Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Turquia

Muçulmanos protestam contra a visita de Bento 16

Heloísa Prado - Bonde
27 nov 2006 às 19:15
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Milhares de muçulmanos realizaram uma manifestação nas ruas de Istambul neste domingo (26) para protestar contra a visita do papa Bento 16 à Turquia na próxima semana. Segundo notícia da BBC Brasil, a multidão gritava frases como "Não venha, papa!", enquanto fotos de Bento 16 são mostradas em uma tela grande.

O papa provocou revolta em vários países muçulmanos em setembro, durante um discurso em que citou o imperador bizantino Manuel 2º Paleologus, que disse que Maomé trouxe apenas o "mal e coisas desumanas". O papa enfatizou que essas não eram palavras suas e depois lamentou qualquer ofença que o seu discurso possa ter causado.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


No entanto, muitos muçulmanos vêm exigindo um pedido de desculpas claro. A visita à Turquia, que começa na terça-feira, será a primeira dele a um país muçulmano.

Leia mais:

Imagem de destaque
Cantora francesa

Françoise Hardy pediu a Macron em carta a legalização da eutanásia

Imagem de destaque

Acordo evita que torcedores condenados por racismo contra de Vinicius Jr. sejam presos

Imagem de destaque
Em julho

Google vai testar 1° no Brasil bloqueio automático de tela de celular

Imagem de destaque
De Guarulhos

Gol anuncia voos diretos para a Costa Rica a partir de novembro


O protesto deste domingo foi organizado pelo partido Felicidade Islâmica, um grupo pequeno que não é representado no parlamento turco. Um grande pôster mostra fotos de um cavaleiro das cruzadas e de episódios de violência no Oriente Médio. "Quem trouxe o mal e a desumanidade?", está escrito no cartaz.

Publicidade


Símbolo - Em Roma, o papa enviou os seus cumprimentos ao povo turco, oferecendo sua amizade sincera e elogiando a cultura e a história turcas.


Ele deverá visitar a famosa Mesquita Azul em Istambul, no que está sendo considerado um evento muito simbólico.

Antes do protesto, um representante do partido Felicidade Islâmica, Osman Yumakogullari, disse à agência de notícias AFP que tem "infinito respeito por todas as religiões e seus representantes, mas que (eles) não podem ficar quietos diante de declarações que vão contra a fé (muçulmana)".


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade