Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Em seis anos

ONGs que defendem direitos e meio ambiente quadriplicam

Heloísa Prado - Bonde
29 nov 2006 às 19:31
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

As organizações não-governamentais (ONGs) voltadas ao meio ambiente e à defesa de direitos foram as que mais crescerem entre 1996 e 2002. Cada um destes segmentos cresceu cerca de 300% – ou seja, ficou em torno de quatro vezes maior no período –, segundo pesquisa coordenada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que traçou um perfil das ONGs no Brasil.

A diretora do Ipea, Anna Peliano, explicou que o número de instituições que tratam de meio ambiente ainda é pequeno, já que partiram de um patamar quantitativo baixo. São cerca de 1.600. Já as ligadas à defesa de direitos somam cerca de 45 mil. São considerados nessa categoria centros comunitários, associações de moradores e de defesa de grupos específicos ou de minorias.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O estudo abrange as entidades que atendem a critérios como não ter fins lucrativos, ser auto-administradas, privadas, entre outros. São um total de 276 mil em todo o país. De acordo com os dados do instituto, as organizações pesquisadas empregam 1,5 milhão de pessoas, o que corresponde a 5,5% dos trabalhadores do país. Esse número podia ser ainda maior, uma vez que o estudo mostra que, do total pesquisado, 77% das organizações não têm empregados. "A hipótese é que elas têm trabalhadores não assalariados ou voluntários", explica a diretora do Ipea.

Leia mais:

Imagem de destaque
Dia dos Pais

Kate Middleton homenageia príncipe William com imagem inédita e mensagem de amor

Imagem de destaque
Crystal

Como funciona o Cirque du Soleil, que leva espetáculo de gelo ao Rio e a São Paulo

Imagem de destaque
Proibido em 21 países

Saiba como é a legislação sobre aborto ao redor do mundo

Imagem de destaque

PL antiaborto deixa a lei brasileira tão dura quanto a de países como Afeganistão e Indonésia


Estão nas regiões Norte e Nordeste as organizações mais novas. Peliano destaca que na área rural do Nordeste há atualmente uma grande mobilização voltada para a formação de entidades de produtores. Já em quantidade, a maior parte das organizações, 44%, está na região Sudeste. A educação é o tema trabalhado pelo maior número de ONGs, 29%, seguido por saúde com 23%.

A pesquisadora participou na manhã de hoje (29) do 2º Fórum Senado Debate o Brasil, que tem como tema o terceiro setor. O evento vai até amanhã, em Brasília. (ABr)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade