01/10/20
PUBLICIDADE
Líbano

Grande explosão causa pânico e deixa feridos em Beirute; veja os vídeos

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter


Uma grande explosão nesta terça (4) em Beirute, capital do Líbano, causou pânico e destruição na região portuária. Uma gigantesca coluna de fumaça pôde ser vista de toda a cidade, relataram testemunhas e a mídia local.


Duas fontes de segurança disseram à agência Reuters que a explosão ocorreu na área portuária que contém armazéns. A explosão abalou várias áreas da capital, quebrando janelas e portas e ferindo pessoas.

De acordo com a agência Ansa, fontes de segurança também disseram que a explosão deixou dezenas de feridos. No entanto, a emissora de televisão Al Mayadeen disse que centenas de pessoas ficaram feridas.

Segundo a emissora local LBC, o ministro da Saúde disse que havia um "número muito alto" de feridos e uma grande quantidade de danos.

Não há informações sobre que causou o incidente, próximo a uma área portuária, mas imagens divulgadas pelas redes sociais mostram uma explosão de enormes proporções. Emissoras locais informaram que na região do porto ficavam armazéns de fogos de artifício. Não ficou claro de imediato que tipo de explosivos estavam nos armazéns.







"Vi uma bola de fogo e fumaça subindo sobre Beirute. Pessoas estavam gritando e correndo, sangrando. Sacadas foram arrancadas de edifícios. O vidro dos prédios se partiu e caiu nas ruas", disse uma testemunha da Reuters.

Outra testemunha da Reuters disse que viu uma fumaça cinza pesada perto da área do porto e depois ouviu uma explosão e viu chamas de fogo e fumaça preta: "Todas as janelas do centro da cidade estão quebradas e há feridos andando por aí. É um caos total."

Nas redes sociais, há vários vídeos da explosão em ângulos diferentes e as cenas de pavor nas ruas após o incidente.

Em entrevista à BBC, Hadi Nasrallah, testemunha da explosão, disse que a cena foi "muito assustadora" e que o barulho foi "muito alto".

"De repente, eu perdi minha audição. Perdi minha audição por alguns segundos. Eu sabia que algo estava errado e, de repente, vi os cacos de vidro se espalhando sobre o carro", contou ele, que admitiu o temor por um incidente político.

Os jornalistas foram proibidos de acessar a zona, segundo um correspondente da AFP. Em frente ao centro médico de Clémenceau, dezenas de feridos, incluindo crianças, às vezes cobertas de sangue, esperavam para serem admitidos, segundo a agência.
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Em Jacarezinho
MP denuncia homem filmado agredindo companheira em posto de saúde
01 OUT 2020 às 15h15
Fiscalização
Defesa Social recebe 8.967 denúncias de desrespeito à quarentena em seis meses de pandemia
01 OUT 2020 às 14h44
Lava Jato
Fachin nega pedido de Lula para suspender processo do tríplex
01 OUT 2020 às 14h28
Saque e transferência
Caixa libera o auxílio emergencial para nascidos em abril
01 OUT 2020 às 14h17
Saiba mais
Pessoa física poderá ser tarifada por Pix quando receber dinheiro de venda ou serviço prestado
01 OUT 2020 às 12h30
Saiba mais
Eleitor poderá justificar ausência nas eleições deste ano pelo celular
01 OUT 2020 às 12h23
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados