Pesquisar

Canais

Serviços

Ansa
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Anguillara Veneta

Jair Bolsonaro se torna cidadão honorário de município na Itália

Ansa Brasil
26 out 2021 às 12:37
Continua depois da publicidade

O pequeno município de Anguillara Veneta, no norte da Itália, aprovou na segunda-feira (25) a concessão de cidadania honorária para o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A homenagem foi proposta pela prefeita de direita Alessandra Buoso - que justifica a medida pelo fato de um bisavô de Bolsonaro ter nascido na cidade - e recebeu nove votos a favor e três contrários na Câmara Municipal.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Por meio de um comunicado divulgado nas redes sociais pelo deputado ítalo-brasileiro Luis Roberto Lorenzato, do partido de ultradireita Liga, a prefeita diz que a ideia da cidadania honorária surgiu após ter sido "pavimentada a possibilidade de uma visita diplomática brasileira".


"Sem nunca ter dado qualquer passo, fomos contatados por expoentes brasileiros dizendo que finalmente haviam chegado os resultados das pesquisas que confirmavam que o presidente é descendente direto de Anguillara. Pavimentada a possibilidade de uma visita diplomática brasileira, de comum acordo entre as partes, como sinal de reconhecimento, pensou-se em conferir a cidadania honorária", afirma a nota.


"A cidadania é conferida de fato ao presidente, como delegado de um povo e eleito democraticamente pelo povo que ele representa, mas é conferida simbolicamente a toda uma nação", acrescenta.

Continua depois da publicidade


O comunicado ainda cita a "tradição emigrante" do povo do Vêneto, onde fica Anguillara. "O reconhecimento é para todas aquelas pessoas que deixaram sua terra natal. É um gesto simbólico de esperança para todos os povos que, todos os dias, são obrigados a migrar para outros países em busca de uma nova vida", ressalta.


A prefeita ainda se diz "profundamente perturbada" pelo fato de a homenagem ter sido "distorcida e manipulada para fins políticos". "Não queremos entrar nos aspectos políticos porque não é nosso papel nem nossa vontade, queremos apenas recordar que os laços entre essas duas nações são extremamente fortes", salienta o comunicado.


A sessão da Câmara Municipal para discutir a cidadania honorária havia sido convocada pela prefeita em 20 de outubro, mesmo dia da leitura do relatório da CPI da Covid no Senado Federal.


Além de crimes contra a humanidade, o pedido de indiciamento escrito pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL) acusa o presidente de epidemia com resultado morte, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo, incitação ao crime, falsificação de documento particular, emprego irregular de verba pública e prevaricação.


Também enquadra Bolsonaro em dois crimes de responsabilidade: violação de direito social e incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo.


Críticas


O vereador de oposição Antonio Spada afirmou à Ansa que a homenagem a Bolsonaro representa um "prejuízo aos cidadãos de Anguillara e uma afronta às vítimas da pandemia de Covid no Brasil".


"Bolsonaro nunca promoveu a imagem de nossa cidade, mas está recebendo essa honraria apenas porque tem um bisavô nascido aqui. Rechaçamos a ideia de que Bolsonaro se torne modelo e exemplo para os cidadãos de Anguillara Veneta e o fato de essa escolha ser um ato imposto sem consultar a população", disse Spada.


Já o vereador Fabrizio Biancato, também de oposição, declarou que "não basta ter um bisavô de Anguillara Veneta para merecer a cidadania honorária".


"Por aquilo que [Bolsonaro] fez e está fazendo, estamos falando de uma pessoa que deve responder a acusações em tempos de pandemia e continua com uma política negacionista e contra a vacina, que sempre demonstrou falta de respeito pelas pessoas e pelo meio ambiente e que é artífice de escolhas que fizeram retornar o desespero e a fome no Brasil", salientou.


De acordo com o jornal Il Mattino di Padova, manifestantes protestaram do lado de fora da Câmara Municipal de Anguillara durante a votação sobre a cidadania honorária com bandeiras do Brasil e cartazes de "vergonha".

Continue lendo