Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Vida debaixo d’água

Homem fica 13 dias submerso com algas regadas a urina

BBC Brasil
19 abr 2007 às 15:26
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Um biólogo marinho australiano passou 13 dias vivendo em uma cápsula debaixo d’água, usando algas regadas com sua própria urina como alimento e fonte de oxigênio e gerando sua própria eletricidade. Lloyd Godson, de 29 anos, queria provar que é possível viver submerso, de forma auto-sustentável, enclausurado num sistema ecológico.

O habitat aquático de 14,4 metros cúbicos incluía uma bicicleta ergométrica, que gerava energia para um laptop à prova d’água, uma pequena cama, um toalete portátil e, como entretenimento, um tambor, que o cientista tocava sem perturbar ninguém, a não ser seus vizinhos subaquáticos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Durante a estada, Godson usou ainda uma máquina que extraía a umidade do ar e a transformava em água pura para beber. De dentro da cápsula, Godson também enviava mensagens a estudantes de todo o mundo, que entravam em contato com ele através da internet.

Leia mais:

Imagem de destaque
Competição de gigantes

Google tenta superar 'humanidade' de novo ChatGPT com assistentes de IA que erram menos

Imagem de destaque
Em junho

Filhos de Maradona entram com processo para impedir leilão da Bola de Ouro do pai

Imagem de destaque
Descobertas de anticorpos

Após morte do pai por Covid, cientista brasileira em Harvard busca novos antivirais

Imagem de destaque
Mudança de estereótipo

'Dirija como uma mulher'; França lança campanha para reduzir mortes no trânsito


Segundo o website do projeto, Godson deixou para se alimentar da alga apenas nos últimos dias de sua aventura subaquática para não "sofrer indigestão". Antes disso, um time de mergulhadores voluntários levava comida para o biólogo através de uma passagem da superfície à sua base.


O projeto, denominado BioSub, foi o vencedor da categoria "Aventureiro mais Radical" de um concurso chamado "Viva o seu Sonho", promovido pela revista Australian Geographic. O prêmio era de 50 mil dólares australianos, o equivalente a 85 mil reais.

Com o sucesso do experimento, o cientista da NASA Dennis Chamberland convidou Godson para integrar um outro projeto aquático em 2009.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade