841 civis.

Leia mais:

Imagem de destaque
Ela merece

Em ano olímpico, Rebeca Andrade ganha homenagem da Barbie e quer inspirar outros sonhos

Imagem de destaque
Saiba mais

CEO do Google defende uso gratuito de conteúdos na internet para treinar IA

Imagem de destaque
Karim Bianchi

Senador chileno diz que foi abduzido por ETs e que precisa difundir mensagem

Imagem de destaque
The Posthumous Memoirs of Brás Cubas

Edição em inglês de Memórias Póstumas de Brás Cubas é o livro latino mais vendido na Amazon


A feitiçaria, a homossexualidade e a colaboração com a coligação liderada pelos Estados Unidos que combate os jihadistas são práticas punidas com a morte nas áreas controladas pelo Estado Islâmico.

Publicidade


Na Síria, o grupo extremista sunita, que controla várias regiões em províncias do norte e centro do país, tem sido alvo, desde setembro de 2014, de ataques aéreos de uma coligação internacional liderada pelos Estados Unidos.


Estes ataques ajudaram as forças curdas a recuperar algumas regiões, sem, no entanto, conseguir neutralizar o grupo extremista.

No sábado, oito jihadistas do Estado Islâmico foram mortos em um bombardeamento da coligação na cidade de Raqa (norte), considerada a base do grupo na Síria.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade